Podcast: Cidades para Profissionais Independentes - Lisboa
 Publicado: 05/09/2017 Atualizado: 12/09/2017

Podcast: Cidades para Profissionais Independentes – Lisboa

A qualidade de vida e a semelhança com o Brasil são alguns fatores que têm feito os brasileiros migrarem pra Lisboa. Vem ouvir os outros!
  Por Henrique Pochmann
Quem chegar lá por último paga pastel de nata pra todo mundo.
Ilustração: Thunder Rockets

[download] [feed] [itunes]

Com esse episódio sobre a cidade de Lisboa em Portugal, a gente inicia uma nova coleção de podcasts aqui no Aparelho Elétrico, é a série ‘Cidades para Profissionais Independentes’.

A ideia é sugerir cidades legais, criativas, inspiradoras pra quem trabalha por conta própria e também pensa em morar fora do Brasil. A gente vai falar sobre visto, acomodação, alimentação, segurança, saúde, educação e claro: oportunidades de negócios.

Aperta o play aí e vem saber mais!

Participantes deste episódio

Henrique Pochmann
Aparelho Elétrico

 Carolina Machado revisora freelancer Carol Machado
Revisão Para Quê?
Vinny Campos

Vinny Campos
Studio Lhama

Timeline do podcast

Abertura

Leitura de Comentários

  • Escolha a forma de controlar seu dinheiro que mais se encaixa no seu estilo de vida;
  • Separar dinheiro da empresa e das finanças pessoais;
  • Ganhar em Real e gastar em outra moeda atrapalha na contabilidade;
  • Guia Bolso;
  • Dados Perfil do freelancer 2017;
  • Diminuir custos fixos;
  • Fee Mensal para ter renda recorrente e poder se planejar financeiramente;
  • Utilizando Excel você consegue customizar seu fluxo de caixa de acordo com seu próprio perfil;

Pauta do Programa

  • Por quê lisboa?
  • Em comparação a Dublin, Lisboa tem um custo de vida menor;
  • Sobre os custos de estudar em uma universidade em Lisboa;
  • Artigo da Carol aqui no Aparelho Elétrico: Lisboa para freelancers e criativos em geral;
  • A acomodação é o item mais caro do orçamento em Lisboa;
  • Lisboa tem chamado a atenção dos nômades;
  • Em Portugal não existe faculdade 100% gratuita;
  • Universidade de Lisboa;
  • Universidade NOVA de Lisboa;
  • Como o custo de vida é barato, os salários são mais baixos também;
  • O que se pode comprar com 1 Euro?;
  • Dá pra viver em Lisboa tendo clientes no Brasil?;
  • Alimentação em Lisboa;
  • Canal Youtube Happy Meal Trip;
  • É preciso se planejar bem antes de migrar;
  • Valor por dia, solicitado pelo governo, para ir como turista para Portugal;
  • Visto D2 para empreendedores;
  • Artigo blog 360 meridianos: Morar em Portugal: visto, documentação e dicas;
  • Sobre incentivos para startups migrarem para Portugal;
  • Websummit. De Dublin para Lisboa;
  • Impostos em Lisboa;
  • Site para encontrar acomodação em Lisboa: Uniplaces;
  • Sobre saúde em Lisboa;
  • Certificado de Direito a Assistência Médica para Portugal (PB4);

Qual sua relação com Lisboa?

Você já pensou em morar em Lisboa, te agrada a ideia de morar em Portugal? Deixe a sua participação nos comentários e vamos levar o assunto adiante.

Equipamentos utilizados nessa gravação

Placa de som – Presonus Audiobox USB
Fone de Ouvido – Marshall Major Brown
Microfone – Condensador BM-800
Tablet – iPad Air

Posso te pedir um favor?

Se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais. Isso ajuda o Aparelho Elétrico a continuar publicando conteúdo relevante e gratuito pra todo mundo que trabalha de forma independente.

Cadastre-se na nossa newsletter e seja avisado da publicação de novos podcasts como esse. Basta colocar seu e-mail no box abaixo.

Abraço e até a próxima!

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann
Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.

Recomendados para você
 geral
A segurança, a cultura e o custo de vida baixo fazem de Lisboa uma ótima opção pra quem quer morar fora do Brasil.
  Por Carolina Machado
Participe da Conversa
  • Robson Felipe

    Que conteúdo massa! Até falaram de dinheiro, o que não é comum falar. Bom saber que com 1.000 euros tem como viver em Lisboa.

    Só queria saber como a Carol vai fazer com o visto após terminar o mestrado. Se ela quiser continuar morando em Portugal, qual a ideia dela p/ isso.

    E não conheço Portugal, mas posso dar duas dicas sobre Ciudad del Este, Paraguai (na fronteira com Foz do Iguaçu/PR):
    Lá também tem os “carteiristas”, cuidado com os caras na rua que tem só uma sacola, vão chegando perto de você e tentam colocar a mão no seu bolso p/ levar algo.
    E a cada esquina também vão te oferecer drogas, só que nunca comprei p/ saber se são boas ou apenas farinha. :D

    • Oi, Robson!

      Ainda não tenho planos para quando terminar o mestrado… aqui é vida louca! hahahaha

      Em tempo: eu vivo com em média mil euros porque divido as contas com meu namorado, então é possível que a vida se torne um pouco mais barata desse jeito.

      Essa experiência de viver em países da América Latina deve ser muito massa também. Você era freela lá também, Robson? Conta mais! :D

      • Robson Felipe

        Oi, Carolina. Eu morava em Foz do Iguaçu, 10 minutos de caminhada pela Ponte da Amizade e já estamos no Paraguai. Já trabalhei como freelancer p/ lojas lá, na área de design/programação compen$a.

        E Henrique, se for visitar Ciudad del Este para comprar e precisar de algum desses equipamentos que você utilizou na gravação, consigo bons descontos p/ você. :p

        Abraços!

    • Legal que curtiu o podcast, Robson!

      Ainda não tive a oportunidade de visitar o Paraguai. Mas vou ficar esperto agora quando a hora chegar. ;)

      Foda é que em toda cidade turística tem gente tentando se dar bem. Lembro que quando fui pra Buenos Aires pagamos 4x mais o valor de um táxi do Aeroporto até o centro de Buenos Aires.

      E só descobrimos que tínhamos sido ‘engambelados’ quando o taxista que nos levou de volta do centro para o Aeroporto disse que o custo era apenas 1/4 do que tínhamos pagado na chegada. É mole? Turista tem que ficar de olho aberto!

      Grande abraço e obrigado pelo comentário!

      • quando eu fui pra Buenos Aires, tinha um contato de facebook de um taxista muuito gente boa, que esperou no aeroporto, com plaquinha de nome e tudo, hahah. Ele até fazia câmbio por um valor bem honesto, e mandava mensagens com promoções dos passeios pela cidade. Longa vida ao sr. Nestor ♥ de modo geral, me avisaram bastante sobre a malandragem que rola por lá, então eu já fui com o ** na mão. hehe

        • hahaha, serviço VIP! Pena que eu não te conhecia na época pra me dar essa barbada, Fran. Se eu for de novo, vou querer esse contato, hein?! =)

  • Manuela Freire Lopes

    Muito bom este podcast! Como disse anteriormente, já morei em Lisboa, no começo do século (ai, falando assim, sinto-me super velha :). Era o início da web, e o que aprendi trabalhando lá numa agência de design, foi de grande valia. Sempre vou à terrinha, pois meu pai é português e tem família no Porto. Mas gosto muito mais de Lisboa. :)

    Quando estive aí, agora em junho, fiquei um pouco surpresa em como o preço do aluguel subiu. Para quem vai morar sozinho, já fica salgado. O ruim de a cidade “estar na moda” é isso. Muita procura para pouca oferta. De qualquer forma, ao ouvir essa conversa, me deu vontade de tentar repetir a experiência! :)

    • Legal, Manuela!

      No final das contas, não dedicamos espaço para o famoso pastel de Nata. Conta pra gente aí… qual a tua opinião sobre essa iguaria? :)

      • Manuela Freire Lopes

        Quando morei em Lisboa, morava numa casa exatamente em frente aos pastéis de Belém, e comi uma única vez. Sei que sou uma exceção! Não curto muito doces que levam ovos. Então os doces portugueses não me fazem salivar. Mas se colocar na minha frente uma torta de limão… ;)

        • haha… os fãs dos pastéis de Belém que não leiam esse desperdício! ;)

          Lembrei que quando estive em Lisboa, entramos em um táxi e pedimos pro motorista levar a gente a um lugar legal pra comer pastéis de Belém. Ele nos levou, estacionou o carro, entrou no estabelecimento com a gente. Todo falastrão, cumprimentando todo mundo. Com a autoridade de um chefe de estado pediu uma rodada dos pastéis e um café. A gente se olhando, estranhando toda aquela iniciativa. Ele tomou o café, comeu dois pastéis e desapareceu. Pensamos que ele tinha ido ao banheiro. Mas não. Deixou a gente lá, sem taxista e com a conta pra pagar.

          • Manuela Freire Lopes

            S-U-R-R-E-A-L :)

          • @henriquepcm:disqus só dá azar com os taxistas hahaha

          • Hahaha, pior que me dei conta disso escrevendo esse outro relato aí. E agora já lembrei de alguns outros causos… cada uma…

          • mestre em tomar golpe! auhsuahsuhs

          • também conhecido como ‘guri de apartamento’. =P

    • Manu, não adianta: depois de sentir o gostinho de pôr o pé pra fora, é difícil não querer voltar! :)

  • Henrique, sobre o ep. das finanças ainda, eu uso uma planilha no modelo da sua, mas adicionei uma tabela “Controle Manual” onde tenho todas as contas + bolso e um campo de validação. Daí me ajudou muito a controlar a grana =D

  • Celine Muller

    Olá Galera. Escuto sempre o Podcast do Aparelho Elétrico. E sempre tem conteúdo e dicas bacanas. Trabalho de forma independente desde 2014 com projetos de quiosques para shopping e 80% dos meus clientes nunca me virão nem me conhecerão pessoalmente. Adoraria me mudar e trabalhar em outro país, mas por questões pessoais (casamento, marido servidor público) não é possível. Mas ainda está em minhas metas ficar pelo menos 4 meses fora, desde que eu leve meu cachorro! rsrsrs

    • Oi, Celine!

      Se o seu marido tiver direito àquelas licenças que são concedidas a funcionários públicos, já dá pra tirar o ano sabático. :D
      Pra trazer o cachorrinho já tem um pouco de burocracia, mas seguindo os passos todos acho que é de boa.

      • Celine Muller

        Ah sim, ele tem uma licença premium pra tirar, estamos estudando o caso! :)

    • Oi, Celine!

      Legal que tá acompanhando o podcast. Fiquei curioso pra saber em que parte do projeto dos quiosques você se envolve… pode contar um pouco mais?

      • Celine Muller

        Então, conheça um pouquinho do meu serviço no insta @celinemullerdesign ou no site http://www.celinemullerdesign.com

        Eu sou designer de produto e trabalho com a parte de projeto da estrutura do quiosque e a parte gráfica.

        Já fiz projetos para 19 estados brasileiros e alguns no exterior, já que consigo detalhar o projeto em ingles e auxiliar a execução a distancia em ingles também!

  • Jony Anderson

    Mais um ótimo podcast com um assunto super relevante pro momento em que quero ir pra Portugal. Porém meus planos são pro ano que vem. Até lá espero que Portugal sobreviva à moda e à nossa invasão pós-fuga do Brasil. Hahaha

    • Torceremos pra que sobreviva, Jony! =)
      Legal que gostou do podcast!

      • Jony Anderson

        Mano… vou ser repetitivo sempre que disser que gostei, pq é bom demais o podcast de vc´s.
        O de Meditação foi foda, tô devendo ainda o do “dinheiro”, mas deve ser pq não sei o que é isso. Hahahaha Me enrolei com mudança de casa aqui no Rio (onde fico a semana por conta do trabalho), organização do espaço, como ir e voltar do trabalho, mas agora tá estável.
        Tenho indicado Aparelho pra uma galera. Uma amiga que é impaciente demais – tenho que reconhecer isso -, surtou com a “demora a começar a entrar no tema”, eu dei risada, mas nesse de Portugal, me peguei indo lá pros 20 e tantos minutos pra começar a ouvir o EP em si pq estava muito na pilha de saber logo tudo o que tinham a dizer. Eu não tenho do que reclamar, mas deixo esse feedback de terceiros. Vai que ajuda em alguma análise? Sei lá, né? ;) Abraaaços

  • Jony Anderson

    Ouvindo novamente, reparei do salário mínimo português de 500 e poucos euros, e um pessoal q conheço do interior me falou de 1.200… Será que ganham mais que o mínimo ou isso muda de região ali dentro de Portugal? Ou por nicho de trabalho? De especialização tipo os sindicatos brasileiros com seus “tetos”?
    Pq essa pessoa paga 200 e poucos num quarto, estuda, se veste, come, passeia e ainda consegue, com esse salário de 1.200 que eu não acho fodão assim, guardar uma merreca de economia. Mas pensando em qualidade de vida, esse salário atende bem, mas os 500 e poucos não!
    E agora? Hehehe

    • Jony, não sei se existem pisos diversos de acordo com cada categoria, mas o mínimo nacional é 550 e uns quebrados, sim.

      E, acredite, com 1200 fixos dá pra fazer bastante coisa em Portugal, ainda mais pagando 200 € no quarto. :)

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.