Podcast: como parar de procrastinar?
 Publicado: 27/06/2017 Atualizado: 12/07/2017

Podcast: como parar de procrastinar?

Somos naturalmente mais atraídos por tarefas simples que geram recompensas imediatas. Como fugir disso para fazer o que precisa ser feito?
  Por Henrique Pochmann
Primeiro mandamento do profissional independente "Não procrastinarás!"

[download] [feed] [itunes]

A ideia deste episódio é gerar insights para aqueles momentos onde a voltagem anda baixa, a motivação é quase inexistente, a pauta tá pegando e você não consegue produzir. Tudo parece ser mais tentador do que fazer o que de fato precisa ser feito. O que faz a gente procrastinar tanto? Será que é o isolamento? Será que é o clima? Será que é falta de exercícios? A falta de uma alimentação saudável? É a ansiedade? O perfeccionismo? Ou será que é vagabundagem mesmo?

Dá o play aí e vem ouvir o que temos a dizer sobre o tema. :)

Participantes deste episódio

Henrique Pochmann
Aparelho Elétrico

freelancer em design e ilustração franciane bourscheidt

Franciane Bourscheidt
Estúdio Candy

Freelancer em produção de conteúdo e social media Marcia Breda

Marcia Breda
Adoro Home Office

Vinny Campos

Vinny Campos
Studio Lhama

Walter Mattos

Walter Mattos
Walter Mattos

Timeline do podcast

Abertura

Leitura de Comentários

  • Canal Hel Mother no Youtube;
  • Mais empatia por quem tem filhos pequenos em casa;
  • Sobre a pressão social de ter filhos;

Pauta do Programa

  • O uso da função soneca no celular;
  • A sensação boa de acordar cedo e com calma;
  • Procrastinando com projetos pessoais;
  • Prêmios e punições;
  • Rotina é importante no combate à procrastinação;
  • Aplicativo Forest no iTunes e na Google Play;
  • Técnica Pomodoro;
  • Alimentação e a motivação;
  • Bagunça ao redor pode potencializar a procrastinação;
  • Começar o dia pelas tarefas complexas ou pelas tarefas simples?;
  • O prazo e a procrastinação;
  • Exercícios e esportes;
  • Vídeo no Youtube para Meditar por 15 minutos; 
  • Paul Jarvis;
  • Thomas Frank;
  • Livro ‘O Poder do Hábito‘;
  • A procrastinação também pode servir como um alerta;
  • Extensão Kill News Feed.

Como você tem lidado com a procrastinação?

Quero muito saber a sua opinião sobre o assunto. Deixe a sua participação nos comentários e vamos levar o assunto adiante.

Equipamentos utilizados nessa gravação

Placa de som – Presonus Audiobox USB
Fone de Ouvido – Marshall Major Brown
Microfone – Condensador BM-800
Tablet – iPad Air

Posso te pedir um favor?

Se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais. Isso ajuda o Aparelho Elétrico a continuar publicando conteúdo de qualidade de forma gratuita.

Cadastre-se na nossa newsletter e seja avisado da publicação de novos podcasts como esse. Basta colocar seu e-mail no box abaixo.

Abraço e até a próxima!

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann
Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.

Recomendados para você
 podcast
Já dizia alguém muito esperto "se você quer algo bem feito, faça você mesmo". Será que é mesmo por aí? Vem ouvir!
  Por Henrique Pochmann
 podcast
São poucos os seres iluminados que reagem bem a uma crítica negativa. Será que é possível aprender a lidar bem com isso?
  Por Henrique Pochmann
 podcast
Talvez você esteja perdendo um tempo valioso entre uma tarefa e outra. Vem ouvir dicas pra otimizar sua rotina e expandir sua produtividade!
  Por Henrique Pochmann
 podcast
Os benefícios da meditação são comprovados cientificamente e começar a praticar pode ser mais fácil do que você imagina. Vem ouvir!
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • Samir Petrillo Alfonso

    Saudades do Podcast!!

    • Espero que curta, Samir!

      • Samir Petrillo Alfonso

        Pô meu velho, sempre. Parabéns pra ti e todos esses convidados de elite que mantem o conteúdo excelente, indiferente do assunto. Como já disseram, parece que estão falando pra mim. Aguardo o próximo. Abs!

  • Raoni Machado

    Olha, francamente, vou fazer um desabafo…acho que essa questão de procrastinação e da preguiça é um mal da nossa geração. Existe uma turma grande que “glamouriza” a preguiça, que acha que é “cult” você ter uma postura preguiçosa. Vivem na eterna síndrome do dia seguinte, abominam o trabalho, abominam acordar cedo, abominam o chefe, e puxando um gancho com o podcast sobre filhos, essa geração também abomina muito a ideia de ter filhos, porque filhos são um grande sinônimo de responsabilidade. Não generalizo, mas acho que majoritariamente nossa geração cultua a preguiça.

    • Contundente, Raoni!

      O que percebo é que a época e outra, muita gente na casa dos 30 ainda mora com os coroas porque não conseguiu escolher um caminho financeiramente rentável pra seguir. O país tá na merda.

      Vejo sim um galera meio parada, mas não sei se é por preguiça. Talvez seja medo de tomar uma decisão, medo de que as investidas não deem certo, medo de não ser tão bom profissionalmente…

      E a questão dos filhos acho que acaba entrando nessa onda aí, como o cara vai ter um filho se a grana que entra mal dá conta pra uma pessoa? Encarar a bronca de ter filho é bem complicado pra quem é freelancer e vive de renda variável, ao meu ver.

      Obrigado por ouvir o episódio e compartilhar tua visão, acho muito válido pra gente refletir a respeito.

      • Raoni Machado

        Eu entendo que nossos pais e avós não viveram numa época de tanta concorrência, estresse e também de tentações tecnológicas. Mas ainda assim, no enfrentamento da vida, a nossa postura em comparação a deles (pais e avós) é um abismo de diferença. Mais uma vez, não generalizo, mas vejo uma tendência muito grande nesse caminho. Obrigado pelo debate.

        • Acho que a criação dos filhos também mudou. O que percebo (sem querer generalizar) é que a galera que nasceu pós anos 90 tem um relacionamento diferente com os seus pais.

          Acho que esses pais foram muito cobrados, exigidos na sua época e tendem aliviar um pouco para os seus filhos. Talvez esses filhos resultem em adultos que deixem o ninho mais tarde por isso. Talvez a pressão seja menor e eles demoram mais a tomar atitudes em relação a vida.

          Isso é só um pouco da minha visão de boteco.. não tenho como comprovar isso cientificamente… hahaha

  • Eu tô com a Marcia na luta de eliminar a função soneca, pra não começar o dia já sendo um looser…kkk

    Acho que vocês já tinham mencionando em um podcast anterior sobre trabalhar em blocos de tempo. Eu apliquei isso aqui no meu trabalho e tem ajudado bastante na organização das tarefas a com certeza ajuda a evitar a procrastinação e a trabalhar com foco.

    Incluir uma atividade física na parte também ajudou bastante no desempenho durante o dia.

    Concordo com o Walter Mattos, cada uma precisa descobrir a técnica que funcione melhor e criar a sua rotina. Para isso só testando muito! :)

    Abraços,
    Marcelinho

    • Marcia Breda

      Tamo junto, Marcelo!
      Vou contar que desde o dia da gravação eu tenho tentado eliminar o soneca, pq logo de manhã lembro das sábias palavras do Walter Mattos! hahahaha
      Já tive mais vitórias que fracassos.
      Vamos juntos!

      • ô, meu truque para eliminar o soneca foi o seguinte:
        – Tocou o celular, simplesmente sentar na cama. Sem pensar, sem sofrer.. nada. Sentar. E dai levantar.
        Consegui fazer isso por bastante tempo e, realmente, como o Walter disse é bem legal esta sensação de não começar o dia “desistindo”. O que me convenceu foi a lógica de “bom, eu não tenho escolha, vou ter que levantar mesmo. Então vamos logo”.

        Mas… preciso confessar que nos ultimos 2 meses isso não tem funcionando. Escorreguei de novo pro hábito da soneca. O cansaço me venceu algumas vezes e dai pra cair na armadilha da soneca foi um pulo. Mas quero muito voltar a levantar de pronto. Vou parar de tentar e conseguir amanhã :p Depois conto pra vocês.

        • Marcia Breda

          Vim contar que hoje eu acordei e sentei na cama e levantei sem pensar.
          Não que eu tenha acordaaaaado bem na hora, levantei meio zumbi, confesso.
          Mas esse método de nem pensar e levantar pode ser bom!
          e tu, Dani? Conseguiu hoje?

          • hahaha, um reality show onde a menina Marcia tenta se livrar do vício na função soneca. Acho que seria bacana pra alertar as pessoas sobre o impacto que isso tem na produtividade. ;)

          • consegui! :D

            Mas no dia seguinte, segui foi a dica do Luedy: usei o app Sleep Cycle. Por enquanto foi so uma vez, mas achei incrivel viu? Interessante essa coisa do telefone mapear seu sono leve e te ajudar a despertar quando estiver nesta fase. Vou continuar testando pra ver se funciona mesmo :)

        • Pois é, a gente falou muito do lance do soneca, mas não falamos muito do tempo de sono.

          Eu não uso o soneca, mas se durmo poucas horas, quando o despertador toca, eu simplesmente desligo e volto a dormir. Isso se não tenho nenhum compromisso.

          Acho que não tem como abrir mão do soneca se a pessoa tá dormindo pouco. Eu preciso de 8h de sono. Mas tem gente que precisa de 6h, outras até menos. Então, talvez a necessidade do soneca seja um sintoma de que a pessoa tá dormindo pouco, ou tá dormindo mal (alimentação pesada tarde da noite, preocupações…).

      • ô Marcia, minha profe de Yoga me deu uma sequenciazinha de posições bem relax pra fazer ao acordar, que ela diz que a gente não deve sair “quicando” da cama e tals.
        A boa notícia é que eu fiz e adiantou.
        A má notícia é que eu fiz uma vez só então não posso afirmar se foi efetividade ou sorte. rsrs

        • Marcia Breda

          Ahhh! Essa ideia de não sair quicando da cama é boa!
          Eu curto isso de levantar mais relax, ir acelerando ao longo da manhã.
          Acho que a meditação também pode ser uma boa tática, mas essa ainda não consegui colocar em prática! hahaha
          Me conta se funcionar nas próximas vezes também!

      • narinz
        • hahaha, muito bom!

          Perguntei na fan page do Aparelho quem usa a função soneca e me surpreendi com cada estratégia que o pessoal usa pra dormir mais:

          https://goo.gl/yV3V2Z

          • narinz

            Desativei o facebook pra evitar procrastinação. Hahahaha.

        • Marcia Breda

          PARA O MUNDO! <3
          SONECAS unidos para deixar o mundo mais criativo.
          Encontramos a explicação e não precisamos mais abandonar o soneca!

      • Aff! To me sentindo culpado por parecer que foi uma crítica do tipo “Olha aí, Márcia, se não acordar no primeiro despertador você tá na derrota, hein!!! Mas espero que essa mudança na rotina seja positiva. :D
        A verdade é que nem sempre vamos acordar 100% dispostos mesmo. Isso também depende muito da qualidade do nosso sono, da hora que fomos dormir no dia anterior…enfim. Não é sempre que eu levanto disposto e estico o lençol tal qual um militar. Mas ó, não conta pra ninguém! ^^

        • Marcia Breda

          Mas foi bem isso, Walter! Brincadeira, não teve nada disso não! Foi um ótimo ponto de vista.
          Essa mudança, por menor que seja, faz o dia começar mais cedo e ser mais produtivo!
          O lance é que a gente adora encontrar pesquisas que reforçam nosso comportamento mais automático.
          Mas tô vencendo o soneca e tem sido bem bom.
          :)

          • Hhauhua muito bom! Fico feliz.
            E hoje, justamente hoje, eu não consegui levantar cedo! Precisava do soninho extra. :)
            Beijão!

    • Boa, Marcelo!

      hahaha, a função soneca faz muitas vítimas pelo visto.

      O lance de trabalhar em blocos de tempo vem da Técnica Pomodoro (http://aparelhoeletrico.com/produtividade/tecnica-pomodoro/). Já usei muito e recomendo. Além de combater a procrastinação e gameficar a produtividade, ela ajuda a gente também a saber quanto tempo estamos gastando em cada projeto. Isso ajuda a precificar os projetos e a saber se estamos tendo lucro ou prejuízo. Ou seja, vários benefícios.

      Grande abraço e obrigado pelo comentário, cara!

  • TatiHardt

    Podcast lindão como sempre :D

    Eu aprendi muito bem a não procrastinar serviço, mas eu procrastino todo o resto da minha vida ainda hahah. Casa de ponta cabeça, pendências bancárias pra resolver, até pra comer eu procrastino haha. Eu tava numa fase tão louca de tanto serviço, que abri mão de muitos hábitos bons que eu tinha adquirido, to lutando pra retomar eles agora :/
    A gente acha que a hora que encontrar a rotina perfeita, tudo vai entrar no automático e funcionar da maneira certa, mas nós não somos robozinhos, somos criaturinhas teimosas e cheias de vontades. Acho que o primeiro passo é entender o porquê de sua procrastinação, às vezes é só falta de clareza diante da tarefa a ser feita, por isso sou muito adepta dos checklists, nem que seja no cantinho do sketchbook :P

    Queria sugerir um podcast com tema de finanças para freelancers (se ele já existe, mals aê, preguiçinha de pesquisar aqui no blog lol). Eu passei por uma fase de seca que me fez estudar muito sobre finanças, e adoraria conhecer as experiências de outros freelancers.

    Beijos!

    • Vinny Campos

      uaahuauhhua… sabe que acho que a maior lição da vida é que não existe perfeição…kkkkk

      Acho que um bom tema seria, como sobreviver em tempos de crise… mas pra isso tem esse post também (bem completo)… http://aparelhoeletrico.com/gestao/como-economizar-dinheiro/

      • TatiHardt

        Valeu Vinny! Mas aí que tá, a crise só existe se você não se preparar pra ela, porque é possível não abrir mão (não muito pelo menos) do seu padrão de vida em períodos de seca, com reservas de emergências, investimentos, etc. Coisas que eu queria ter aprendido muito antes de ser freelancer heheh.

        • Vinny Campos

          Verdade, se preparar para o inverno é bom mesmo…

      • E complementando o amigo Vinícius… tem um post sobre finanças aqui:

        É possível ficar rico trabalhando como freelancer?
        http://aparelhoeletrico.com/gestao/e-possivel-ficar-rico-trabalhando-como-freelancer/

    • Oie Tatii!! durante a gravação deste, lembrei muito daquele podcast que gravamos sobre perfeccionismo, onde acabamos citando também a procrastinação como consequência do mesmo, e sobre ficar esperando o momento em que tudo vai estar propício e nas condições ideais para se realizar algo.. etc.
      Beijoss querida!!!

      • Verdade, perfeccionismo e procrastinação estão muito ligados. Bem lembrado, Fran!

    • Muito bom, Tati!
      Tocou num ponto legal, a procrastinação fora do trabalho. Fora do trabalho eu procrastino muito mais também. Tem reformas que precisam ser feitas aqui no apto que eu nunca dou jeito de fazer e vai ficando, vai ficando…

      Toda semana eu penso “na segunda-feira vou resolver isso”, tenho mania de empurrar pra segunda-feira essas tarefas. Enfim, em uma segunda eu resolvo. Porque de primeira tá difícil.

      Muito boa essa sugestão de um podcast sobre finanças. Há tempo quero falar sobre isso, mas ainda não encontrei o modelo certo pra abordar o assunto. Esse deve sair a qualquer momento.

      Bjão!

      • TatiHardt

        Ah, já que você perguntou pra todo mundo sobre alimentação e ninguém deu uma resposta muito satisfatória hehe, fui numa nutróloga hoje e descobri que sou alérgica a meio mundo lol e essas alergias interferem muito no nosso nível de energia, aí às vezes pensamos que somos preguiçosos, mas na verdade é algum alimento que está roubando nossa energia. Não é desculpa pra procrastinar, mas pelo menos dá pra sentir um pouco menos de culpa :)

        • Que interessante isso… o lance da alimentação acabou passando batido mesmo. Acho que nenhum de nós estava muito alerta sobre isso… que bom que existe tu pra complementar o assunto. Numa dessas vale um post ou um podcast sobre o assunto. Acho válido.

          • TatiHardt

            Partiu corrigir a alimentação desses freelas hahah. Seria legal achar alguém da área pra falar sobre o assunto né? Alguma nutri freelancer talvez :)

          • como assim, será que pipoca e café não é refeição? lol

          • e miojão!

  • Jony Anderson

    Foi num dos meus podcasts favoritos (Visual+Mente) que conheci vc´s, agora tb um dos meus mais recentes favoritos junto com o Amarelo Criativo. Parabéns pelos episódios, esse então deu vontade de ouvir de novo pra comentar cada parte.
    Me identifiquei em vários momentos (o fato de ter q organizar o ambiente antes de começar a trabalhar, de escolher qual dos jobs fazer antes, de como tratar os prazos, etc). Acaba que esse tipo de conversa dá muita dica pra quem está começando a se estruturar e pra quem já está aí na pista, é a chance de rever processos e se ajustar.
    Tenho ouvido os episódios antigos e tb curtido muito. Continuem! Suas estrelinhas estão garantidas. ;) Abraços e beijos.

    • Fala, Jony!

      Seja bem-vindo, cara! Descobriu a gente no Visual+mente? Bacana, se lembrar, deixa o link aí pra gente ir lá agradecer.

      Que bom que tá curtindo e muito obrigado pelas estrelas. ★★★★★

      Grande abraço, espero que continuem acompanhando o blog.

      • Jony Anderson

        Foi no Ep que a Thalita Lefèr participou, se não me engano. Aí conheci o Amarelo e vc´s.
        A page principal dos caras é essa: http://anticast.com.br/podcast/visualmente/ – um dos caras é do Rio, o Ricardo Cunha Lima.
        O assunto que vc´s tratam é de extrema importância. Poucos podcasts abordam, por isso é legal conhecer coisa nova, ainda mais sendo bom assim.
        Ahhh, outra parada: sempre que escuto dá vontade escrever ouvindo uns eps passados e acaba q tb chego aqui no trampo e o tempo desaparece, mas o que quero dizer que é incrível a quantidade de vida inteligente que tem nesse Rio de Janeiro. Eu não sabia que tinha tanta gente maneira desse universo antenado nos podcasts e fazendo um trampo animal, assim como o Walter Mattos e as meninas, inclusive, uma delas que vi, a Dani Lima, é lá da minha cidade, Petrópolis, e eu não conhecia.
        Muito maneiro mesmo!
        Eu comecei a ouvir podcast através do Anticast, tempos atrás, da época do B9 e daí viciei, não fico mais sem.
        Mas é isso cara, parabéns mesmo, sem babação de ovo ou puxasaquismo, pq o que é bom tem que ser exaltado. Abraços!

        • Oi Jony, vizinho :)

          • Jony Anderson

            E ae vizinha… Tem uma colher de açúcar pra me arrumar?
            ;)

        • Que bacana, Jony!

          Acho que o episódio que você se refere é o YellowCast que a Thatá fez com o Ricardo Cunha Lima. Lembro que lá ela mencionou o Aparelho Elétrico.

          Espero que continue acompanhando o blog. Puxa uma cadeira, bota o pé em cima da mesa, abre a geladeira. Fica á vontade.

          Obrigado pelos elogios. Grande abraço!

          • Jony Anderson

            Cara, vou ter q confessar minha retardadice em público: não tô conseguindo qualificar vc´s com as 5 estrelinhas que prometi no iTunes. O que tô fazendo de errado? Já segui o passo-a-passo de vc´s, mas… SORVETE na TESTA aqui.

          • hahaha…. o que tá acontecendo? Você não encontra o perfil do podcast lá?

          • Jony Anderson

            Sim mano, encontro, mas tô me sentindo burro, pq não consigo classificar. Procuro como fazer e não tem, quando clico no Logo vai pros podcasts… vish! Será q tem algo mudado por lá?

          • Jony Anderson

            Pois é…. não consigo chegar nessa tela. Vejo de noite em casa com calma, de novo. Hahaha Valeu!

          • Beleza! Só lembrando que você precisa estar dentro do software. ;)

          • Jony Anderson

            Depois de tanto tentar… 5 estrelas! ;) Hahahaha

  • Maicon Ramos

    Parabéns pelo episódio, trabalho com freelar em web (começando ainda: maiconramos.com.br) e conheci o podcast do Aparelho Elétrico faz 1 mês, e já viciei ouvi 90% já, vivi várias situações e aproveito muito as dicas de cada episódio. Parabéns Henrique.

    • Seja bem-vindo, Maicon!
      Que bom que tá curtindo os podcasts. Espero que continue ouvindo e participando também. :)

      Grande abraço!

  • Pedro Brisola

    como o Walter falou, usar recompensas e punições, pode ser uma boa maneira de mudar seu mindset para executar aquelas tarefas que você vive deixando para depois. Muito dessas dicas está no livro o “O pode do hábito de Charles Duhhigg” (recomendo a leitura). Meu exemplo pessoal: coloquei como meta que só poderia jogar vídeo-game após finalizar minha meta de execução de meu projeto pessoal no dia (hahaha, pareço minha própria mãe). Ou só posso comprar um jogo novo após toda esta tarefa estiver completa. Se eu acabo jogando sem ter feito o que tinha prometido, fico com aquela sensação de culpa, de que não estou fazendo nada útil para mudar minha situação atual.

    Baita podcast. Continuem com bons conteúdos. Abraço pessoal!

    • Fala Brisola,
      Com o tempo acho que vamos precisando cada vez menos desse esquema de estipular recompensas e punições. Quando a “não procrastinação” se torna um hábito acredito que fica difícil voltar a procrastinar. É só não dar a brecha.
      É como aquele exemplo do exercício físico. Começar é tedioso, cansativo, mas uma vez que você pega o embalo é difícil parar. E caso você pare, por alguma razão, se parar por muito tempo fica difícil voltar a fazer exercício novamente.
      O mais difícil é quebrar a primeira barreira, sempre.

    • Fala Pedro!

      Bem no finalzinho do episódio a Marcia indicou o Poder do Hábito. Inclusive, tô lendo e assino com vocês a recomendação. Também sou parceiro no lance de criar recompensas e punições, acho bastante válido. Aqui geralmente minhas recompensas são assistir série ou comer algo fora do menu trivial.

      Assim como você, não curto nada essa sensação de “não cumpri o que me propus a fazer”, então faço o possível pra bater as metas.

      Obrigado pelo comentário, cara. Abraço!

      • Pedro Brisola

        Verdade, escrevi o comentário na metade do podcast e notei que ela o recomenda no final. O livro é uma boa forma de entender como nossa mente funciona em relação aos habitos. Alias, sugiro um tema para um próximo podcast: A importância da leitura no mundo freelancer. Tenho descobrido que existe muitos, mas muitos livros que podem nos ajudar a evoluir como profissionais e como pessoas. Acredito que um podcast sobre isso pode incentivar bastante a galera que ouve seu podcast. Grande abraço Henrique.

        • Ótima sugestão, cara! Já venho pensando nessa pauta… tem que rolar! Sugestão devidamente anotada. Valeu, jovem!

  • Daniel Spacof

    Muito bom o podcast como sempre!
    Duas coisas que fiz nos últimos tempos que tem me ajudado bastante:
    1- Pomodoro – Isso realmente mudou minha vida e aumentou muito minha produtividade, é realmente impressionante como faço mais coisas em menos tempo hoje, só focando em uma única tarefa, isso me ajudou muito!
    2- Trello – Este é um site para organização das tarefas, antes eu fazia em uma planilha, que já funcionava, mas o Trello pra isso é perfeito, simples de usar e gratuito! Posso alterar o status das tarefas com etiquetas coloridas, arrastar os cards para semanas diferentes, é muito fácil e otimizado para organização, facilitou muito minha vida!
    Abraço a todos!

    • Grande Daniel!

      Um par de dicas muito legais. A técnica pomodoro já é uma velha conhecida minha. Já o Trello, ouço falar há um bom tempo, já fiz uns testes rápidos, mas não engajei na ferramenta ainda. Quem sabe mais frente.

      Obrigado pelas dicas! Grande abraço!

  • Luedy Costa

    Gostaria de dizer que a Dani já aceitou o meu pedido de amizade. <3
    Proximas fases: Breja com o Vinny, churrasco com o Henrique e ser discípulo do Mestre Jedi Walter Mattos.

    Vamos por partes como sempre:

    1 – Eu parei de usar a função soneca do celular depois que baixei o app Sleep Cycle (iOS). Ele monitora o seu sono através da captação do microfone ou do acelerômetro e te acorda no melhor momento do seu sono. Por exemplo, meu celular esta para despertar 6:15, então entre 6:00 e 6:15 ele vai escolhe o melhor momento do meu sono para me acordar sem prejudicar a qualidade do meu sono. Inclusive ele mostra gráficos mostrando a qualidade do seu sono relacionada a várias coisas como a quantidade de passos no dia, clima e outras coisas mais. aaaah….eu prefiro usar microfone ao invés da função acelerômetro, pois não gosto de dormir com o celular em cima da cama e ligado no carregador por medo de rolar um acidente explosivo.

    2 – Fran com problema com o inverno? Vem pra Salvador. Frio máximo que já vi aqui foi 22°! kkkkk.
    Estão todos convidados a sofrer com o nosso "frio".

    3 – Eu tendo a procrastinar sim… Como eu estou 10h/dia no escritório e depois tenho que fazer as coisas em casa e trabalhar como autônomo, tem aquele dia que eu não quero fazer nada. E eu já conto com esses dias quando eu dou prazo para o cliente. Eu sempre dou uma margem de uns 3 dias. Pois eu posso ter algum imprevisto ou simplesmente não tô com gás para trabalhar naquele dia.

    4 – Assim como o Henrique, eu também medito. Mas a minha meditação é ativa. Faço enquanto caminho, cozinho, cuido das plantas ou fazendo algo que me permita focar na minha respiração por um tempo. E inclusive criei uma playlist no Spotfy com uns mantras que eu gosto.
    E aprendi sobre meditação nesse Canal. Ela é uma psicologa especialista em cultura oriental e tem varias coisas de desenvolvimento humano bem legais.
    https://www.youtube.com/watch?v=1brETCPJUwc

    • Luedy, eu queria ser ricaça pra passar metade do ano no verão daqui (que é bem ameno até) e o inverno em outro lugar, pra fugir dessa gelôlandia (é bem triste desenhar no frio zero graus, sair da cama, e existir também), mas acredito que ninguém merece se trancar no escritório com o “calorzinho” que faz por aí! hehehe

      OBS: Compartilha essa playlist agora! (ass: a louca das playlists do spotify).

      • Luedy Costa

        kkkkk… Calma aqui não faz calor como no RJ não. Passei mal de tanto calor no RJ…. Aqui fica entre 23º e 26º o ano inteiro e como não fica numa região montanhosa igual ao RJ, bate uns ventinhos legais.

        Eu dei uma incrementada na lista, pq tinha uns que eu ouvi mas não estavam na playlist. :)
        https://open.spotify.com/user/12182640487/playlist/0Sy9NKd2gkHTVhg1hERRBG

        • Curti o playlist, tá rolando aqui. Até acendi um incenso pra climatizar. Modo tarde zen ativado.

      • Compartilho desse sonho! Verão aqui e o inverno longe daqui.

        • Luedy Costa

          Fui falar que aqui é quentinho…
          registramos na última noite a INCRÍVEL (sério! quase congelei!) temperatura de 19º! kkkkk….

          Mas podem chegar quando quiserem. Como já tinha falado no outro podcast, a casa é grande. Então quando quiserem vim pra SSA e não tiver onde ficar, chama noiz.

    • Marcia Breda

      Luedy, eu também adoro os vídeos da Flávia! <3
      E baixando DJÁ esse aplicativo para tentar eliminar de vez o soneca da minha vida.
      Chega de acordar sendo uma desistente!

      • Luedy Costa

        Márcia, só não vale desligar e voltar a dormir, hein!!!
        kkkkkkk….

    • Gostei dessa coisa do app hein? Vou procurar.

    • Jony Anderson

      É o Bedtime Sleep Cycles?

    • Luedy Costa, uma metralhadora de dicas relevantes.

      Acabei de assistir o vídeo e curti (pena o áudio ter uns ruídos vez ou outra). Várias dicas bem legais pra quem quer começar a meditar.

      Instalei também o Sleep Cycle, vou testar hoje a noite pra ver como é. Esse é o mesmo que tu usa, @Fran@francianebourscheidt:disqus ?

      E sobre o churrasco… precisamos agilizar o encontrão do aparelhão. Seria bacana, não?

  • Procrastinação… vou assistir Netflix e já volto pra comentar.

    • Aguardaremos! ;)
      E eu vou lá passar um café e volto pra ler e responder os comentários.

  • Podcast muito bacana, como sempre :)

    Eu não consigo ter certeza se sou procrastinadora ou não. Ao mesmo tempo que tenho horror de deixar coisas para fazer depois mas também sou a rainha da auto-indulgência (tipo, ah, vou parar agora de trabalhar pq já trabalhei muito e vou lá comentar no aparelho elétrico – mesmo o prazo correndo :p).

    Uma coisa que me ajuda muito é ter noção do quanto meu dia foi produtivo. Pra mim, também funciona meio como uma gameficação como vocês comentaram. Eu uso uma extensão chamada RescueTime, que registra tudo que faço no computador enquanto estou logada. No final do dia, eu consigo saber quantos minutos passei em redes sociais, quantas horas gastei no illustrator ou escrevendo e ele me dá um gráfico e um número. Adoro ver meu resultado no final do dia e ver que não teve quase nada de “vermelhinho” (o gráfico marca em vermelho os minutos passados em redes sociais) e meu indice de rendimento (normalmente entre 75 e 80 – quando fica mais baixo, fico triste :p). Por outro lado, quando vejo que tem muito vermelhinho, paro para prestar atenção no que está havendo. Normalmente são os dias em que estou muito cansada e daí já sei que é melhor ir descansar do que ficar forçando a barra.

    Tem uma versão gratuita e uma premium – paga
    https://www.rescuetime.com/

    Beijos pra Fran, Marcia, Walter, Vinny e Henrique! :) Vou pedir licença pros meus meninos queridos e dizer pro Henrique que ele precisa fazer um só com as meninas pq quero gravar um podcast com a Fran, a Marcia, a Carol e a Tati :p

    • Se eu usasse esse app ele teria que calcular também o tempo que eu passaria chorando depois de ver os resultados.. hehehe

      e quanto à última colocação: APOIADÍSSIMO!!! ♥

      • Marcia Breda

        Eu tenho medo do RescueTime! Como redes sociais faz parte do trabalho, tenho medo de ficar apavorada sem saber o que foi trabalho e o que foi procrastinação…
        Por agora tô usando o Toggl e cronometrando o tempo que eu levo pra fazer cada tarefa. A ideia é daqui um mês ou dois já tem uma noção exata de quanto tempo eu gasto para cada cliente e conseguir fazer uma previsão diária mais acertada. Vamos ver o que acontece nos próximos capítulos. Estou terminando o primeiro mês de uso contínuo.

        E podcast das meninas! SIM!

    • Boa essa do RescueTime! Fiquei afim de testar, mas acho que o colorado vai entrar em campo… já sei de largada que passo muito tempo em redes sociais. Muitas sugestões de apps bacanas hoje aqui. :)

      E o ep das minas tem que rolar. Qual tema seria interessante? Temos que ver um tema em comum que esse elenco aí navegue legal.

  • Anto Nio Souza

    Mais um podcast muito bom ein amiguinhos! :D

    Finalmente criei coragem de comentar aqui.. haha

    Creio que vocês tenham abordado praticamente tudo aí nesse papo, mas acho que a parada de procrastinar pode surgir por vários motivos…
    Insegurança para realizar um projeto pode te fazer adia-lo, quando você não sabe o que fazer, por onde começar, ta meio perdido. Também como o Dablio Mattoxs falou, o medo de sair do conforto né, tudo o que parece ser difícil a gente automaticamente já quer dar aquela esticada e meio que no inconsciente ta planejando pra fazer depois haha..

    Muitas vezes me peguei insatisfeito com certo projeto, e senti que não conseguia fazer melhor que aquilo, o velho lance do “perfeccionismo” (não patologicamente falando), e isso me fez abandona-lo por várias vezes, tipo “Não ta dando certo, amanha eu tento de novo”.. E esse medo de liberar o projeto pro cliente me fazia procrastinar achando que ainda poderia melhorar o trampo, e na maioria das vezes era só coisa da minha cabeça.

    Acho que assim como a insegurança a segurança também pode te levar a procrastinar e afetar seu desempenho! Conforto demais pode te fazer achar que será uma tarefa simples e você pode deixar pra depois, pensando que da conta fácil e resolve em pouco tempo, mas isso é pura ilusão, até porque nesse meio que envolve computação gráfica e criatividade, tudo pode acontecer.

    Eu também tenho muito isso de ter que arrumar o ambiente antes de começar o trabalho, mas eu vejo isso como aquele lance da “autosabotagem”, manja? Sinto que isso me ajuda a procrastinar, como se eu inventasse situações de um real implícito tipo “se eu não dobrar essas roupas e guardar não da pra começar o trampo, tenho que fazer isso agora!” mas na real isso não vai fazer diferença nenhuma! Aí eu arrumo minha mesa, a sala, o quarto, quando eu vejo eu to lavando o banheiro e não comecei a trabalhar hahahaha.. Mas na real quando preciso muito fazer algo, acabo fazendo em qualquer lugar.

    Ou até mesmo quando você vai fazer alguma coisa do tipo ir à academia e ta um transito da porra e você pensa “nossa, hoje não da pra ir, muito transito”, parece que se você tem que fazer algo, tem que ir e fazer, se você parar pra pensar já não faz mais, porque não fazer é mais fácil.

    Além de tudo isso, temos as nossas maravilhosas frustrações pessoais! hahaha… Creio que seja o pior delas! Eu sou uma pessoa extremamente ativa, acordo antes do despertador como se o mundo estivesse acabando, já levanto meio desesperado, minha namorada me ajudou um pouco com isso nesses últimos meses, e agora eu to consigo abrir o olho, pensar “estou acordado” depois levantar.. hahaha! E eu quero abraçar o mundo, fazer várias coisas ao mesmo tempo e essa ansiedade me faz começar várias coisas e demorar muito pra termina-las ou nunca termina-las. Acabo ficando com vários projetos pela metade e isso é extremamente frustrante, porque você pega um job pra fazer e pensa “nossa mas eu poderia ler aquele livro” ou “poderia estudar aquele assunto”.. e com isso acabo não sabendo como administrar meu tempo e definir uma hierarquia de importância pra essas tarefas, aí quando o prazo aperta tem que fazer e entregar, não tem outro jeito…Isso leva a gente a pensar que ta fracassando ou algo do tipo, e várias dessas paradinhas vem acompanhadas com aquelas “bads” que te colocam pra baixo e fazem você ter vontade de deixar tudo pra lá e só querer deitar um pouco, fechar os olhos e esquecer de tudo por um tempo.. rs. Por fazer tanta coisa, assim como o Vinny comentou as vezes é só o seu corpo mesmo te dando um toque tipo “cheeeeeega porra, da um tempo ae bro!!” que acho que rola bastante comigo.

    No final das contas a gente é tudo um bando de preguiçoso né, essa é a real! História da humanidade foi baseada em deixar tudo sempre mais fácil e prático, há 10 anos atrás acho que a gente ainda abria enciclopédia pra fazer pesquisa, hoje em dia eu não escrevo nem “Aparelho Elétrico” no Google.. mando um “apreloh eltrioc” se achar, achou se não já deixo pra lá..hahaha. Então a gente não precisa nem pensar mais, as máquinas já pensam por nós. Essa extrema vida facilitada de hoje nos leva a ser cada vez mais fracos e preguiçosos nos fazendo procrastinar ainda mais, mesmo quando nos deparamos com situações simples.

    Eu já tentei usar aplicativos, e essas coisas, e vi que no final isso também me ajudava a procrastinar, já usei o Runrunit que é um software de tarefas muito bom, e as vezes eu tinha que fazer algo e ficava la organizando o Runrunit, formatando a descrição, mudando a cor dos textos, sendo que quando eu pego um pedaço de papel, faço a listinha ali do dia e já era, na maioria das vezes é assim que funciona melhor pra mim. Por que no final das contas eu tinha que fazer mais tarefas pra começar a fazer minha tarefa real.

    O negócio é sempre procurar se motivar, achar razões pra fazer isso e aquilo, assim como tudo na vida, e acho que a melhor motivação pelo menos pra mim, é de que só temos essa vida pra viver, e precisamos nos ocupar, fazer coisas, interagir! É muita coisa pra fazer pra pouca vida. haha.. Não da pra ficar parado né!

    E não vamos confundir procrastinar com vagabundagem hahaha.. Procrastinar é adiar né, vagabundagem é não fazer mesmo e que se dane tudo..haha.

    Acho que é isso, espero ter lembrado de comentar tudo porque eu procrastinei tanto pra comentar aqui, que escutei esse podcast ontem 8 da manhã e só to comentando agora! Brincadeira, eu tava ocupado mesmo e quis voltar pra comentar. :D

    De quebra deixo um TED Talk sobre o assunto:
    https://www.youtube.com/watch?v=arj7oStGLkU

    • Boa, Antonio!

      Pontuo muito bem. Só gostaria de comentar a parte do ‘arrumar o ambiente’. Não vejo isso como autossabotagem. Acho que autossabotagem seria mais no caso de inventar algo pra não fazer a tarefa. Vejo mais como um ritual de preparo, um aquecimento pra entrar no jogo.

      Acordar, meditar, tomar banho, vestir a roupa (visto uma roupa como se fosse a um escritório mesmo) e passar um café são tarefas que executo pra ir preparando meu cérebro pro trabalho. Quando eu sento pra trabalhar, já não tem como escapar. É hora de mandar ver. E minha cabeça já está disposta a isso. Assim não tem sofrimento.

      E esse TED é muito bom. Assisti antes do programa pra entrar no clima. Obrigado por comentar aqui. ;)

      Grande abraço!

  • Douglas Anholeti

    Os temas abordados estão excelentes, conheci o Aparelho Elétrico há alguns meses e tenho sempre buscado acompanhar. Agora, finalmente parei de procrastinar e resolvi deixar meu primeiro comentário.

    Acho que a procrastinação me ataca principalmente nos projetos pessoais. Algo que eu poderia fazer naquele instante mas acabo adiando. Já na área profissional eu consigo lidar bem, tô sempre anotando e de olho nos prazos. É nessa linha tênue entre vida profissional e pessoal que as armadilhas se escondem: uma página de Facebook aberta, um vídeo engraçado no You Tube, etc

    A atividade física me ajuda bastante, outro item que vocês citaram foi o mindfulness (práticas meditativas/atenção plena). Ele tem me ajudado a interpretar melhor as situações, observar mais o “eu” e ser menos reativo. E mais uma coisa que tenho feito é plantar. O contato com a terra me ajuda a combater o estresse do dia a dia e possíveis momentos de procrastinação. Não precisa ser um jequitibá de 30 metros, pode ser um tempero qualquer, por exemplo, isso já traz benefícios.

    Abraços a todos!

    • Fala, Douglas!

      Seja bem-vindo.. Fico feliz que estejam curtindo os temas.

      Muito bacana essa dica de “plantar”. Você tem tipo alguma horta em casa? Queria saber mais sobre isso.

      Eu tinha aqui uma mini horta. Moro em apto, então não tem como ser algo muito grande. Mas eu plantava salsa e manjericão. Agora acabou morrendo tudo. Mas confesso (sendo bem velhaco mesmo), me dava uma grande satisfação plantar, aguar e colher os temperos na hora de fazer um rango.

      Abraço!

      • Olá, Henrique!

        Eu tenho um espaço aqui em casa e vou plantando aos poucos. Os temperos e ervas aromáticas são uma boa dica pra quem tá começando ou não tem muito espaço. Plantar não é uma ciência exata, por mais que a gente se esforce algo pode dar errado. Ainda assim, como você disse, é satisfatório ver os resultados surgindo.

        Garimpando na internet é possível encontrar muita informação bacana, gente plantando e dando dicas. Ex: borra de café, casca de banana e de ovo são excelentes formas de adubação.

        Abraço!

  • Luiz Fellipe

    Otimo podcast, me identifiquei demais em vários pontos. Henrique, seria muito legal para um podcast futuro falar sobre evolução, to passando por um momento em minha carreira em que sinto que ja não evoluo mais, parece que meu trabalho já não surpreende mais meu patrão e isso me deprime bastante. Seria legal pra caramba se falasse sei la como inovar no trabalho cotidiano. Muito obrigado pelo podcast, espero sua resposta. Sucesso!

    • Fala Luiz!

      Legal que curtiu, cara!

      Se você acha que não está mais evoluindo, acho que tem que pensar porque se sente assim e então procurar novos desafios na carreira. Não falo aqui necessariamente de mudar de emprego, mas buscar novas técnicas de trabalho, livros, vídeos, documentários, enfim… correr atrás. Nunca parar de estudar, o lance é estar melhorando sempre.

      Mas a sugestão de pauta tá aqui devidamente anotada. Obrigado pela dica.

      Grande abraço!

  • Manuela Freire Lopes

    Muito bom o podcast, sofro deste mal também. Há dias em que não me sinto produtiva e começo a enrolar… e, às vezes, sinto que o resultado final do projeto poderia ter sido melhor se eu tivesse me dedicado mais. Mas, ao mesmo tempo, sei que não devo forçar a barra quando a cabeça não está sintonizada como deveria. Enfim… ser criativo/produtivo não acontece todo dia, né? Parabéns pelo papo, adorei ouvi-los.

    • Boa, Manu! Sempre participativa. :)

      Acho que é isso mesmo, não adianta a gente se cobrar tanto. Acho que é impossível ser um profissional que faz tudo sempre com 100% de aproveitamento, sempre na alta performance. Acho que tem dias que a gente vai ter que fazer o feijão com o arroz e era isso mesmo. Faz parte do jogo. Na próxima a gente faz melhor…

      Acredito que o importante é não travar e só pensar em produzir quando estamos totalmente dispostos.

  • Depois de procrastinar para deixar este comentário, chegou a hora de meter a mão no teclado.

    Acredito que o primeiro passo para você deixar de procrastinar é se conhecer de verdade e assumir o que você é, e buscar quebrar aquilo que é negativo em você.

    Às vezes lemos muitas dicas na internet, mas esquecemos de nos observar e tentar captar quais são nossos fatores motivacionais que nos permitem ir para “action”. Me motiva muito colocar minhas metas na frente do monitor e me ver realizando cada uma delas. Se for o caso eu desenho para ficar mais visual.

    A minha procrastinação transita entre os projetos da minha empresa e meus projetos pessoais e isso é muito louco. Eu sou um procrastinador assumido e em alguns casos acho até legal. Quando exijo perfeição demais, eu fico imobilizado. Para sair do lugar só tem um jeito: VAI LÁ E FAZ SEM BUROCRATIZAR, SEM PENSAR, SÓ FAZER.

    Esta semana comecei meu projeto no Youtube que estava engavetado que é o #Designem1minuto ( http://bit.ly/2tNu85V ). Eu demorei muito pra botar pra frente porque pensei que precisava estudar edição de vídeo, aprender sobre áudio, ter uma câmera foda, um ambiente cheio de coisas geeks, pautas e mais paus e isso é foda….coisas demais na cabeça e pouca ação.

    Foi preciso acordar nesta segunda-feira, pegar o iPhone mesmo, olhar o tema engavetado no Evernote, e do meu jeito falar com a câmera e fazer o conteúdo. Se ficou excelente ou não o que importa é que com o tempo eu vou melhorar. E isso está tão gostoso que fiquei viciado. Nunca pensei que seria tão fácil e demorou mais de 1 ano para chegar até aqui? Puta merda! Agora é abraçar a ideia e seguir em frente que está bom demais!

    Obrigado Henrique fiquei muito feliz em escutar este conteúdo. Sempre me inspira muito.
    Um abraço à todos os participantes do podcast.

    • Walysson Marcelino

      Entendo completamente esse sentimento de “não tenho as ferramentas necessárias para começar”.

      • E tornamos isso uma barreira para fazer várias coisas. Se joga na ideia e parte pra ação de olhos fechados. Resultados só aparecemo a medida que você faz.
        Planejamento é bom, mas a ação é muito melhor.

        • Trabalhei com um cara que eu admirava a maneira como ele planejava tudo. Infelizmente, com o tempo, vi que aquilo passou a ser procrastinação pura.

          Muito planejamento e pouca ação.

          É importante planejar, mas é importante agir também. Temos que encontrar o equilíbrio aí nessa brincadeira.

          • Verdade. Por isso acho fundamental se conhecer para entender a melhor maneira de quebrar a procrastinação. No meu caso, como funciono com certa pressão, fazer as coisas com planejamento mínimo é melhor . Se eu planejar demais vou procrastinar pela burocracia e quem sabe desistir.

    • Acho que algumas vezes a gente procrastina por medo. Medo de não dar conta, de não fazer certo, de fazer besteira… ou seja lá o que for. Só que o medo tem disso, ele só “funciona” enquanto você tá parado dando atenção pra ele. Quando a gente “liga o foda-se” :p e parte pra ação, até esquece do que tinha tanto medo :)

      • Oi Dani isso é exatamente o que tenho feito. Vamos ligar o foda-se e trabalhar sem medo de errar e ser feliz

    • Grande Oberdan!

      Mandou muito bem, cara! É isso aí, a gente vai empurrando com a barriga e acabamos perdendo tempo. O lance é ir fazendo e aperfeiçoando com o tempo, deixar um pouco a vergonha de ser julgado de lado, não dar tanta bola pras críticas. Nem sempre vai sair legal de primeiro e o lance é seguir fazendo, sem se desmotivar. Tudo é aprendizado. Melhor viver tentando fazer as coisas, do que nunca tentar fazer nada e viver sempre no mesmo lugar.

      Dei uma espiada rápida no canal. Tu fala muito bem, cara. É isso aí, como os gringos dizem: “go get them, tiger”. Sucesso no projeto!

      Abração!

      • Realmente é isso. Pra viver de design eu larguei a minha carreira pública com militar e no começo foi bem díficil, mas têm dado certo porque tenho sempre colocado pra fazer ao invés de planejar e enfim….

        E valeu Henrique por ter visto o canal. Gostei do elogio.
        Pra mim é uma honra ter esse feedback sobre o canal. Vou trabalhar a cada dia e quando olhar pra trás vou ver o quanto eu evolui ao longo da jornada.

  • Pedro Renan

    Voltei! Poderia falar que esse foi um dos melhores podcast’s? Foi!

    Procrastino pra baralho, mas não sinto tanta culpa. Não quero que isso seja o certo ou o errado a se fazer, mas minhas viagens à procrastinação às vezes trazem algo pra usar num próximo projeto, mas nem sempre.

    Por exemplo, ontem mesmo estava eu criando um post sobre a Helvetica, que está completando 50 anos (Parabéns Neue Haas Grotesk, o nome original dela é esse) e quando tava na pesquisa, link vai link vem, me peguei pesquisando sobre o metrô de São Paulo, quantas pessoas passavam, problemas, vídeos de câmeras e tal, mas ao final da pesquisa vejo que usava Helvetica então, voltei e acrescentei no post.

    Eu uso checklist manual, papel e caneta, uso Pomodoro e ainda assim, me pego procrastinando. Por incrível que pareça não tenho sido prejudicado com essa minha procrastinação, mas é um hábito que eu quero perder, até porque já me perguntei: Quanto tempo já perdi ou desperdicei?

    Não sei de onde ela vem, talvez ela seja adquirida pela minha ótima alimentação, como podem ver na foto abaixo, não sei. https://uploads.disquscdn.com/images/962b441594f4c0d169f02d7b3687878b83e626e270c6406668e9e2f65b8f7c4d.jpg

    Mas eu quero realmente parar com isso e a @TatiHardt:disqus falou uma coisa legal, “o primeiro passo é entender o porquê de sua procrastinação”.

    Obrigado por mais uma ótima roda de conversa Pochmann.
    Queria tirar uma dúvida, o que é esse tal de Frio que vocês tanto falam aí?

    Várzea Alegre – Ceará

    • Fala Pedro!

      Mais um adepto do papel e caneta. Alguns dirão que somos velhos. Mas ainda não encontrei um software que me de o mesmo prazer de riscar uma tarefa da pauta manualmente.

      Obrigado pelo comentário, jovem. Cuidado com essa batata aí, não vai engordurar o mouse.

      Abração!

    • Nesse caso eu não diria que você procrastinou, Pedro. Você continuou produzindo, pesquisando. Seu problema foi o excesso de vontade! – e como consequência, a perda do foco! (rs)
      Só toma cuidado com os excessos – tanto de trabalho, como de gorduras!
      Abraço!

  • Walysson Marcelino

    Olha eu aqui…Já tem uns dois podcasts que não falo nada, eu acho, acho que é isso mesmo. E de certa forma, esse podcast bateu direto com o momento que eu vivo, de uma procrastinação depressiva, ou de uma depressão procrastinada.

    Fala @henriquepcm:disqus como você tá? Eu estou passando por um momento muito tenso, mas tenho aprendido muito.

    Procrastinação é um dos “problemas” que me deixam muito pra baixo, e de certa forma é uma das formas da minha depressão, “aflorar”. Para que tudo não acabe (à sete palmos abaixo da terra) por mais dramático que foi isso, eu pensei seriamente em dar um fim à minha procrastinação, de uma forma definitiva. Nesse meio tempo, que digo que tenho aprendido muito, aconteceram muitas coisas e acabou que eu vi o motivo de tanta procrastinação.

    Como alguns sabem, tenho uma filha e não sei se cheguei a comentar, mas eu tive que voltar a vida de agência e de certa forma, sinto que estou procrastinando, de novo, na vida. Estou passando por um processo de separação complicado, passei por perdas de 2 amigos num período de 1 mês e a cada dia que passa, é um “7×1” diferente.

    Minha grande ideia para sair dessa zona repleta de energias negativas, foi comprar uma câmera nova, e arriscar tudo na fotografia, deu certo? Ainda não sei, mas estamos na ativa.

    Tentar ocupar a cabeça, pelo menos pra mim, tem sido uma forma de burlar meus momentos de procrastinação. A meditação ajuda muito e minha força de vontade em tentar viver mais, do que sobreviver mais, me ajuda também.

    No dia a dia, tenho conseguindo otimizar bastante eu tempo, não me apegando demais o que não posso fazer de imediato, eu tenho um problema gigantesco com desorganização e de forma alguma consigo trabalhar sem café. Graças ao nosso bom Deus, meu chefe comprou uma cafeteira expressa e salvou os jobs da agência…rsrs.

    O que posso deixar pra vocês como ajuda ou incentivo, é focar no que vocês gostam e saber seus limites, analisar como você está, e se dar um tempo para descansar, como foi dito pelo @waltermattos:disqus. Eu cheguei em um momento de ocupar quase meu tempo todo com trabalho, e meu sono está completamente defasado. Mas estou conseguindo colocar ele em dia nos finais de semana.

    Tirando os problemas, até que estou conseguindo burlar minha procrastinação, a fotografia tem em ajudado e minha menina me ajuda com os abraços e beijos.

    Obs: Hoje quase perdi minha câmera dentro do ônibus e consequentemente, quase tive um ataque cardíaco. Espero que eu ganhe na Mega Sena.

    Um abraço a todos, vou colocar os podcasts em dia, prometo Henrique.
    Até o próximo episódio.

    • Fala, Waly!

      Segura as pontas aí, meu chapa! Às vezes a vida prega essas rasteiras na gente mesmo. Faz parte do jogo, não tem como passar de fase sem emoção. É assim mesmo. O importante é não largar o joystick.

      Foco no que é importante e autoconhecimento, é isso aí. Belas dicas!

      Forte abraço! Obrigado por estar sempre nos acompanhando e contribuindo aqui.

      • To com o Henrique, Walysson!
        A vida vai nos pregando peças o tempo todo. E quanto mais o tempo passa, mais aprendemos a lidar com problemas que se repetem. Não é fácil, mas não é impossível.
        Foco e resiliência, meu caro.

  • snap: suhcarvalhooo

    Vamos para a vergonha do mês: eu ouvi pela manhã, tinha um app muito bom pra indicar mas olha só… hahahaha agora de noite é que eu estou comentando. Uma ouvinte procrastinadora NATA!
    Galera vocês são demais… Também curto a meditação para segurar a onda… a coisa é intensa.
    Indico para vocês o https://habitica.com.
    Meu namorado me mostrou ai tipo, dei nada por ele e estou amando.
    É tipo um RPG da proatividade.
    GAMERS, NOTEM!

    Beijão para todos!!!!

    • Que bom que curtiu, Suh!

      Dei uma olhada rápida no habitica e, apesar de não ser um gamer, achei muito legal. Bela dica!

      Bjão!

  • Igor Cabral

    Cara, show de bola, primeira vez que ouvi o podcast, primeira vez que acessei o site também e curti muito. Muito boas as dicas e experiências que vocês compartilharam a respeito de não procrastinar. Algumas eu já utilizei, como o pomodoro, que adaptei para usar meio que do meu jeito. Admiro vocês que não são procrastinadores, mas eu realmente sou muito procrastinador e preguiçoso, se não me policiar eu vou empurrando as coisas pra depois (tipo agora que tenho projetos pra entregar e tô aqui comentando) e justamente esse autoconhecimento que me faz me policiar e não deixar nada pra depois, procuro me disciplinar, mas no momento eu tô tendo uma baixa produtividade, não tô conseguindo entregar a quantidade que sei que posso entregar e tenho procrastinado os projetos mais completos do meu trabalho (sou analista de redes sociais numa agência de publicidade) e ouvindo o podcast me toquei que isso se deve a não estar me organizando direito pra cumprir estas tarefas. Ouvir esse bate papo de vocês me deixou até mais motivado pra voltar com esses hábitos de organização de tarefas que me deixam mais produtivo. Já assinei o podcast e virei fã! :)

    • Fala, Igor!

      Seja bem vindo, cara!

      Bacana saber que o conteúdo tá agradando. Fica à vontade aí pra comentar e participar dos debates com a gente, comentários são sempre muito bem vindos pra gente conhecer diferentes pontos de vista.

      O lance da organização é fundamental pra sair do loop da procrastinação. Inclusive vamos dar mais uma pincelada nisso nos comentários do próximo podcast que deve ir ao ar no início da próxima semana. Tô editando ele agora.

      Grande abraço e obrigado pelo comentário!

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.