Como a meditação pode ajudar na rotina do freelancer
 Publicado: 29/03/2016 Atualizado: 21/11/2017

Como a meditação pode ajudar na rotina do freelancer

Anda com a cabeça cheia? A ansiedade passou a pilotar o seu ser? A meditação pode te livrar desse mal. Vem saber mais.
  Por Dani Lima
Só de olhar pra essa imagem você já se sente mais zen, né? Fala a verdade.

Todos os dias somos submetidos a uma enxurrada de informações. Isto é uma característica da época em que vivemos. Mas pode ser estressante, cansativo e muito improdutivo. Fortalecer sua mente é uma forma de lidar com isso. É aí que entra a meditação.

A meditação pode te ajudar a evitar algumas armadilhas do dia-a-dia como a ansiedade, a depressão, a agitação e o cansaço mental.

 

Ah, mas eu não acredito… Isso só acontece na Nova Zelândia!

Você pensa em meditar mas acha que isso é coisa desse pessoal meio esquisito zen budista hippie vegano? Deixe disso. Medite para encontrar algo que é bom pra você, independente das crenças dos outros. O importante é você cuidar da sua mente deixando-a mais forte para encarar os desafios de ser freelancer.

Se, por outro lado, você curte essa vibe zen budista hippie vegano, aproveite que você já está em casa e adicione a meditação ao seu dia-a-dia. Vamos lá!

 

Somente uma iniciante

Antes de continuar, devo dizer que não sou expert em meditação. Muito pelo contrário, sou uma iniciante que descobriu os benefícios de meditar e deseja compartilhar sua experiência com os outros. Eu aprendi lendo artigos e participando de um grupo de meditação por algum tempo.

Se você já pensou em meditar, mas acha que não é pra você ou não sabe como fazer, este texto pode te ajudar. Não tenho muitas respostas, mas vou contar minha experiência e isso pode te ajudar a iniciar a sua.

 

O que é a meditação para mim?

Para mim, a meditação é uma forma de me sentir centrada, de alinhar minha mente e corpo.

Nessa vida corrida, cheia de compromissos que a gente leva, às vezes o corpo está em casa e a mente já está lá na reunião com o cliente. Nossa mente, muitas vezes, fica sobrecarregada de problemas, listas de coisas a fazer, diversos sentimentos – bons e ruins – e o corpo fora de prumo, sem entender muito bem por que ele ainda está ali segurando uma escova de dentes se a mente já está escrevendo a pauta da reunião…

 

Meditar para acalmar

Eu gosto de meditar antes de começar a trabalhar.

Muita gente medita cedo, logo ao acordar, mas como minha rotina matinal é intensa – preciso dar conta de acordar, vestir e alimentar duas crianças pequenas para a escola a tempo – então só consigo meditar mais tarde.

A meditação me ajuda a desacelerar da agitação da manhã e encontrar a energia que preciso para me manter focada nos objetivos e atividades do meu dia. Eu sempre me impressiono como meu coração está acelerado quando me sento para meditar. Parece que eu estava correndo, mas não – é só o corpo respondendo a agitação da minha mente.

Depois de alguns minutos minha mente se acalma e isso ajuda meu corpo a se acalmar também. E uma mente calma consegue soluções mais eficientes para as questões do dia-a-dia.

 

E como é isso de meditar?

Como eu disse, não sou expert, mas vou contar o que eu faço e como eu faço na minha meditação antes de iniciar o dia de trabalho. 

 

1. Encontro o meu lugar 

Na minha casa, tenho dois lugares onde gosto de meditar. Um é do lado de fora, sentada numa cadeira, onde posso sentir o sol ou o vento. É o meu lugar preferido. Mas quando está chovendo eu sento de pernas cruzadas sobre uma almofada dentro de casa, no sofá.

Normalmente estou sozinha, então não preciso me preocupar com interrupções de outras pessoas. Eu deixo o celular e skype no mudo para não ficar me preocupando a cada “biiipe” que eu ouvir. O importante é isso, encontrar um canto tranquilo onde você possa ficar confortável sem ser interrompido.

O mundo não vai acabar se você sumir por uns 10 minutinhos. Pelo menos, posso garantir que nunca acabou enquanto eu estava meditando.

 

2. Encontro minha posição

A primeira coisa que eu faço é tirar meus sapatos, fico mais confortável assim. É legal remover qualquer acessório que te aperte.

Sentada, eu coloco minhas mãos sobre o colo, juntas em forma de concha.

É preciso ficar confortável, mas manter a consciência corporal – perceber a coluna alinhada e ereta, braços e pernas posicionados mas relaxados.

Existem as posturas clássicas de meditação que você pode ver aqui.

Mas acho que o mais importante é você estar confortável. A postura também deve ajudar na sua respiração, que é o próximo passo.

 

3. Fecho meus olhos e respiro

Depois de encontrar um lugar e uma posição confortável, eu fecho os olhos e presto atenção na minha respiração. Tento mantê-la num ritmo constante e confortável – mas natural.

Cada um deve seguir seu próprio ritmo. Não é preciso forçar a respiração. Como comentei, nesse momento, logo percebo o quanto meu coração está acelerado. Continuo respirando de olhos fechados e ele vai se acalmando.

 

4. Mas e os pensamentos?

Meditar não é parar de pensar. É acalmar ou focar a mente.

Mas depois de todo o rito inicial, as agonias começam: “Como vou resolver aquele job?”, “Eu paguei aquela conta?”, “Ih! Esqueci de mandar o dinheiro pra escola!”.

E é exatamente este tipo de pensamento que eu quero evitar. Aqueles que me tiram do momento em que estou, me levando para situações sobre as quais eu não posso fazer nada no momento.

Se a conta está atrasada, ela está atrasada. Irei resolver este problema em seu devido tempo. O job, eu só vou poder resolver quando for a hora de começar aquele trabalho. E se eu não mandei o dinheiro pra escola, mando amanhã, fazer o quê?

É improdutivo deixar a mente se ocupar com problemas. Eu uso a meditação para manter o foco da minha mente no presente, resolvendo cada desafio a medida que eles aparecem.

Na hora em que essas agonias invadem a minha mente, o que me ajuda são estas duas dicas:

 

4.1. Dica Prática

Eu presto atenção nos sons do ambiente. Às vezes é algo agradável, como um passarinho, outras vezes é algo agressivo, como o som de um ônibus passando. Mas não julgo ou analiso o som, apenas ouço e presto atenção.

Certa vez um mestre de meditação me disse para pensar calmamente assim: “o som deste ônibus passando agora me lembra de voltar ao momento presente”.

 

Não se censure se você começar a pensar em mil coisas, não brigue consigo mesmo. Quando os pensamentos insistirem em tomar conta da sua mente, vire sua atenção para os sons do ambiente. Eles vão te ajudar a voltar para o presente.

Eu nunca coloco música, mas por aqui eu ouço sempre muitos passarinhos, cachorros latindo, um ou outro carro ou ônibus passando.

Se você mora num local mais barulhento, mais urbano, talvez possa testar meditar ao som de alguma música. Este artigo aqui fala um pouco sobre meditação com música.

 

4.2 Dica Zen
Nossa mente é como um rio e os pensamentos são como as folhas que caem sobre a água e seguem flutuando. Quando nos sentamos para observar o rio, não seguimos as folhas. E, se ficarmos observando o rio tempo o bastante, uma hora todas as folhas terão passado e a água ficará limpa. Nossa mente não precisa seguir todos os pensamentos.

 

Pode até parecer conversa do Mestre Yoda mas a questão é essa: não é por que um pensamento se materializou na sua mente, que você precisa segui-lo.

Por exemplo, no momento da meditação talvez você se lembre: “Será que paguei a conta?” e daí seguir “O vencimento era dia 10… eu fui no banco, mas não lembro se levei essa conta” e seguindo “Se eu não paguei vou ter que pagar multa, que droga!”.

Quando o pensamento “Será que paguei a conta?’ aparecer, deixe ele ir embora, sem interagir com ele. Depois disso, certamente outros pensamentos vão aparecer na sua mente. Continue deixando eles irem embora e dessa forma você vai treinando sua mente a se manter calma.

Sim, no começo será difícil.

Agonias, perguntas e lembranças de todo tipo irão pipocar na sua cabeça, inclusive alguns pensamentos negativos que vão te chamar de doido por estar tentando fazer isso. E você vai achar que não consegue meditar.

Mas continue, você chega lá. Como qualquer coisa na vida, é preciso repetir a mesma coisa diversas vezes para (começar a) dominá-la.

Ainda hoje, depois de 6 meses praticando, há dias em que a meditação não vai tão bem e eu me sinto frustrada. Mas eu continuo pois já percebi que na maioria dos dias, a prática me faz bem.

Se você se sentir frustrado em não conseguir, siga em frente, com o tempo tudo vai parecer mais fácil e natural. Muitas pesquisas já indicam e comprovam os diversos benefícios da meditação, você não tem nada a perder.

 

5. Por quanto tempo?

Hoje eu medito em torno de 10 / 15 minutos.

Já usei o timer do celular para me avisar quando o tempo tinha acabado, mas hoje eu deixo meu tempo mais livre e termino de meditar quando me sinto tranquila. Normalmente fica entre 10 e 15min.

Também já participei de um grupo que meditava por 40 minutos. Não sei ao certo o que é melhor, você precisa descobrir o que é melhor para você.

Comece e vá testando tempos diferentes, livre ou marcado, para ver como se sente.

 

E funciona isso?

A prática da meditação me ajuda a colocar foco no momento presente.

Se eu perdi um job ou se um cliente reprovou uma marca, tudo isto está no passado. E embora eu tenha que tomar ações e providências, eu não posso mudar o que aconteceu.

Por outro lado, se estou aguardando a resposta do cliente ou com medo de não fechar as contas do mês, estou ansiosa com o que vai acontecer no futuro. E o futuro depende das decisões que eu tomar hoje.

Com a meditação eu me sinto mais tranquila para tomar decisões melhores no momento presente. Não é uma pílula mágica que resolve todos os meus problemas, mas é um hábito positivo que me ajuda a manter o foco nos meus objetivos e me mantém produtiva.

 

E se você quiser mais informações, de pessoas mais experientes que eu, recomendo estes links:

Vídeo para iniciantes com Amanda Dreher – professora de meditação.

4 passos para você aprender como meditar: artigo da professora Amanda Dreher, falando em detalhes sobre como você pode começar a meditar. 

Sete técnicas para meditar e acalmar a mente: esta matéria é simples mas acho interessante por que lista diversas formas de meditar. Talvez você ache alguma que sirva melhor pra você.
 

Princípios e tipos de meditação: este artigo fala um pouco sobre os princípios da meditação e descreve 3 tipos que você pode tentar para ver qual se adapta melhor a você.

 

E você, já tentou meditar? O que acha da ideia? Participe abaixo nos comentários e vamos desenvolver mais o assunto.

 

Todas as informações contidas neste artigo são de responsabilidade do seu autor e não necessariamente refletem a opinião do site. Quer publicar suas ideias no Aparelho Elétrico? Colabore.

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Dani Lima Freelancer, designer de marcas, mãe, whovian, corredora, nerd, introvertida e feminista. Mas nem sempre nessa ordem. Para mais bate-papo ou para ser o meu próximo projeto favorito, dá uma olhada em danilima.com.br
Recomendados para você
 podcast
Os benefícios da meditação são comprovados cientificamente e começar a praticar pode ser mais fácil do que você imagina. Vem ouvir!
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.