Podcast: Como lidar bem com dinheiro?
 Publicado: 29/08/2017 Atualizado: 05/09/2017

Podcast: Como lidar bem com dinheiro?

Pra conquistar sua independência financeira, você precisa se dar bem com as verdinhas. Vem ouvir umas dicas pra te ajudar nisso!
  Por Henrique Pochmann
Canta aí: eu quero dinheiro e quero um valor sincero, isso é o que eu espero...

[download] [feed] [itunes]

Falar de grana é tabu! Muita gente não curte o assunto. Torce o nariz. Mas é inevitável, quem trabalha de forma independente tem que ter uma boa relação com dinheiro pra conseguir ter uma reserva pras épocas de poucos negócios. E também pra sair da chamada “corrida dos ratos”, pra algum dia poder se aposentar com tranquilidade, ou ainda, poder trabalhar mais por prazer e menos por necessidade.

Dá o play aí e bom podcast pra você!

Participantes deste episódio

Henrique Pochmann
Aparelho Elétrico

Carolina Walliter Freelancer em Tradução Carol Walliter
Carolina Walliter
freelancer-em-design-e-arquitetura-de-informacao-felipe-perobeli

Felipe Perobeli
Medium Perobeli

 freelancer-em-ilustracao-tati-hardt

Tati Hardt
Ilustradora no Tati Hardt.

Vinny Campos

Vinny Campos
Studio Lhama

Timeline do podcast

Abertura

Leitura de Comentários

Pauta do Programa

  • Aplicativo YNAB – You Need a Budget;
  • No Brasil não somos ensinados a lidar com dinheiro;
  • O seu saldo pode te enganar;
  • Sobre conectar sua conta do banco à apps de finanças;
  • Do aplicativo Organizze para o YNAB;
  • Tenha hábito de anotar seus gastos;
  • Cartão de crédito Nubank;
  • Cartão de crédito é uma dívida de plástico;
  • Planejando para pagar à vista;
  • Gastar menos do que você ganha;
  • Ter uma reserva de emergência e para oportunidades;
  • Separar ou não a conta jurídica da conta física?
  • Economizar tarifa bancária abrindo uma conta digital;
  • Conta digital no Banco Inter;
  • Canal Me Poupe;
  • Canal Economirna;
  • Vérios Investimentos;
  • Diversifique seus investimentos;
  • Com R$ 30 você começa a investir no Tesouro Direto;
  • É importante ter uma meta definida pra te motivar a guardar dinheiro;
  • Quite suas dívidas antes de começar a investir;
  • Poupança não é investimento. A inflação cresce mais do que a poupança rende;
  • Dinheiro não sobra. Pague primeiro pra você mesmo;
  • Freelancers devem pensar em maneiras pra receberem recorrentemente dos seus clientes;
  • O que é gasto e o que é investimento?;
  • Gastar com culpa e gastar sem culpa;
  • O dinheiro como ferramenta e não como medida de sucesso ou fracasso;
  • Você prefere ser rico ou parecer rico?;
  • Será que comprar um carro é um bom negócio?;
  • Aplicando o minimalismo e controlando os impulsos;
  • Livro Os Segredos da Mente Milionária;
  • 5 livros que todo freelancer precisa ler pra ontem;
  • Como a sua família lida com dinheiro?
  • A tua preguiça vai te deixar pobre;
  • Comprar à vista ou parcelar?;
  • Pechinchar é preciso;
  • Camisetas Korova;
  • Não tenha medo de falar sobre dinheiro;
  • Livro Pai Rico Pai Pobre;

Como você tem lidado com dinheiro?

Quero muito saber o que você pensa sobre o assunto. Deixe a sua participação nos comentários e vamos levar o assunto adiante.

Equipamentos utilizados nessa gravação

Placa de som – Presonus Audiobox USB
Fone de Ouvido – Marshall Major Brown
Microfone – Condensador BM-800
Tablet – iPad Air

Posso te pedir um favor?

Se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais. Isso ajuda o Aparelho Elétrico a continuar publicando conteúdo de qualidade de forma gratuita.

Cadastre-se na nossa newsletter e seja avisado da publicação de novos podcasts como esse. Basta colocar seu e-mail no box abaixo.

Abraço e até a próxima!

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann
Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.

Recomendados para você
 podcast
Será que essa crescente onda de fan pages e gifs bem humorados agrega valor às nossas profissões ou acaba prejudicando a nossa imagem?
  Por Henrique Pochmann
 Gestão
Sugestões de livros sobre negócios e finanças que vão fazer você freelancer pensar menos como funcionário e mais como empreendedor
  Por Henrique Pochmann
 podcast
A ansiedade tem atrapalhado a sua produtividade? Vem ver como outros profissionais têm lidado com o chamado "mal do século".
  Por Henrique Pochmann
 podcast
Qual é o impacto que a chegada dos filhos tem na vida do profissional que trabalha em casa? É possível se manter produtivo?
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • André César Araújo

    OK Ynab é legal, mas faço isso tudo que a Carol falou a 7 anos (tempo que sou freela) com o excel. hoje tenho uma planilha que não só me auxilia no controle de caixa mas nas cobranças, entradas futuras, controle de cartão de crédito e gastos da casa. A questão na minha opinião é organização.

    • Legal, André! Então tu tá comigo no time dos que usam Excel! Bom saber! :)
      E me diz uma coisa, tu tem planilhas diferentes, uma pra coisas pessoais e outra pra coisas da empresa?

      • André César Araújo

        No meu caso, as minhas entradas de trabalho não se misturam com outras entradas da casa, assim consigo separar o que é ganho da empresa do que é ganho da casa. mas as saídas estão todas em uma única planilha, pois atualmente não tenho um pro-labore somente faço o controle mensal para fazer uma reserva para eventual aquisições ou emergências da empresa.

        • Saquei! Eu também faço assim, apesar de ter uma conta no banco PF e outra PJ.

  • Finanças são algo fundamental para medir também o sucesso do seu negócio. Deixar a conta no verdinho não é tão simples mas também não é impossível. Temos que ser responsáveis e profissionais também no financeiro. Aprendi isso a duras penas ao longo da jornada e ainda estou aprendendo.

    Aqui vão algumas coisas que fiz e funcionaram, e quem sabe pode funcionar pra alguns:
    – Separar grana da empresa de sua grana pessoal. Para isto eu tenho uma conta jurídica e outra pessoal.

    – No meu caso eu tenho um contador também para me auxiliar com algumas burocracias. Parece custo, mas pode te evitar dores de cabeça. Isso depende muito do seu faturamento e nível de amadurecimento do negócio.

    – Faturamento não é lucro. Saber diferenciar isto é importante.

    – Como o ganho é variável, meu pró-labore é uma porcentagem daquilo que ganho (40%).

    – Reinvestir na carreira mas também em divulgar o seu negócio. Ajuda muito a dar sobrevida ao negócio principalmente no começo. Se você reinvestir pelo menos 20% do que ganha para divulgar vai dar um up legal.

    – Aprender a viver com menos compromissos e enxugar os custos fixos.

    – Controle do impulso para compras (neste quesito eu pensei muito em me reducar).

    – Tempo também é dinheiro. Evitar perder tempo com coisas que não vão ajudar você a conquistar dinheiro.

    – Faltou grana? Devo tirar da minha reserva? Não. Corre atrás desse prejuízo. Você deve aprender a vender mais também e evitar entrar numa zona de conforto.

    – Reserva é reserva. Não sai por ai emprestando seu dinheiro (exceto caso de vida ou morte).

    – Metas financeiras são importantíssimas. Temos que tentar escalar mais o negócio, crescer as vendas porque épocas de vacas magras podem surgir e você estará preparado pra isso financeiramente.

    São muitos pontos que eu gostaria de abordar, mas basicamente é isso.
    Dinheiro é o resultado do seu trabalho e deve ser tratado com responsabilidade.
    Infelizmente, no mundo capitalista é com ele que pagamos nossas contas e colocamos comida na mesa.

    • TatiHardt

      Falou e disse, Oberdan! Desde a gravação do podcast eu comecei a separar a conta da empresa da pessoal também (não abri uma conta jurídica, só separei as contas e fiz um budget separado no YNAB) e defini um pró-labore, agora chegou a hora de começar a estudar finanças empresariais e eu já to adorando hehe.
      Obrigada pela contribuição :)

      • Tomara que se de bem. No começo quando foi pra separar as contas eu fui bem resistentes mas depois que acostuma fica melhor. É bom que tudo fica mais claro. Essa foi uma recomendação do nosso contador .

    • Cobriu muitos pontos importantes, Oberdan! Uma bela resumida. “Lacrou!” ;)

      • Valeu Henrique. Ainda tem muita coisa por trás e eu acho que o hábito que fortalece esse disciplina e também a visão de negócio. Ver seu pequeno negócio e respeitá-lo sempre como algo maior ajuda muito.

  • Vinny Campos

    Que conversa legal hein! Fugi da conversa porque eu nesse quesito, não acho que tenho muito a agregar, também fui um dos que ficou super empolgado com o YNAB desde que a Carol comentou no outro programa, instalei, mas acabei não usando, e acabei por influência de alguns amigos que eram meus roommates na época, testando o guia bolso, Mobills e Organizze, mas no fim, não me adaptei a eles, por pura falta de disciplina mesmo e também por ter uma necessidade que é ter mais de uma moeda, mas acho que o YNAB faz isso, vou tentar dar uma chance pra ele, acabei de instalar!

    Minha vida financeira é um misto entre a Carol e a Tati, eu meio que vivo para minha existência, vivo o minimalismo, até pela vida nômade e acabo gastando “pouco” ou “muito” dependendo do ponto de vista, o que ganho não sobra muito, mas atende tudo que preciso, recentemente na minha vida financeira tive uma mudança que me deu mais calma que é ter um cliente fixo me pagando um salário, isso tem me dado mais tranquilidade para organizar e planejar meus próximos gastos.

    Além disso, vivendo nômade meu custo inteiro da casa, era um valor fixo, e eu escolhia a casa dependendo do quanto estava ganhando, então se estava ganhando mais, podia escolher um apartamento melhor, ou não. Hoje como estou um período estacionado no Brasil, voltamos ao normal, aluguel, condomínio, luz, gás, internet…e por aí vai… e estou re-aprendendo a administrar tudo isso.

    Maaas acho que a parte que acho que mais ajuda a construir uma vida financeira saudável, é sem dúvida acabar com pensamentos negativos em relação ao dinheiro como o Henrique disse, saber equilibrar prazer, economia e metas como a Carol está tentando, e aplicar a pergunta, eu preciso mesmo disso, como a Tati disse, e se possível economizando e investindo para emergências como o Felipe!

    Esse aparelho deu um bom caldo ou suco!

    • Belo relato, Vinnão! Cada um tem sua maneira de lidar com money… uns mais rígidos, outros nem tanto. O lance de ter um, ou mais, clientes fixos é uma mão na roda pra poder se organizar financeiramente.

  • Que episódio, pessoal! O tema foi abordado tão facilmente que nem me pareceu ter quase 2 horas. Eu comecei a me preocupar com finanças desde a época da faculdade, era o cara que morava fora. Então, saber render o dindin era uma necessidade.

    Já conheço o Organizze e realmente parece bom esse YNAB, mas confesso que a planilha do Excel me auxilia perfeitamente. Seja pelo app ou não, ter em mente para onde está indo o dinheiro faz toda a diferença.

    A minha próxima meta é trocar o computador, o antigo é Highlander (who wants to live foreeeever). Provavelmente juntarei um valor X e farei como o Felipe. Sem medo de pechinchar!

    • Mais um pro time do Excel! Tamo junto, Douglas! o/

      É isso que você falou, não importa se é app ou excel, o lance é saber o conceito por trás. É entender porque você está anotando suas entradas e saídas de dinheiro.

      Não é porque é bonito, prazeroso ou porque dá uma sensação especial de controle. Mas porque fazendo isso você pode usar o dinheiro com mais consciência, alinhado ao que você quer pro seu presente e pro seu futuro.

      Legal que curtiu o episódio! Obrigado por participar do papo!

  • Cláudio Barbosa

    Henrique, faça uma segunda parte desse cast com o elenco casado e com filhos adolescentes rsrsrsr é tenso!!!!

    • Boa, Cláudio!
      Verdade, faltou um representante da ala de ‘pais’. Conserto isso na próxima! ;)

    • hahahahhaha… Exato Claudio! Por exemplo, no papo sobre carros… Eu A-DO-RA-RIA

      • Belo ponto, Dani! Com certeza esse olhar de quem já tem uma família constituída ficou de fora do nosso papo. Muito bem complementado. Abriu minha visão aqui.

  • Gentem! Ficou bacana demais esse podcast hein? Esse assunto de finanças é muito importante e realmente muito cercado de tabus.

    Tati, tamo juntas aí no descontrole. Eu já fiz dívidas enoormes sem nem saber como. E de uns anos pra cá, assim como você, começei a aplicar o minimalismo na minha vida. É bacana entender esse impulso de comprar e observar quais as compras que realmente trazem alegria e/ou beneficios pra sua vida. Hoje eu tendo a gastar mais em experiências (viagens, cinema, livros e – adoro – plantas) do que em roupas, sapatos, cacarecos. Uma coisa que me ajudou muito com isso foi o livrinho da Mary Kondo (A mágica da arrumação). Mais que um método para organizar a sua casa, ele te ajuda a entender o que você realmente precisa/quer. Um exemplo simples, mas que me fez perceber isso claramente: eu adoro camisetas. E tinha várias lisas pq eu achava que eram basicas e fáceis de usar. Com o método eu consegui sacar que eu não gostava de verdade das minhas camisetas lisas, só achava que tinha que ter. Isso me ajudou a entender melhor como gastar meu dinheiro quando vou comprar minhas roupas. O método pode parecer um pouco louco a primeira vista, mas pra mim deu super certo.

    Outras coisas que tenho feito para melhorar minha relação com dinheiro:
    – Também pratico o imposto Dani Lima :p Como minhas contas PJ e PF são separadas, tenho esse imposto pra empresa – 10% de todo o meu faturamento fica pra empresa para arcar com custos relativos à empresa, ou cursos, manutenção de equipamentos etc e quando o “liquido” vai pra conta PF tb separo uma parte pra esse imposto. Logo de cara. Realmente se for esperar sobrar, não sobra nunca.

    – Isso é ótimo pq ajuda a acabar com aquele pensamento “são só R$ 10,00”. Se o que dá pra guardar são R$ 10,00, então guarda R$ 10,00. Em 10 meses de R$ 10,00, vc já tem R$ 100. E isso já pode pagar uma manutenção por exemplo. Se esse gasto aparecer de repente (e eles sempre aparecem de repente) ao invés de apertar o orçamento em R$ 100,00, vc usa esse fundo (que, mantendo a pratica mês a mês, vai sempre crescendo)

    – Ter dinheiro para 3 meses de gastos investidos (ou melhor, esquecidos). Com isso de sacar o FGTS, usei a grana para colocar o valor que eu precisava no tesouro direto e esquecer ele lá. É o meu fundo “a casa caiu”. É pra usar só em imprevistos grandes. Por exemplo, minha mãe faleceu em julho e isso acabou gerando um desequilibrio no meu orçamento pq tive que ficar no Rio, fazer varios gastos extras no dia-a-dia. Dai peguei um pedacinho desse dinheiro e acertei as contas. Mas não vale usar para quando a gente gasta demais de bobeira :p É para momentos difíceis da vida mesmo. Assim você tem que lidar só com o stress da situação ruim da sua vida, não mais com o stress de não ter grana.

    – Fazer um orçamento anual. Esse estou começando este ano mas já estou achando ótimo. A idéia é fazer uma planilha com os gastos extras do ano. No mês a mês a gente costuma conhecer nossos gastos – aluguel, comida, internet… Mas no ano, sempre temos gastos extras que desiquilibram o mês. No meu caso: no inicio do ano tenho gastos altos com uniforme das crianças, material escolar, no meio do ano tenho que pagar IPVA, seguro (como eu queria poder não ter carro), tb contabilizo os gastos com os aniversários das crianças e a viagem em família que fazemos todo final de ano. Dentre outras coisas, tipo coisas grandes que quero comprar pra casa e, aprendi com o YNAB, uma categoria: coisas para as quais eu esqueço de guardar :) Dá um valor grandão, tipo na casa de dezenas de milhares de reais. Mas daí, quando você divide por 12 meses (afinal vc está guardando para o próximo ano), vc vê o quanto você precisa guardar por mês para atender este orçamento. Já fica bem mais fácil. E daí, quando tem dinheiro “a mais” do que você gasta no mês, você já sabe que não é “a mais” de verdade, pq vai pra conta de investimento (eu uso o tesouro direto) dos gastos anuais. E dai, quando chegar aquele IPVA maldito, vc já tem a grana pra pagar a vista e ainda aproveitar o desconto. Nem todo mês é fácil, mas é ótimo ter essa sensação de “visão além do alcance” :)

    – Eu baixei o YNAB mas não consegui usar. Mas adorei as dicas deles. E tenho aplicado em outro aplicativo, esse brasileiro: o Guia de bolso. Tenho zero receio de conectar à minha conta e acho otimo que eles pegam meus saldos, poupanca, investimento, tudo direto do meu banco e eu tenho uma visão unica ali. Todo mês faço o planejamento dos gastos (essa coisa de cada real ter uma função é muito genial) e vou me guiando por ali, como disse a Carol. Mudou totalmente minha forma de gastar.

    – Com isso, consigo planejar o quanto posso gastar de saídas com as crianças por exemplo. Antes achava muito difícil determinar se dava pra levar eles no parquinho ou não. Agora eu sei que se tem dinheiro na categoria “filhos” eu posso levar, senão não (ou remanejo de alguma outra categoria). Life changing! :D

    E a Carol te razão. Temos que perder o receio de falar de dinheiro. Ele é só uma ferramenta. Não é medida de sucesso e nem de fracasso. Para entender as travas emocionais ao lidar com dinheiro, sugiro o “Detox de dinheiro” da Paula Abreu. Ele montou um curso (não fiz) mas tem varios conteudos gratuitos esplhados no blogs e videos dela. Ela tem aquela pegada de “empreendedor de palco” mas o conteúdo que vi do detox é bem bacana e me ajudou. Não achei o vídeo que eu vi, mas tem algumas coisas no blog dela: http://www.escolhasuavida.com.br/?s=dinheiro O negócio é ler, assistir e ver o que ressoa com cada um, para conseguir melhorar a relação com o dinheiro.

    Beijo grande e saudades de vocês! :D

    • Senhoras e senhores: Daniele Lima! Clap, clap, clap! Que bela participação!

      Legal que tu tb tem o imposto ‘Dani Lima’! Eu também aplico os 10%. Houve uma época que conseguia fazer 20%, mas hj o cenário tá um pouco diferente.

      E o legal é isso, o lance é economizar o que puder, nem que seja R$ 1,00. Só de criar o hábito de economizar já é uma vitória imensa. Vale a pena.

      Tem que lembrar que profissional independente não tem aposentadoria. Quanto mais cedo começar a pensar nisso, melhor.

      No início do próximo ano, pretendo botar uma grana no Tesouro Direto, vou te gritar se precisar de ajuda! ;)

      Brigadão por participar, Dani!

      • heheheheh.. pode chamar. Sei la se consigo responder mas eu tento :p Por aqui, meu marido que é meu consultor de finanças :p

    • TatiHardt

      Dani, sua linda! Adoro o Marie Kondo também, ela foi minha primeira inspiração dentro do minimalismo.

      Com relação ao YNAB, eles mesmos dizem que antes de ser um aplicativo, é um site educativo. E é mesmo, é perfeitamente possível aplicar o que eles ensinam em qualquer outra plataforma. Eu to sempre de olho no conteúdo que eles postam :)

      E já que você tem que administrar essa família linda aí, vou recomendar outro livro do Cerbasi com título meio brega: Casais inteligentes enriquecem juntos. Boa parte do livro é sobre finanças para quem tem filhos.

      Sobre o Tesouro Direto, eu tenho um pouco de encrenca com ele porque não é tão óbvio/fácil de usar quanto as pessoas dizem ser. Esse negócio de ter que abrir conta em corretora e ter que calcular uma porcentagem do título que você quer investir dá um pouco de trabalho e nunca dá pra investir o valor exato que eu quero hehe. Claro que agora eu já entendi tudo certinho e até tenho um dinheirinho lá, mas ainda acho que vale mais a pena abrir uma conta no banco Sofisa Direto e investir nos CDBs/LCAs deles, porque dá pra começar com R$ 1,00. Mas também acho que é tudo questão do perfil de cada pessoa mesmo. Ah, também precisamos lembrar de nunca colocar todos os ovos na mesma cesta, então diversificar é a palavra-chave ;)

      • Oi Tati :)

        Olha, uma coisa que o podcast me abriu os olhos foi isso dos ovos na mesma cesta… Eu tenho uma preguiça danada de gerenciar dinheiro/investimentos (burro, eu sei…) e tenho jogado tudo no tesouro.

        Pra mim é facil pq o Itau tem uma corretora online e achei bem simples de usar. Essa coisa da porcentagem e meio doida mesmo, mas me entendi com ela.

        Mas vou olhar melhor essa coisa de diversificar. E tb ver esses sites de investimento/robozinhos.

        Beijos!

        • TatiHardt

          Só fica de olho se o Itaú não tá te cobrando alguma taxa pra investir no Tesouro, pq aí não vale a pena mermo ;)

          • Isso aí, sempre de olho nas taxas que o banco cobra. bem lembrado, Tati! ;)

  • Darllysson Honorato

    Muito bom o episódio, adorei! Eu também uso planilha do excel pra fazer gestão financeira, já tentei usar aplicativos, mas nenhum oferecia a clareza que a minha boa e velha planilha me trás, alguns meses perco o controle, mas sempre identifico o problema e vou tentando melhorar a cada mês.

    • Legal, Darllysson! Tô surpreso com o número de pessoas que usam Excel, achei que eu seria o único ‘old school’ do pessoal.

      Eu também, volta e meia, dou uma relaxada e deixo a planilha de lado, confesso. Mas nada se compara a ter tudo bem anotado na ponta do lápis. Tudo bem planejado, sem sustos.

      Abraço e obrigado por trocar essa ideia aqui com a gente.

  • Daniel Spacof

    Caras, adorei este episódio, gosto muito deste assunto, muitas dicas foram úteis para mim.
    Eu sempre tive controle financeiro, desde antes dos 18 anos já tenho meus gastos anotados em planilha, aqui em casa nunca tive muita referência nisto, sempre vi meus pais passando muitos problemas com dinheiro, então acho que desenvolvi este lado, por não querer passar pelos mesmos problemas.
    Aprendi muito com a Nathalia Arcuri do Me Poupe, depois que passei a assistir ao canal dela, tomei várias atitudes que me fazem economizar dinheiro todo mês, como transformar minha conta em digital, cancelar meu cartão de crédito e criar um NuBank e investir meu dinheiro no Tesouro Direto.
    Outra coisa que fiz, que me ajuda muito foi ler o Pai Rico, Pai Pobre, este livro me ensinou coisas que vou usar pro resto da vida, como o conceito de “se pagar primeiro” que foi comentado no episódio.
    Parabéns pelo trabalho pessoal, grande abraço!
    PS: Aguardo o episódio sobre investimento (Henrique, convide a Nathalia Arcuri, já pensou? ^^)

    • Bacana, Daniel!

      Você começou cedo. Queria eu ter me interessado por esse assunto nessa idade, acho que me pouparia vários perrengues. Parabéns pela disciplina!

      Legal que você também leu o Pai Rico, Pai Pobre… acho que ele é uma bela porta de entrada pra quem ainda é relutante com o assunto ‘finanças’. Ele dá um belo panorama de como fazer o dinheiro trabalhar por você. Muito legal, reforço aqui minha indicação também.

      Vai ter que rolar esse podcast sobre investimento mesmo. Seria muito legal receber a Nathalia. Mas a gente ainda é peixe pequeno, acho que ela não aceitaria o convite… tem que ir lá no blog e no canal dela falar do Aparelho, quem sabe assim…;)

      Abração e obrigado pelo comentário, meu caro!

      • Daniel Spacof

        Poxa, esse episódio vai ser show, já estou no F5 aqui hahaha
        Abraço Henrique!

  • Quando deixei de trabalhar em emprego convencional para me dedicar integralmente à atividade independente, um desafio muito grande foi derrubar a barreira entre ser uma pessoa pouco materialista mas ao mesmo tempo querer ganhar dinheiro para sobreviver, e precisar pensar mais em finanças e economia (que é algo que só agora eu estou realmente conseguindo pesquisar e me interessar verdadeiramente). E nisso influenciam alguns fatores muito pessoais como “não saber pedir desconto” como a Carol mencionou, ou mesmo um dos maiores problemas relatados por freelas: não saber como cobrar quando os clientes estão nos devendo (até mesmo não ter coragem pra cobrar o real valor de um serviço). Isso é fundamental pq vc precisa aprender a GANHAR dinheiro além de aprender a administrá-lo.

    Pensando nisso tudo, estava ouvindo um podcast do Mamilos, (desculpa falar de outro podcast aqui, é contra as regras? hehe) chamado “Mulheres, dinheiro e independência” e fiquei DE QUEIXO CAÍDO com os dados apresentados, foi uma conversa transformadora e muito empoderadora pra mim, cheguei a me assustar com a identificação: sempre fui chamada de “mercenária” porque gosto de negociar e cobrar valores exatos e que considero justos para os meus serviços, mas sempre rolava uma certa culpa, que levava ao “mindset” comentado no livro que o Henrique falou (Os segredos da mente milionária) que é se distanciar dos assuntos relacionados e acreditar que querer ganhar dinheiro te torna uma pessoa ruim, mercenária, ambiciosa. Portanto indico fortemente (desculpa novamente indicar outro podcast).

    Enfim, a cada dia acredito mais que devemos sim nos informar e aprender a lidar com o dinheiro, mesmo que você não se considere alguém ambicioso ou materialista. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, o que realmente importa é, como diz a musiquinha, saber dizer pra grana “quem é mesmo o dono de quem”. :)

    Beijos a todos os participantes desta edição do melhor podcast do sul do Brasil. ♥

    • TatiHardt

      Fraaan, eu ouvi esse podcast também! Foi o único que eu ouvi do Mamilos, mas também achei libertador (achei o formato meio quadrado, mas depois que o assunto desenrola é lindo). E cara, ser ambiciosa está longe de ser um defeito, dentro da medida certa é uma puta de uma qualidade. Eu já to super apaixonada por educação financeira, to levando muito a sério esse negócio de ficar ryca hahaha. Ontem terminei de ler “Empreendedores inteligentes enriquecem mais”, do Gustavo Cerbasi (cheesy title, mas o conteúdo é incrível), e cara, finanças pessoais viraram brincadeira de criança perto de finanças empresariais :O Algumas coisas são demais pro meu cérebro de humanas, mas estou atrás de alguma consultoria contábil que caiba no meu bolso pra me ajudar a colocar os números no papel de maneira eficaz :) Enfim, recomendo o livro pra quem estiver disposto a levar a educação financeira para o próximo nível. Obrigada pelo comentário linda ;*

      • também foi o único lá que eu ouvi, e fui protelando algum tempo pq meu “cérebro de humanas” tinha medo de ouvir verdades. hahaha. Enfim, depois que você ficar fera já pode gerar um conteúdo pra ensinar a gente né? ainda estou apenas no início da coisa toda, então foi muito importante ouvir essa conversa de vocês, amei o podcast e adorei te ouvir pois fazia tempo q vc não aparecia aqui <3 beijo tatii

        • TatiHardt

          <3

      • Foda como o lance de ser ‘ambicioso’ tá atrelado a algo ruim.

        Eu acho que ser ambicioso é meio fundamental pra quem trabalha por conta própria. Senão você sempre vai ficar com a parte menor do bolo e vai estar sempre sofrendo e operando próximo a linha vermelha. Profissional nenhum produz bem nessas condições.

        O profissional independente tem que assumir que pilota um ‘negócio’. Tem que ter lucro pra reinvestir
        e conquistar melhores condições de trabalho e vida.

    • Muito legal, menina Fran! Belo comentário.

      O lance de primeiro saber GANHAR dinheiro é muito verdade. Não adianta a gente sair falando de como lidar bem com grana, se a grana ainda não tá chegando. Tem, de fato, esse primeiro step que precisa ser pensado. Muito bem lembrado!

      E sobre indicar outro podcast, problema nenhum. O lance aqui é difundir conteúdo legal pra manter todo mundo muito bem informado e qualificado! ;)

      Catei o link do ep do Mamilos, segue abaixo:

      http://www.b9.com.br/74805/mamilos-110-mulheres-dinheiro-e-independencia/

      Brigadão por participar, queridona! <3

  • Larissa Camargo

    Tenho bastante dificuldade em controlar meu dinheiro. Chega o fim do mês e não tenho mais nada e não consigo saber como gastei. Já tentei diversos sites/apps e técnicas e nenhum funcionou porque todas elas eu precisava ficar manualmente colocando meus gastos e recebidos (que não possuem data fixa) dia-a-dia.

    Um app que comecei a utilizar semana passada e que, até hoje, é o que mais me adaptei é o Planejei. Ele precisa de convite para entrar mas funciona como vocês falaram no podcast: você permite o acesso a sua conta bancária (ainda não está disponível para Bradesco) e Nubank, etc, e ele te dá todo o gasto já classificado por tipo de compra – como é no Nubank. Nele você também consegue definir objetivos e ele te dá dicas de quanto você precisa economizar para atingir esse objetivo num determinado período de tempo e te ajuda atingir esse objetivo. No fim do mês ele tbm faz um relatório dos gastos, se você gastou acima do que costuma ou não, qual foi o valor total, quantas compras, etc.

    Como é um app que acabou de ser lançado, em qualquer tela eles pedem seu feedback e, por ser brasileiro, facilita muito a usabilidade. É bem simples e acaba sendo um controle único de todas as finanças – ao invés de precisar ficar entrando em internet banking e etc e atualiza tudo automaticamente assim que o valor entra ou sai da conta.

    Estou bem otimista de que com ele vou conseguir me organizar melhor, então fica como dica e sugestão para todos aí ;)

    • Bacana, Larissa!
      Incrível como tem várias opções de softwares para finanças. São muitas opções. Bacana você trazer uma nova opção pra roda. Acho que o lance é testar e tentar encontrar a ferramenta que mais se ajusta ao seu perfil. Obrigado pela dica!

      Abração!

  • Acredito que o assunto finanças vai cada vez mais deixar de ser tabu, principalmente por causa da nossa geração, e mais precisamente por causa da cultura freelancer que está engatinhando.

    Isso porque é do caramba, por exemplo, conseguir reunir pessoas jovens para falar sobre economizar, investir, planejar, ganhar dinheiro sem culpa — coisas que não só não somos ensinados na escola como também muitos de nós não aprendemos em casa.

    Eu, por exemplo, tenho certeza de que se ainda estivesse num emprego não daria tanta bola para coisas como aposentadoria ou segurança financeira. Mas depois de passar por perrengues, ver que a grana que entra num mês não é garantida no outro, aí a gente começa a se dar conta que não tem ajuda externa que vá garantir nosso futuro sem cobrar nosso rim em juros.

    Por último: já estava entusiasmada com a ideia de investir, e vocês ainda aumentaram essa vontade. Obrigada pela inspiração! ^^

    • Legal, Carol!

      Incrível como ainda tem gente que não pensa em segurança financeira e aposentadoria. Acho válido a gente botar esse assunto na roda pra deixar o alerta pra que a galera não tire esse tópico do radar, acho bem importante pensar nisso pra evitar surpresas no futuro!

      Brigadão pelo comentário!

  • TatiHardt

    Gente, esquecemos de mencionar o Qipu http://www.qipu.com.br/
    É uma ferramenta simples e gratuita do Sebrae, voltado para empresas optantes do Simples Nacional. Ele gera relatórios como Fluxo de Caixa e de Resultados.

  • Emmanuele Alves

    Parabéns pelo conteúdo! Venho acompanhanado o aparelho elétrico a um tempo e os temas abordados sempre são interessantes!

    Falar sobre dinheiro, vida financeira é algo que não envolve só matemática ou lógica. É algo que resulta de vários tópicos; emocional, experiência de vida, etc, talvez por isso seja meio complexo de entender. Eu estou aprendendo e muito o que foi falado eu passei tmb. O que anda faltando em mim é a disciplina, eu começo a ter alguns resultados mas acabo deixando de lado e volto a estaca zero haha mas comparando com uns anos atrás estou bem melhor, vou ficar acompanhando para uma possível continuação deste tema! Abraços ;)

    • Oi, Emmanuele! Legal que tá acompanhando, fico feliz em saber que o conteúdo tá agradando. :)

      Com certeza, lidar com dinheiro é questão de disciplina e hábito. Acho que depois que a coisa engrena é meio definitivo… o lance é segurar firme nessa fase inicial pra poder colher os frutos um pouco mais na frente.

      Já tá na minha mira a continuação do tema.

      Abração e obrigado por participar!

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.