Podcast: Erros Comuns que os Freelancers Cometem
 Publicado: 09/08/2016 Atualizado: 30/10/2016

Podcast: Erros Comuns que os Freelancers Cometem

Carolina, Henrique, Vinny e Walter comentam erros recorrentes na vida dos profissionais independentes.
  Por Henrique Pochmann
Oops... desculpa ae

[download] [feed] [itunes]

 

Participantes deste episódio

freelancer-henrique-pochmann

Henrique Pochmann
Freelancer e editor do Aparelho Elétrico

carolina-walliter-freelancer-em-traducao 

Carolina Walliter
Tradutora freelancer na Pronoia Tradutória.

vinny-campos-freelancer-e-nomade-digital

Vinny Campos
Designer no Studio Lhama e nômade digital no A Path to Somewhere.

Designer Freelancer Walter Mattos

Walter Mattos
Designer Gráfico freelancer no waltermattos.com e Youtuber no waltermattosvideos

 

Alguns pontos altos da discussão

  • Freelancer Full Folio. Um template WordPress exclusivo para Freelancers;
  • Comentários sobre o podcast “Relacionamento com o Cliente”;
  • Sobre projetos intermináveis;
  • Filtrar clientes e devolver o dinheiro;
  • Sobre usar emoticons ao se comunicar com o cliente;
  • Google Drive para armazenar dados;
  • All work and no fun makes Jack a dull boy;
  • Cronometrando o tempo de trabalho;
  • Extensão que a Carol usa: Pure Pomodoro;
  • Ser ou não ser Workaholic?
  • Trabalhar melhor para trabalhar menos;
  • Site para ouvir sons de cafeteria: Coffitivity;
  • O poder da power nap;
  • Busque arejar a cabeça em atividades extra trabalho;
  • Sobre aceitar projetos só pela grana;
  • Perder o medo de desagradar o cliente;
  • Prazo e taxa de urgência;
  • Planejando a transição de funcionário para freelancer;
  • Pensar menos como funcionário e mais como empreendedor;
  • O freelancer tem que ser acessível aos clientes;
  • Atenção no tempo gasto respondendo e-mails;
  • Tempo a gente não recupera;
  • E o portfólio, tá atualizado?
  • Divulgando o trabalho através de projetos paralelos.

 

E você, tem algum erro pra compartilhar com a gente?

Conta pra gente nos comentários algum erro que você já cometeu ou ainda comete. Vamos levar esse assunto adiante. Assim a gente gera mais conteúdo relevante pra toda a nossa comunidade de freelancers.

Talvez você se interesse também pelo Infográfico 50 erros que afastam os freelancers do sucesso que o Aparelho Elétrico produziu.

 

Posso te pedir um favor?

Se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais. Isso ajuda o Aparelho Elétrico a continuar publicando conteúdo de qualidade de forma gratuita.

Cadastre-se na nossa newsletter e seja avisado da publicação de novos podcasts como esse. Basta colocar seu e-mail no box abaixo.

Abraço e até a próxima!

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann
Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.

Recomendados para você
 Gestão
Talvez você esteja errando em algo que está custando o sucesso da sua carreira como freelancer. Tire essa dúvida agora!
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • alphajorstudio

    Podia ter um novo a cada semana! Também estou procurando um método de trabalho que funcione melhor. Por enquanto acho que o que mais deu certo se aproxima a dica do Walter Mattos, de trabalhar com “blocos” de 1h30, desligar WhatsApp, Facebook, Email (exceto o podcast do Aparelho Elétrico) e tentar manter foco total nas atividades. Antes tentava seguir a risca os horários, cronometrando o tempo, mas acho que acabava ficando mais estressado. Dividir em blocos, até ajuda na hora de contabilizar as horas total do projeto. Curti também a dica da Carol da power nap para dar uma recarregada, vou tentar implementar no meu dia a dia :)

    Um abraço a todos, boa semana!
    Marcelinho

    • Fala, Marcelinho! Obrigado por ouvir mais uma vez!

      Ter um por semana é a intenção. Mas ás vezes a semana acaba antes dos jobs. :)
      Valeu por compartilhar um pouco da tua experiência. Também curti o lance da power nap…

      Grande abraço!

    • Carolina Walliter

      Tudo bom, Marcelo? Que bom que gostou da dica, esse tipo de soneca estratégica é revigorante, funciona de verdade!

      Abraço!

  • Gustavo Alonge Furtado

    Um erro que eu cometi , foi esperar o cliente aparecer. Hoje, os designers, devem explorar cada vez mais os métodos de marketing digital, isso ajudará muito nas vendas! Então, gerar conteúdo de valor vai trazer novos clientes e aumentar o valor percebido para seu nome e sua marca.

    • Boa, Gustavo! Muito bem lembrado.

      Como falamos em um podcast anterior e já falei também aqui em um artigo sobre networking.. o ideal é que os clientes surjam por indicações… isso aumenta as chances de fecharmos o job e o cliente nos leva mais à sério.

      Porém, nem sempre temos esse tempo… neste caso, uma prospecção mais ativa e uma estratégia de marketing é fundamental.

      Grande abraço e obrigado por contribuir, meu caro! :)

  • TatiHardt

    Sobre manter os trabalhos na nuvem, eu deixo tudo no Google Drive e uma vez por mês faço um backup pro disco rígido. É bom porque está acessível de qualquer aparelho e eu odeio pendrives e HDs externos, mas não dá pra confiar 100% também. Adorei o podcast, abraços!

    • Legal, Tati.

      Me dá uma dica? Você consegue automatizar esse processo de backup pelo Drive? Digo, sabe dizer se é possível agendar um horário para que o backup seja feito diariamente?

      Estou pensando em abandonar os HDs externos, mas ainda não tive coragem. :)

      Um abraço.

      • TatiHardt

        Hm não sei não, mas eu também não sou muito noiada com backup hehehe. O Drive é bem confiável, eu uso há uns quatro anos já, só copio e colo a pasta de trabalhos no disco rígido uma vez por mês e vou substituindo os arquivos repetidos. Mas é só dar uma pesquisada na internet que você vai encontrar vários programas de backup :)

        • Falando sobre Backup, me veio a dúvida… quanto tempo vocês, @TatiHardt:disqus , @carolinawalliter:disqus, @waltermattos:disqus deixam os arquivos dos jobs já realizados nos arquivos de vocês? 1 ano, 2 anos, pra sempre?

          • TatiHardt

            @henriquepcm:disqus pra sempre hahaha. Tenho quase todos os arquivos da época da faculdade também, e olha que não são poucos.

          • Pô… pra sempre, não é tempo demais, @TatiHardt:disqus e @waltermattos:disqus ?

            Passei por uma situação que me fez repensar o lance de manter os arquivos dos clientes aqui.

            Sempre achei essa função de backup muito chata e pode se tornar bem cara com o passar do tempo, sem contar que nossos clientes não pagam por “armazenamento de dados”… ou pagam vocês? :)

            Mas então.. teve um final de ano que um cliente me pediu um cartão de natal que eu tinha feito 3 anos antes… ele só queria alterar o ano e enviar para seus clientes. Isso mesmo, o MESMO cartão, porém com o ano alterado.

            Eu havia trocado de computador e não fiz questão de manter jobs super antigos. Obviamente ele não ficou nada feliz que com isso.

            A partir daí, adotei a estratégia “toma que o filho é teu”. Ela consiste em receber o pagamento e liberar os arquivos fonte para o cliente. Sempre oriento ele dizendo que é bastante importante que ele salve o arquivo em um lugar seguro, pois pode vir a utilizar o arquivo no futuro.

            Isso também evita aqueles pedidos fora de hora pra liberar arquivos fonte pra nova impressão ou algo do tipo.

            Até agora, não tenho o que me queixar disso.

            Abraz!

          • O meu “pra sempre” é por enquanto, pelo menos.

            Gosto de ter essa oportunidade de quebrar o galho do cliente de vez em quando. Coincidentemente o mesmo aconteceu comigo semana passada, um cliente pediu um logo que utilizei pra montar o site dele, também feito há 3 anos atrás. O engraçado é que a marca nem fui eu quem fiz, eu apenas usei no site.

            Enfim, além de ter arrumado a marca pra ele, perguntei em qual formato/tamanho/cor ficaria melhor.
            Como resultado, recebi um e-mail gigante agradecendo a forma como eu lidei com essa situação, de correr atrás e ajudá-lo a resolver seu problema. Ele queria me pagar pelo “serviço”, mas desconsiderei. Sim, eu poderia cobrar e isso seria totalmente justo, mas é um cliente antigo com o qual tive um ótimo relacionamento e, hoje, só não é mais cliente pois não trabalho mais com sites.

            Meu pagamento foi apenas o fato de ter ajudado ele a resolver um problema. Acho que se o backup tiver pelo menos essa utilidade eu já fico feliz. Além do mais, aos olhos do cliente isso tem um valor absurdo, e isso fortalece sua imagem por mais que esse não seja seu objetivo.

            Mas vejo outras utilidades que vão além dos projetos realizados. Nem sempre vou conseguir ou querer ajudar o cliente dessa forma, fato. Mas às vezes eu mesmo posso precisar daquele logo para um projeto no futuro, caso o cliente volte. Quem sabe? Além disso, preciso de backup dos meus vídeos, por exemplo. Caso o Youtube um dia decida explodir, meus vídeos estão comigo, saca? Preciso tê-los bem guardados. Além disso, é sempre bom saber que consigo matar saudade daquele projetinho bacana que fiz na faculdade.

            Abração.

          • Boa, Waltinho! É com certeza uma perspectiva válida também. (Y)

          • Boa! E não é que aconteceu isso comigo exatamente hoje, o cliente veio dizer que queria fazer uns cadernos, que eu tinha feito em 2012/2013, e basicamente ele só quer atualizar algumas informações.

            Eu vou guardando não tenho regra, o que acontece é que pelo menos 1 vez por ano eu dou uma geral e apago alguns projetos que não são muito legais.

            Eu já trabalhei com fotografia também era meio paranóico, sempre fazia backup num hd externo, mas depois que parei com isso e vi que em 4-5 anos não toquei nos arquivos, resolvi apagar tudo. E acabei reduzindo de 1TB pra cerca de 100Gb ai fui pro Dropbox.

            Hoje no Dropbox, tenho uma pasta dos projetos que tenho tudo lá dentro organizado, mas também tenho pasta de documentos, comprovantes, etc. E praticamente nunca mais mandei arquivos anexos nos emails, fica tudo muito mais ágil com Dropbox.

            As vezes até pra pequenas alterações, cliente está decidindo na hora eu uso o esquema de screenshot que automaticamente já vai pro dropbox e ele grava um link na memória ai só dar um colar.

            =)

          • @henriquepcm:disqus , para “sempre” enquanto a mídia onde ele estiver gravado não colapsar. (rs) Sou da época onde ainda se fazia backup em CDs, então tenho gravações de todas as minhas etapas profissionais e, inclusive, de projetos da época de faculdade.

            Sobre os programas de backup, @TatiHardt:disqus , já utilizo um muito bom que joga tudo para os meus HDs externos, como falei no Podcast – o Cobian Backup. Ele atualiza o backup todos os dias às 15hs, que é um horário onde eu certamente estou com o PC ligado. Ele sobe apenas arquivos novos ou atualizados, mantendo o que já estiver por lá sem perder muito tempo.

            O problema é que queria essa mesma função para backups online, já que já estou quase chegando aos meus 3TB de capacidade! :D

            Valeu pela resposta. Abração!

      • Walter. Eu ja crio td numa padta do drive e o bkp é automático. Atenção pq o drive tem um bug. Se vc estiver mexendo em um arquivo pesado e salvar, o drive sobe na hora, mas é um arquivo pesado. Se vc salvar outra vez enqt ainda estiver subindo, o drive joga teu arquivo na lixeira do drive. Vc fecha seu documento, vai olhar na pasta e cadê??? Gela! Rs o segredo é não salvar nada na sequência ou pausar a sincronização e rodar sempre no final de cada dia. Dropbox não tem esse bug. Uso os dois e td meu tá na nuvem.

        • Caramba, cara! Corajoso você, Leo!
          Depois vamos trocar uma ideia e você me mostra aqui no escritório como é esse processo.
          Abração!

          • Pra começar, todos os arquivos da LUZ a gente mantém em Dropbox. Isso nos permite mobilidade e trabalho remoto. Já nos arquivos pessoais, uso o Drive pagando menos de 10 doletas/mês e funciona muito bem pra mim.

    • Carolina Walliter

      Tudo bom, Tati?

      Engraçado, o Google Drive é muito vagaroso comigo (ou eu que sou muito acelerada). Acabei optando pela versão paga do Dropbox que, por sua vez, está criando recursos bem úteis para quem trabalha remotamente, como eu. E, assim como o Walter, não tenho coragem de abandonar o HD externo, mas admito que sou relapsa na frequência de backup que faço para ele. É tanta coisa para dar conta, né?

      Abraço!

      • TatiHardt

        Pra falar a verdade eu não curto muito o Drive, o Dropbox dá 10 a 0 em questão de velocidade. Só que o Drive vem com Gmail, Photos e Docs (eu não uso Office), então eu acabo pagando espaço pra todos esses juntos, e por enquanto não extrapolei os 125gb. Infelizmente, com a atual cotação do dólar, não to podendo pagar U$9,99 por mês em nenhum dos dois haha.

        • Carolina Walliter

          Tá certíssima em economizar!

    • Já eu consegui uma promoção do One Drive e tenho 1TB pra usar :O
      Então já crio tudo por lá, fica super fácil. To amando o One Drive pq é super rápido e a interface é linda.

  • Que surpresa boa. O Walter me falou que fui citado e vim aqui, mais uma vez, ouvir o podcast. Mais uma vez, parabéns! Dicas muito valiosas mesmo. Obrigado pela citação, galera!

    Sobre o tema de hoje, eu trabalho em uma empresa no Rio de Janeiro (LUZ.vc) que tem um perfil bem diferente de empresa. Pra começar, funciona em um coworking e a galera só vai pra lá se quiser. Essa semana, por exemplo, não fui e nem vou pra lá. Isso faz com que a organização de trabalho tenha que ser extremamente eficaz. Ainda mais se pensar que continuamos sendo um time e o trabalho de um influencia o cronograma do time como um todo. Pomodoro, como citado, é realmente uma boa.

    A LUZ é uma empresa que ajuda, principalmente, pessoas que já têm ou querem ter um negócio. Atualmente, estou envolvido em um novo projeto que será voltado para “educação” para aqueles que já estão nesse caminho de ser freelancer/empreendedor. Como estou muito envolvido nesse tipo de público, percebo que o freelancer deve ter comportamento de empreendedor. Ou seja, além do “skill” oferecido como serviço, o freelancer também tem que entender de prospecção de clientes, fazer fluxo de caixa, traçar estratégias de crescimento, etc. E se tem um erro muito comum entre freelancers full-time é esse: sem gestão financeira básica e sem estratégia de captação de novos clientes, acabam não obtendo sucesso e voltam para o mercado não por desejo, mas por necessidade.

    • Exatamente, Léo. Por isso digo que para ser freelancer é preciso “gostar” de tudo que vem no pacote – criação, atendimento, gestão, etc.

      É claro que isso não significa que é impossível atuar por conta própria sem dominar todas as funções. Para isso existem os sócios/parceiros. Mas para os lobos solitários é essencial se envolver com todas as áreas ou, caso contrário, dificilmente o negócio sobreviverá por muito tempo.

      Abração.

      • Waltinho, meu amigo. Desde que te conheço vc controla td em planilhas. Sem dúvidas vc é um cara que tem esse perfil de gestão empreendedora e, não por acaso, vive como freelancer há aproximadamente 10 anos. Talento e gestão te permitem isso, amigo :)

        • O cara sabe mais da minha história do que eu! (rs)
          A memória já começou a falhar com a idade. Tá aí uma das vantagens de você ser o caçula.
          Abração!

    • Carolina Walliter

      Tudo bom, Leo?

      Já ouvi falar da LUZ.vc, só não lembro a fonte.
      Que projeto bacana! Iniciativas de empreendedorismo e educação são excelentes e, felizmente, a demanda pela tradução/versão desse conteúdo está crescendo. Sucesso para vocês!

      Abraço!

      • Que legal!!! Espero que vc tenha ouvido boas notícias hehe. Nos esforçamos pra ajudas pessoas em seus negócios e costumamos receber bons feedbacks. estar la me fez aprender muito sobre gestão. Hj entendo sobre fluxo de caixa, viabilidade econômica, matriz swot, etc rs. Vejo o qnt isso pode ser importante para a saúde de um negócio.

        Ps.: respondendo via cel. Seja tolerante com meus erros hahaha

        • Carolina Walliter

          “Saúde do negócio”, falou tudo, Leo.

          Abraço!
          PS: quem nunca ficou refém do corretor ortográfico do celular que atire a primeira pedra! rs

    • Grande Leo!

      Sempre com ótimos comentários, tá com 100% de aproveitamento. :)

      Gostei especialmente dessa parte “sem gestão financeira básica e sem estratégia de captação de novos clientes, acabam não obtendo sucesso e voltam para o mercado não por desejo, mas por necessidade”. É o que sempre tento salientar nos podcasts e posts aqui do blog.

      Acho que em função disso, tá caindo de maduro já um podcast sobre “mentalidade empreendedora” ou “comportamento empreendedor”.

      Grande abraço e obrigado por contribuir, meu velho.

      • Obrigado. Um prazer participar hehe. Ótimos temas caindo de maduro, cara! Na sequência, poderia sugerir tb algo como “ser freelancer full-time ou part-time?”. Muita gente sonha em ter a sonhada autonomia, mas o medo trava isso. Medo de não conseguir pagar as contas, medo de perder o glamour da “batida de cartão” do trabalho formal, etc.

        Sucesso ai!

  • Muito bom!!! Gostei demais desse episódio.

    Então uso Dropbox 100%, funciona muito bem e uso pra varias coisa não só pro trabalho mas pra coisas pessoais documentos é essencial pra mim. Uso plano Pro deles de 1TB (exagero mas é a opção que tem).

    Lance de horas to na linha do Walter , trabalhando de 4 a 6 horas produtivas por dia. Tenho usado o Toggl pra trackear as horas até pq consigo emitir relatório de horas em diferentes moedas, e diferentes valor / hora.

    Portfolio atualizado é complicado… preciso tomar vergonha e organizar tudo. Tenho coisas antigas no site, coisas no behance e coisas no dribbble. Esse é um tema interessante.. pra mim um dilema, criar um portfolio x atualizar o dribbble (já veio clientes por lá) x behance (lance de comunidade mensurar a aceitação do trabalho) e tem ainda uma forma nova, escrever casos no Medium? Pois hoje é muito importante mostrar números, crescimento, etc principalmente quando você trabalha com design (ui/ux) e não só gráfico. Tem um case do Renato Cesar bem bacana que costumo usar de exemplo quando a galera mais nova vem me perguntar, esses dias mesmo dei uns toques pra um cara novo que tá entrando agora como empreendedor e trabalhando com marketing digital falei da importante de escrever o caso, mostrar números, gráficos etc, e 2 dias depois ele me mandou o link e realmente me surpreendeu que ele fez a lição de casa e pegou a essência da idéia que passei.

    Pow @waltermattos:disqus você fez a marca da Design Nerd eu não sabia que legal kkk =)

    Realmente muito bom esse episódio! Parabéns!

    • Hahua fala Toledo. Po, você anda muito sumido cara! Por isso você tá desinformado aí, viu? :P

      Bem legal saber teu processo, cara. Lembro de já ter dado uma olhada no Toggl, mas não consigo me adaptar a nenhum desses programas de track e gerenciamento. Por alguma razão me adapto melhor com o bom e velho Excel.

      Muito legal saber que você conhece o podcast. Fiquei feliz em saber.

      Abração, cara.

      • Fala @waltermattos:disqus verdade andei sumido mesmo kkk mas agora to engrenando e me atualizando.

        Então o Toggl é bem legal, me da um toque no skype que te mostro rapidinho como uso ele… tenho certeza que substitui um excel e ainda ajuda principalmente quando você tem varios clientes, e clientes com diferentes valores horas, por exemplo tenho um valor hora padrão, mas por algum motivo fechei um valor hora mais baixo devido ao volume de trabalho, contrato etc. Ai tem a questão de moedas diferentes, hoje atendo um cliente da Australia tmb.. ai fica bem legal poder centralizar tudo em uma ferramenta. É basicamente play/stop. Se você tem alguém que trabalhou com você tmb da pra incluir etc. enfim.. hehe e gero um PDF clean pro cliente com toda lista de tarefas que fiz etc.

        Abração! To acompanhando aqui!

        • Vamos trocar essa ideia qualquer dia sim.
          Abração!

    • Boa, Marcio!

      Cara, achei bem interessante esse lance do Toggl, vou anotar aqui pra olhar mais de perto. Bela dica.
      Só não curti que os caras exploram trabalho infantil. ;)

      • Hahuahuahua putz!

      • ahahhahahaa sacanagem pelo menos eles usam uma cadeira ergonomica, testa sim qq coisa me da um toque que mostro como uso =)

  • Guido Pratti

    Adorei o papo da Carolina! Seria legal se vocês falassem um pouco mais sobre tradução e design de livro e revistas para freelancers. Tão de parabéns. :D

    • Que bom que curtiu, Guido! A Carol manda muito bem mesmo. :)

      Sugestão devidamente anotada.

      Obrigado por participar, meu caro! Grande abraço!

  • Daniel Spacof

    Caras, gostei muito do podcast!
    Conheci através da newsletter do Walter, muito útil, ganharam um novo inscrito, abraço!

    • Olha só que bacana, Daniel!
      Duas notícias boas: 1 – saber que você descobriu e curtiu o Aparelho. 2 – saber que você assina minha News! <3 huahuhua
      E olha, tenho acompanhado teus vídeos. Ontem vi um sobre marca de corte. Parabéns, cara!
      Abração.

      • Daniel Spacof

        Gostei muito Walter! Eu sou meio viciado em podcasts, foi ótimo ter descoberto este sobre este tema tão específico, obrigado pela indicação dele em sua news, por isso assinei ela, sabia que receberia coisas úteis ^^
        Poxa, legal que você tem acompanhado o canal, acabei de assistir seu vídeo de hoje sobre Cinema Graph, muito bom!!!
        Abraço!

        • Que maneiro, cara! :D
          Abração e bons podcasts pra você.

    • Fala, Daniel!

      Legal que curtiu o podcast. :)
      Dei uma olhada no teu trabalho… muito legal, cara! Parabéns!

      Espero que continue participando por aqui.

      Grande abraço!

      • Daniel Spacof

        Fala Henrique! Gostei sim bastante, você manda bem como host, parabéns!
        Que bom que gostou do canal, estarei sim por aqui, já me inscrevi no feed.
        Abraço!

  • Como sempre arrasando nos podcasts!
    Dicas preciosas, como recusar um cliente que dará prejuízos temporais, emocionais e financeiros hahaha.
    Algo que estou tentando aplicar no meu início de carreira freelancer: ser fiel ao meu preço e ao meu posicionamento.
    Até que eu me estabilize com uma boa rede de clientes, preciso trabalhar em um emprego convencional, de preferência em algo que não sacrifique minha paixão pelo design. Acho que é a melhor estratégia para não se desesperar e acabar pegando um trampo por um preço que não condiz com minha perspectiva e com a qualidade do meu trabalho!
    Fora isso, meu maior erro até agora foi não fazer um contrato.
    Abraços a todos!

    • Legal te ver por aqui, Nicole!

      Muito pé no chão teu comentário…. é bem por aí: “achar algo que te sustente mas não mate sua paixão pelo design”. Muito bem colocado!

      Acabou levando calote pela falta do contrato? Poutz.

      Grande abraço e obrigado por participar. :)

      • Sim, já faz um tempo. Eu nem pensava em ser freelancer ainda. Trabalhava temporariamente como recepcionista pra uma pessoa e ela pediu pra fazer o logotipo da empresa dela. Deixei claro que um serviço não tinha nada a ver com o outro, fechamos um preço e eu comecei a fazer. Resultado: ela desistiu no meio e eu não pude fazer nada. No fim, o cara de uma gráfica fez um logo horroroso de graça pra ela – que até ela tem vergonha de usar. Em compensação, tenho um lindo projeto pra exibir no portfolio ahhhaha

        • hahaha.. história clássica de cliente iniciante. Infelizmente acontece com frequência.
          Pelo menos é projeto pro portfólio. :)

          • Sim, tenho muito orgulho desse projeto! O que me ajudou a superar a raiva da cliente hahaha Mesmo a culpa tendo sido minha né…

  • Sander Dias

    To devorando o Cast galera :D
    Descobri a pouco tempo e tive a grande surpresa de ouvir o Walter, que sigo a um bom tempo, com um papo super relevante pra todo profissional criativo e freela, ducarai :P

    Tenho uma sugestão de tema pessoal:
    Estou me graduando em Design Gráfico, estou no 7º semestre e por questões técnicas da facul, acabei acompanhando varias turmas, calouros e veteranos. E venho percebendo que a galera ainda tá meio desligada do que é, ou o que pode ser Design em si, não só o Design Gráfico, mas o Pensar Design, o olhar criativo que vive coletando inputs, perguntando os porquês, pesquisando referências pra gerar, combinar, novos outputs, num ciclo saudável e divertido.

    Cheguei conversar com uma colega de turma que está no 4º Semestre na matéria de Projeto de Interfaces, citar o Behance (grande banco de referências pra projetos do tipo) e a mesma não conhecer a plataforma… isso é compartilhado com alguns alunos tantos mais novos quanto veteranos de 4º semestre. Infelizmente as universidades não vem trabalhando em um conteúdo ou planejamento de matérias, iniciais principalmente, com grande impacto e que sejam apaixonantes. Acabei repetindo algumas matérias com o mesmo professor, que dá a mesma aula de quando eu peguei da primeira vez, com as mesmas referências de anos atrás, quer dizer nada mudou de 2 anos pra cá? Nenhum exemplo mais recente?

    Bom essa é uma situação complexa, mas eu quero fazer a diferença na minha universidade produzindo um conteúdo, uma palestra, com uma coletânea de dicas, referências, canais, apps, softwares, conteúdos e todo tipo de material que transforme, ou no minimo excite, o Mindset do recém matriculado e o faça perceber quais são as possibilidades desse mundo criativo. Consumo de podcast é quase imprescindível kkk tem tanta coisa pra aprender ai sobre marketing digital, comportamento e compartilhamento de insights de grandes empreendedores, que dão um banho de motivação pra se tomar todos os dias, como vocês!

    Então, em fim, que tal UM cast sobre, Dicas para quem está na Faculdade? Como se comportar, como aprender melhor e criar networks eficientes na sua instituição, ou como o Mindset de um Freelancer pode ajudar na faculdade? Algo por ai. Dei toda a introdução pra que o sugestão ficasse bem embasada e que vocês possam entender a carência que existe nesse universo também.

    Obrigado pelo conteúdo gratuito e com SUPER VALOR que vocês compartilham com a gente, um grande abraço a todos.
    (Espero q leiam esse meu textão, vale a pena :)

    • Garoto Sander! Seja muito bem vindo!

      Mandou bem, hein?
      Parabéns por essa sua visão e por querer compartilhar conhecimento com teus colegas de faculdade! Não perca essa postura que você vai longe, cara!

      Essa questão da faculdade volta e meia aparece aqui pelo blog, nos comentários ou nos e-mails que recebo. Eu tenho o pé atrás com faculdade, acho que elas não entregam um conteúdo a altura do valor que os alunos investem. Pelo menos na minha época foi assim… e pelo seu relato, a coisa não anda muito diferente. Às vezes é mais vantagem o cara devorar conteúdo pela internet do que investir o valor de um carro 0km numa faculdade. Salvo alguns casos que a faculdade é exigida para o exercício da profissão.

      No mais, muito obrigado pela sugestão de tópico, com certeza dá pra desenvolver bastante. Sugestão devidamente anotada!

      Grande abraço e obrigado por participar!

      • Sander Dias

        Muito obrigado Henrique pelo feedback, seu esforço em responder todos os comentários é fascinante, estava ansioso pela sua replica. Ansioso tbm por mais Casts e principalmente algum por esse caminho que discutimos. Grande abraço! :)

    • Luan Lucas Palestrante

      @sanderdias699:disqus cara, você resumiu na frase:

      “…Pensar Design, o olhar criativo que vive coletando inputs, perguntando os porquês, pesquisando referências pra gerar, combinar, novos outputs, num ciclo saudável e divertido.”

      o que penso e sinto sobre o design, mas nunca consegui sintetizar em tão poucas palavras.

      Não tive a oportunidade de fazer faculdade, aliás, nem de Design nem outra, pois o fato de ter sido registrado aos 18 anos (é isso mesmo, certidão de nascimento e tudo) entre outras dificuldades, me atrapalharam a seguir a vida acadêmica.

      Mas louvo a Deus que, apesar das dificuldades que tive, não as deixo me desanimar, pelo contrário, uso elas para criar mais com menos e, há um ano e meio +/-, quando decidi trabalhar com design, fui me apaixonando por esse ramo exatamente através desta linha de raciocínio que a sua frase destacada por mim diz.

      Aliás, percebi que faço isso a vida toda sem perceber, pois desenho desde os 9 anos.
      Este processo tem sido fundamental para realizar o trabalho que faço hoje, já reconhecido, graças a Deus!

      Vamos trocar umas figurinhas, amigo. Será um prazer fazer network e trocar experiências.

      Meu e-mail é contato@eufacopublicidade.com.br, whts: (32) 99131-3371.

      Forte abraço e até mais.

  • Luan Lucas Palestrante

    Bom, falando de erros, eu cometi vários quando comecei. Tinha acabado de sair de uma empresa de TI onde trabalhava prestando serviço de vendas terceirizado, cumprindo 44 horas semanais. Minha esposa estava grávida e precisávamos de um retorno rápido. Tive que “virar dinheiro” no 1º mês devido a nossa graciosa situação, mas de grande responsabilidade.

    Criamos 3 planos de fee mensal (na época nem sabia deste termo, rs) onde vendíamos o serviço de gerenciamento de redes sociais e desenvolvimento de sites. Aprendi a trabalhar trabalhando. Não tive tempo de estudar antes.
    Fiz alguns cursos pela net e quando deu, compramos o 1º curso mais especializado.

    Os erros foram imensos. Sem dúvida um dos maiores, se não for o maior, foi ter cobrado 87,90 (nosso plano mais baixo) pelo serviço de social media. Vendi relativamente bem mas chegou o ponto onde tinha muito trabalho e pouco retorno, foi quando tive de me reinventar. Engoli muito conteúdo sobre produtividade, conheci o Trello e criei um método onde ganhei +/- 40% de tempo. Logo depois mudamos o preço e hoje, estou mais confortável financeiramente, um pouco mais experiente e com 1 cliente fora do País, no Chile. (Chique, né? Rs)

    E isso tudo em menos de 1 ano. Devo isso em 1º lugar a Papai do Céu que me deu o gosto pelo desenho aos 9 anos, ao @waltermattos:disqus que, através de seus tutoriais, me ensinou o que sei sobre Ai e ao AE, que por coincidência descobri agora que, um infográfico que li lá no início foi feito por você @henriquepcm:disqus e fui conhecer meses depois de fato o AE através do Walter.

    Adorei o podcast, compartilhei no meu Twittet e LinkedIn com grande prazer. Obrigado por tão rico conteúdo.
    Quando preciso de motivação, recorro ao “pod” do AE.

    Abraços!

    • Luan, que história bacana, cara.

      Fico feliz que o Aparelho Elétrico esteja presente e colaborando aí na tua jornada. Sinal de que estamos cumprindo nosso propósito aqui. Legal mesmo saber disso. :)

      E quanto a essa passagem:

      Vendi relativamente bem mas chegou o ponto onde tinha muito trabalho e pouco retorno, foi quando tive de me reinventar.

      Cara, também já passei por isso. Uma época negociei (mal) fees com 3 clientes. Também me vi sobrecarregado de trabalho e tive que pular fora da negociação, virou uma situação insustentável.
      Mas foi uma boa experiência para aprender bastante.

      Grande abraço!

      • Obrigado pela resposta, @henriquepcm:disqus. É isso aí, estão cumprindo sim! Sou fã de carteirinha do AE. :)

        Pois é cara, um empresário aqui da minha cidade me ensinou uma frase que tento levar comigo:

        “Perca o negócio, mas não no negócio!”

        Fica a dica aí para o pessoal que passa por isso.

        Vlw, brow! Até o próximo pod!

    • Muito bacana conhecer sua história, Luan. Parabéns, cara!

      Obrigado pela menção e apoio de sempre. Fiquei feliz em saber que conheceu o Aparelho por mim. :D

      Abração!

      • Obrigado @waltermattos:disqus pela resposta! É importante para mim que você conheça a minha história e o quanto sou seu fã. Gostaria de um dia, quem sabe, poder te conhecer e ganhar um autógrafo (bem disse o @henriquepcm:disqus que você virou celebridade, rs).

        Forte abraço e até a próxima!

        • Que isso, cara! Que autógrafo! Henrique fica inventando moda.
          Mas valeu pelo carinho, Luan.
          Abração!

        • To aqui matutando, queria lançar uma campanha: compartilhe e ganhe um autógrafo do Walter Mattos. =P

  • Robson Almeida

    Gostei muito do programa. Parabéns pessoal. Recomendei aqui para os amigos. Como sugestão, acharia legal a participação de redatores freelancers, que é meu caso. Grande abraço!

    • Fala, Robson! Bacana que curtiu o programa. Obrigado pela sugestão. Na verdade, é o que venho tentando fazer, mas os designers ainda são os que mais se aproximam do blog, então a escolha para o programa acaba sendo algo meio natural. Mas estou com essa ‘diversificação’ em mente. ;)

      Grande abraço!

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.