Como fazer a prospecção de clientes – em detalhes
 Publicado: 01/04/2015 Atualizado: 14/11/2017

Como fazer a prospecção de clientes – em detalhes

Supercompleto, sem censura e em detalhes. O artigo definitivo pra você turbinar as suas prospecções e conquistar os melhores clientes.
  Por Henrique Pochmann
Acho que avistei um cliente ali!

Talvez “como fazer a prospecção de clientes” seja a dúvida mais comum entre os freelancers leitores aqui do Aparelho Elétrico.

Recebo vários e-mails tocando neste assunto. Sempre tento ajudar e respondo com algumas dicas que aprendi com o tempo.

Mas a verdade é que a prospecção e fidelização de clientes é um assunto bastante importante e complexo. É impossível abordar tudo em apenas um e-mail.

Assim resolvi escrever este post.

Nas próximas linhas, vou compartilhar com você tudo que sei sobre atrair e se relacionar com clientes.

Espero que esse texto ajude você a encontrar os clientes adequados para o seu negócio e que você construa parcerias produtivas e duradouras com eles.

Agora sim, vamos lá!

Primeiro de tudo: mapeie seus diferenciais

prospeccao-de-clientes-mapeie-suas-qualidades

Segure a ansiedade. Antes de sair por aí afoito caçando clientes, você precisa estar seguro do que vai vender. Neste caso: você mesmo, caro freelancer.

Sendo assim, olhe para você mesmo e pense no que faz de você uma boa opção.

Em resumo: por que alguém contrataria você e não outra pessoa para algum serviço?

A resposta pra essa pergunta precisa estar bem clara na sua cabeça. Só assim você vai conseguir vender seus serviços de forma segura e competitiva.

Alguns exemplos de respostas para essa pergunta:

  • xx anos de experiência;
  • mais de xx projetos realizados;
  • trabalhou em x lugar;
  • conquistou o prêmio x;
  • é o fundador do projeto x, que faz…;

Enfim, existem diveras respostas que você pode encontrar. Olhe para a sua carreira e mapeie cada uma delas.

É importante lembrar também que um diferencial pode servir mais para um cliente do que para outro.

Analise o perfil do seu prospect a ressalte os seus diferenciais que mais têm a ver com o negócio dele.

Por exemplo: se você está prospectando um hotel, pense na sua carreira e veja o que você já fez de serviços relacionados a hotelaria. Ter experiência no nicho do seu prospect é um diferencial decisivo.

Quando tinha o meu escritório, entramos numa concorrência para disputar a conta de uma empresa na área da tecnologia (prestavam serviços de SMS).

A empresa chamou cerca de 5 concorrentes e pediu que cada um criasse um folder para mostrar como seria trabalhada a comunicação da marca.

O prospect adorou o nosso folder. Era nítida a empolgação dele em relação ao material. Podíamos ver os folders dos outros concorrentes ainda sobre a mesa. O nosso era disparado o mais bem elaborado.

Você acha que conquistamos a conta?

Infelizmente, não.

Eles optaram por trabalhar com outro participante que, embora tivesse um potencial de criação mais baixo, já havia trabalhado com uma empresa concorrente e portanto entendia mais do mercado.

Sendo assim, não subestime as suas experiências passadas. Elas podem ser valiosas no futuro.

Sempre que você for abordar um prospect, pense o seguinte: “O que ele precisa saber a meu respeito para me contratar?”.

Isso vai ajudar você a selecionar as informações mais marcantes da sua carreira e vai aumentar as suas chances de causar uma boa primeira impressão.

Tenha um bom material de prospecção

prospeccao-de-clientes-tenha-um-bom-material-de-apresentacao

Agora que você já mapeou os seus diferenciais. Chegou a hora de organizar essas informações e apresentá-las em um bom material de marketing.

É de vital importância que você tenha marca, cartão de visitas, site com portfólio e assinatura de e-mail. E se possível, tenha também PPT e folder de apresentação. Canais em redes sociais com boa audiência também é um bom diferencial.

De nada adianta você ter anos de experiência e isso não estar escrito no seu site ou PPT. De nada adianta ter realizado diversos projetos, se você não tiver um portfólio. É preciso mostrar, deixar registrado e disponível para todo mundo que for buscar informações a seu respeito.

Não tenha medo de se promover.

Essas informações precisam aparecer, pois é baseando-se nelas que os prospects tomam decisões. É em função delas que os prospects te qualificam ou desqualificam para um serviço.

Capriche nos seus materiais de prospeção. Lembre que são eles que te representam quando você não está presente. Seu material precisa traduzir seu perfil, sua experiência e seu profissionalismo.

Muitos freelancers reclamam que não são levados à sério e que não conseguem se remunerar adequadamente.

Quando você vai olhar o material deles, vê que nem eles mesmos se levam a sério. Fica claro que não deram atenção ao seu próprio material de prospeção.

Aí não dá!

Primeiro você precisa se encarar com seriedade. Primeiro VOCÊ precisa acreditar em você. Só assim você convence os outros.

A qualidade do seu material de prospecção é diretamente proporcional a qualidade dos clientes que você vai atrair. Pense sempre nisso.

Quer clientes bons? Faça um bom material.

Para prospectar é preciso ir à luta

prospeccao-de-clientes-e-preciso-ir-a-luta

Várias vezes já me perguntaram: “como eu faço para receber mais indicações de trabalho?”. Assim como eu mencionei antes, já falamos disso no post: Faça mais networking e veja sua carreira freelancer decolar de vez.

Mas o lance é não esperar. É ir à luta. Se você está precisando de trabalho, corra atrás. Mostre seu diferencial.

Aí você pode me dizer: “Ah, Henrique. Isso é bonito no papel. Mas não funciona.”

Funciona sim. Pode acreditar. Só que às vezes demora.

A verdade é que queremos tudo imediatamente. Tipo: “tô precisando de trabalho. Vou escrever dois e-mails e vou conseguir.”

Não é assim que a coisa funciona. Não é assim que a banda toca, amigão.

Às vezes, pra se conquistar um cliente bom. É preciso trabalhar ele durante um bom tempo.

Envia um e-mail e se apresenta. Depois manda outro tentando marcar uma reunião. Depois faz outro contato perguntando se estão precisando de algo. Depois envia outro e-mail mostrando o que tem feito. Pra lá na frente, meses depois, finalmente fecharem algum job.

Prospecção pode ser um processo bastante lento. Quem é muito ansioso pode se frustrar com a demora.

Prospecção é como namoro. Você não vai conhecer uma mulher na balada e imediatamente colocar uma aliança no dedo dela. Ela vai no mínimo achar que você não bate bem. Sua pretendente precisa de tempo pra te conhecer e confiar em você.

Assim também é com seus prospects. Dê tempo para que eles te conheçam. Mostre-se disponível. Mantenha contato. Dessa forma vão se acostumar com você e os jobs aparecerão naturalmente.

Então…

Não espere que o trabalho te encontre. Vá você atrás dele. E dê tempo ao tempo para que as coisas aconteçam.

Selecione bem o alvo da sua prospecção

prospeccao-de-clientes-selecione-bem-o-alvo

Você não precisa aceitar qualquer trabalho que te aparece. Você também não precisa levar adiante uma prospecção com um cliente que só vai render “trabalhos abacaxi”.

“Ah, mas eu preciso pagar as contas, Henrique!”. Certo! Concordo, é preciso pagar as contas.

Mas muitas vezes pegamos um trabalho só pela grana e depois pra concluir é um suplício. Surgem outros trabalhos mais legais/importantes no meio do caminho. E o fôlego pra finalizar o “trabalho abacaxi” é cada vez menor.

Às vezes nem o dinheiro é a motivação suficiente para levar um trabalho até o fim. É melhor não pegar o projeto do que largar ele no meio.

Tem uma frase que eu não sei de quem é, mas diz assim: “Não fique bom naquilo que você não quer continuar fazendo”. Ela ilustra muito bem o que estou dizendo.

Às vezes a gente pensa:

“vou pegar esse trabalho chato só pra garantir a grana e depois não vou fazer mais”.

E depois daquele, outro igual aparece, e outro e outro… e seus clientes começam a te indicar para outros clientes e assim você entra num ciclo de “trabalhos abacaxi” cada vez mais difícil de sair.

Não se deixe levar só pelo dinheiro.

Capriche no que você gosta mesmo de fazer e aposte nisso. Você vai trabalhar muito melhor e vai gerar mais resultados para os seus clientes.

Prospectando você tem a liberdade de escolher com quem gostaria de trabalhar. Escolha prospects que tem a ver com você.

Fale a língua do seu prospect

prospeccao-de-clientes-fale-a-lingua-do-seu-prospect

Não caia na tentação de ficar usando termos técnicos e as palavras da moda para impressionar. Se seu prospect não for um profissional técnico, não vai entender nada e você ainda pode passar uma imagem de arrogante.

Se fizer questão, explique o que cada palavra significa. Assim você evita mal entendidos e já descobre até onde vai o conhecimento do seu prospect.

Se você tem dúvida do quanto a pessoa conhece da sua área, pergunte. Com isso você vai ficar mais confortável para vender seu peixe.

Também evite o exagero nos detalhes. Todo profissional quer ser percebido como antenado e moderno, mas começar a explicar tim-tim-por-tim como você realiza seus projetos, pode tornar a conversa um pouco desgastante e fazer seu futuro cliente perder o interesse em continuar a reunião.

É importante utilizar o mesmo nível de linguagem para que a comunicação flua naturalmente e gere empatia entre as partes. Afinal, se vocês vão trabalhar juntos, precisam se entender.

Você gostaria de trabalhar com uma pessoa com a qual você não consegue se comunicar? Eu não.

Portanto, não descuide da sua forma de se comunicar. Equalize bem o discurso de acordo com o nível de conhecimento do seu prospect e certifique-se de que você está sendo entendido.

Sua prospecção merece um método de abordagem

prospeccao-de-clientes-metodo-de-abordagem

Ao invés de tentar um contato aqui, outro ali, sugiro que você tenha um método claro de abordagem. Como por exemplo:

Passo 1

Ligue para a empresa e solicite o e-mail do profissional responsável pela contratação de serviços na sua área. Exemplo:

– Alô! (secretária)
– Alô! Quem fala? (eu)
– Fulana. No que posso ajudar?
– Fulana, meu nome é Henrique, eu sou freelancer, presto serviços como webdesigner. Você poderia me informar o nome e o e-mail do responsável por contratações nessa área?
– O responsável é o….
E então ela passa o contato. Você agradece e desliga.

No e-mail você se apresenta, diz que pegou o contato com a “Fulana” (é importante mencionar o nome da secretária), fala brevemente dos serviços que você presta e envia o link do seu portfólio.

O e-mail deve ser curto. Acrescente uma linha assim:

“Você tem um tempo essa semana para conversamos pessoalmente? Queria que você conhecesse um pouco mais do meu trabalho.”

Assim você já mostra que é um profissional sério.

Pode acontecer também de a secretária passar a ligação imediatamente ao responsável. Então você deve estar com o discurso preparado. A dica é sempre tentar uma reunião presencial. Não há nada melhor que um bom papo cara a cara para conseguir trabalho.

Passo 2

Caso você não tenha conseguido a reunião no primeiro contato, uma semana depois, envie um novo e-mail. Pergunte educadamente se seu prospect “teve tempo de ver seu e-mail” e torne a perguntar:

“essa semana está mais tranquila para conversarmos?”

Passo 3

Caso o passo 2 também não tenha surtido efeito, a última cartada é ligar para a empresa e pedir para falar diretamente com o prospect.

Se a telefonista passar sua ligação diga:

“Olá, ‘Nome do Prospect’! Meu nome é Henrique. Te enviei alguns e-mails nas últimas semanas, mas acho que você não recebeu. Trabalho como webdesigner e queria te mostrar um pouco do meu trabalho. Você teria um horário pra conversarmos pessoalmente?”

Simples assim. Sem firulas e direto ao ponto.

Se ainda assim ele desconversar e não quiser te receber. Aceite a situação. Não adianta insistir. Você precisa respeitar a vontade dele.

Passo 4

Se você sentiu que ele foi amistoso com você, mas parecia mesmo sem tempo pra te receber. Você ainda pode enviar e-mails mensais com alguns exemplos de trabalho que você anda fazendo. Mas desta vez não force para que uma reunião aconteça. Deixe a iniciativa a cargo dele.

Dica Extra e supervaliosa 1: amigos em Comum

Já com o nome do seu prospect em mãos, procure ele nas redes sociais e veja se vocês têm algum amigo em comum. Em caso positivo, pergunte ao amigo em comum se pode usar seu nome no seu e-mail de apresentação. Neste caso, você escreveria um e-mail assim:

“Olá, ‘Nome do Prospect’!”
Meu nome é Henrique, sou amigo do ‘Nome do Amigo em Comum’. Presto serviços como webdesigner. Meu portfólio é www.seuportfolio.com.
Você tem um tempo essa semana para conversarmos pessoalmente? Gostaria que você conhecesse um pouco mais do meu trabalho.”

Se possível, antes de enviar o e-mail. Peça pro seu amigo avisar ele de que você vai escrever se apresentando.

Dica Extra e Supervaliosa 2: não vá a empresa sem marcar horário

Talvez a galera old school discorde neste ponto.

Mas na minha opinião, ir lá bater diretamente na porta da empresa sem marcar horário não pega bem. Falo isso na posição de alguém que já esteve do outro lado.

Quando tinha meu escritório, às vezes chegavam fornecedores sem avisar. Eu estava com uma pilha de trabalho pra resolver e tinha que dar atenção ao fornecedor que não marcou hora. Eu achava isso um porre.

Comigo nunca contou pontos.

Então eu recomendo que você NÃO apareça nas empresas sem avisar.

Tente marcar um horário. É bem melhor quando a pessoa já está te esperando.

Consegui a reunião e agora?

prospeccao-de-clientes-consegui-a-reuniao

Conseguiu um horário? Ótimo!

Não se assuste!

Agora busque informações sobre o seu prospect, descubra tudo sobre ele. Revire a internet. É bom saber com quem você está lidando.

Depois de pesquisar sobre seu prospect, pesquise sobre a empresa. Leia o site inteiro, redes sociais e toda informação disponível. Isso vai ajudar você a entender a essência da empresa. E também pode te render alguns insights para oferecer os seus serviços.

Se os insights renderem. Anote cada um deles e apresente na reunião. Mas tenha bom senso, não exagere no número de ideias.

Porte e PPT

Tenha em mente o porte da empresa. Se for realmente grande e pode te render um fee mensal gordo, vale a pena dedicar bastante tempo se preparando para a reunião e vale a pena também elaborar um PPT de apresentação.

Seja breve no PPT. Mantenha uma ordem coerente:

1 – Quem você é;
2 – O que você já fez;
3 – De que forma pode ajudar a empresa;
4 – Formas de contato.

Um PPT ajuda você a ter uma boa condução da reunião e a apresentar as ideias em uma ordem lógica. Assim, é garantido que você não vai esquecer de mencionar algo importante.

Aja naturalmente

Ok, eu sei que essa é uma dica bem batida. Mas não custa lembrar.

No ambiente de negócios às vezes ficamos nervosos e deixamos de ser nós mesmos.

O ponto aqui é não assumir um tom robótico. Por mais que você tenha se preparado pra reunião e tem várias coisas pra falar, deixe as informações fluírem naturalmente, como em qualquer outra conversa. Confie em você.

Entregue seu material de prospecção

Chegou a hora de usar o material de prospecção que mencionei no início desse post.

Além de apresentar o PPT, entregue também o seu cartão de visitas.

Se quiser de fato causar uma ótima primeira impressão, trabalhe também com um folder.

Capriche no formato do seu folder. Tamanhos maiores são mais levados a sério. Trasmitem mais imponência.

Materiais impressos ajudam a perpetuar sua mensagem. Através deles, você reforça sua seriedade, engajamento e, mais uma vez, profissionalismo.

Evite falar de valores em um primeiro momento

Seu preço é uma questão decisiva. Se você mencionar um valor muito alto, você está fora. Se você chutar um valor muito baixo, você está fora também. Nessa hora, todo cuidado é pouco.

A melhor maneira de passar sua base de preço é pedindo um trabalho para orçar.

Mesmo que seu prospect não vá fechar, peça para lhe passar alguma demanda para que você faça um orçamento.

Caso você tenha dúvida sobre quanto cobrar, recomendo o artigo: Formação de preços para freelancers – leia antes do seu próximo orçamento.

Assim ele vai ver como todo o processo de trabalho acontece com você: atendimento, captação do job, entendimento da demanda, orçamentação, apresentação da proposta, etc.

Com isso, você dá insumos para que ele tenha mais valor percebido pelo seu trabalho. Bem melhor que passar um preço no escuro.

Faça o orçamento após a reunião

Realize o orçamento no seu local de trabalho. Não passe o valor na reunião. Você precisa de tempo para analisar a situação e passar um valor sensato.

Lembre-se: um cliente é diferente do outro.

Alguns clientes vão te render mais trabalhos, assim você pode diluir um pouco o preço. Pois você ganha a longo prazo. Outros clientes são mais pontuais, contratam apenas um trabalho por ano.

Você precisa analisar estas situações com calma e também formalizar o orçamento em uma proposta comercial clara e legível.

Caso você ainda não tenha um modelo de proposta comercial, disponibilizei o meu no Freelancer Doc Box.

Não esqueça de agradecer

Após a reunião. Mesmo que seu prospect não tenha te contratado, envie um e-mail agradecendo por ter te recebido.

Além de ser o comportamento de uma pessoa educada, isso fortalece e estreita o contato entre vocês.

#TamoJunto. Fidelizar é tão importante quanto atrair clientes

prospeccao-de-clientes-fidelizar-e-tao-importante-quanto

É comum o freelancer ficar tentando conquistar novos clientes e esquecer que é mais fácil vender para quem já comprou algo dele.

Se você atende bem e sabe que sua clientela está satisfeita, vale muito mais a pena você procurar eles do que tentar atrair novos clientes. Suas chances de sucesso são bem maiores.

Mantenha contato

Invista nos clientes que você já atendeu. Faça um pós-venda. Pergunte o que acharam do serviço. Pergunte se o resultado atingiu as expectativas.

Envie e-mails do tipo:

“Olá! Só estou escrevendo pra perguntar como foi o desempenho do último trabalho. Deu tudo certo? Se precisar de algo, estou à disposição. Conta comigo. Abraço!”

Isso estreita o relacionamento e você se torna um profissional presente, simpático e engajado no negócio do seu cliente.

Mantenha-se perto de quem já contratou os seus serviços.

Dedique um tempo a analisar seus clientes e tente identificar oportunidades para oferecer a sua expertise. Depois de identificar uma oportunidade, faça contato e explique ao seu cliente como aquilo vai ajudar a melhorar o negócio dele.

Não pense só em lucrar, faça algumas cortesias

Outra coisa importante para fidelizar seus clientes é não pensar só em lucrar. Não seja aquele tipo de profissional que aumenta o preço do projeto a cada pedaço de trabalho que estava fora do escopo:

“Não tínhamos combinado isso. Vou ter que aumentar o preço”.

Calma. Não é por aí.

Não estou também sugerindo que você trabalhe de graça.

Mas, se por acaso, algo estiver fora do escopo do projeto e você puder fazer sem que isso lhe custe horas e horas a mais no projeto, faça.

Faça e diga que você fez como cortesia. Com esse tipo de atitude você ganha pontos com seu cliente.

E se o cliente for fiel a você, sempre existe a possibilidade de cobrar essas horas em um novo trabalho. Claro, sem supervalorizar o novo projeto.

Parcerias de longa data são assim: você perde um pouco aqui pro seu cliente ganhar, depois ele perde um pouco ali pra você ganhar.

E assim se constrói uma parceria saudável de negócios.

E como você se dispõe a perder um pouquinho às vezes, certifique-se que seu cliente esteja disposto a perder um pouco também. Se você estiver trabalhando pra um cliente que sempre reclama do preço e sempre pede mais trabalho que o combinado, talvez esteja na hora de você abrir mão dele e liberar espaço na sua pauta para uma parceria mais vantajosa. Fique atento!

Seja honesto e sincero

Para fidelizar clientes é preciso ser honesto e sincero. Não tente acobertar as coisas. Seus clientes são pessoas inteligentes, sabem quando você não está falando a verdade.

O projeto vai atrasar? Diga a verdade e peça desculpas. Faça o possível para não atrasar mais.

O cliente quer sentir que você está dando a devida atenção e que você se importa com o projeto dele. Seus parceiros de negócios querem ver você engajado e motivado. Querem que você trabalhe como se o projeto fosse seu.

Não banque o fujão

prospeccao-de-clientes-nao-banque-o-fujao

Não atender ao telefone e não responder e-mails é uma atitude de um profissional que não está preparado para gerenciar a sua própria carreira. Esse tipo de freelancer queima o próprio filme e perde a clientela muito fácil. Fuja desse perfil, não fuja dos seus clientes.

Sempre responda os e-mails, mesmo que você esteja devendo algo. Não deixe seu cliente preocupado, sem saber o que está acontecendo. Deixe ele sempre a par da situação. Isso evita que ele pense que você abandonou o projeto e passe o seu trabalho para outro profissional.

Ser sincero e dialogar é sempre o melhor caminho. Não tenha medo dos seus clientes. Não pense que eles estão em um patamar mais alto que o seu. Eles precisam tanto de você quanto você precisa deles. Não estão te fazendo nenhum favor te contratando, estão te contratando porque precisam de você.

Faça por merecer essa confiança e jogue no mesmo time dos seus clientes.

 

Finalizando nossa viagem pelo mundo da prospecção e fidelização de clientes

Se você leu o post até aqui: parabéns!

Fico feliz que você esteja realmente engajado em saber mais sobre como atrair e conquistar clientes.

Espero que você tenha gostado e que esse conteúdo ajude você na sua próxima prospecção.

O artigo ficou grande, né? Realmente eu quis colocar aqui tudo que sabia e vivenciei sobre o assunto.

Deu um trabalho danado escrever isso tudo, formatar e pesquisar as imagens. Te agradeço se compartilhar este post nas suas redes sociais. Isso me ajuda a divulgar o Aparelho Elétrico e a trazer mais conteúdo gratuito e de qualidade para quem é freelancer.

Você já usou algumas dessas práticas no seu dia a dia? Conta pra mim aqui nos comentários. Vamos explorar mais o tema.

E pra você ficar totalmente por dentro de como é trabalhar como freelancer, recomendo que você leia o post: O guia definitivo para começar a trabalhar como freelancer

Cadastre-se na newsletter do Aparelho Elétrico e seja o primeiro a saber da publicação de novos posts como esse. Basta colocar seu e-mail no box abaixo.

Abraço e até o próximo post!

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann

Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.


Recomendados para você
 Negócios
É importante conhecer bem a sua capacidade de produção e falar "não" se for preciso. Não há nada de errado nisso.
  Por Henrique Pochmann
 geral
A história de uma experiência em dizer "não" para um cliente. Foi difícil, mas sobrevivi para contar!
  Por Dani Lima
 podcast
"Você começa a perder o cliente no dia em que você o conquista". Será que há maneiras de preservar o relacionamento com o cliente? Vem ouvir
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • Olá Henrique!
    Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa!
    Este é o material mais completo e direto ao ponto que encontrei sobre o assunto.
    Gostaria de agradecer por compartilhar este know-how com a galera que está começando,
    acredito que vai ajudar muitas pessoas, assim como eu!

    Grande abraço.

    • Olá, Diogo!

      Que bom que gostou do material! =)
      Obrigado pelo comentário!

      Grande abraço!

  • Rodrigo Brant

    Uma dúvida: Como prospectar clientes a distância? Ainda mais tendo a pretensão de levar uma vida de nômade digital isso é bastante importante para mim. Teria possibilidade de atualizar o artigo com essa informação? Desde já obrigado, um abraço! ;)

    • Oi, Rodrigo! Cara, muito legal tua pergunta. Também me identifico muito com esse estilo nômade. Acredito que não mudaria muito a forma de prospecção. Eu atendo clientes a distância e fecho trabalhos, às vezes, sem nem mesmo ver o rosto do cliente. No caso, antes de me contratar, o cliente sempre pede pra falar por telefone ou skype. Isso é uma forma de substituir a reunião presencial.

      Espero ter te ajudado um pouco.

      Grande abraço!

      • Rodrigo Brant

        Obrigado Henrique, ótima semana! ;)

  • Meus parabéns pelo post Henrique, excelente conteúdo! Para mim que estou começando a trabalhar como freelancer com minha dupla criativa foi de grande valor. Continuarei sempre te acompanhando por aqui e faço questão de compartilhar. Um abraço!

    • Fala, Diego! Cara, que bom que você curtiu o conteúdo. Muito obrigado por compartilhar. :)

      Abraço e sucesso aí nessa empreitada freelancer com tua dupla.

  • Veronica Gomes

    Parabéns hein Henrique! Post muito valioso! Só queria uma opinião sua: e quando seu novo cliente atrasa o pagamento, diz que não vai pagar juros, diz você está tratando o mal por te-lo “cobrado”, ameaça quebrar contrato e não fala com você nunca mais? rs

    • Wow, Veronica! Espero que isso seja só uma hipótese, espero que não esteja acontecendo com você. Bom… uma relação comercial é saudável quando os dois lados estão ganhando. É natural o cliente atrasar pagamento, assim como é natural o freelancer atrasar os projetos também. Faz parte do jogo. Sempre surgem imprevistos financeiros ou de tempo. Existem momentos em que você vai ter que flexibilizar para o seu cliente se dar bem e em outros momentos ele tem que fazer o mesmo por você. Eu nunca cobrei juros dos meus clientes. E raramente utilizo contrato. Não gosto desse ranço jurídico. Acho que temos que trabalhar para quem confiamos e conseguimos dialogar. Enfim… a dica que eu te dou seria refletir, será que está valendo a pena manter esse cliente? Às vezes, por mais doloroso que seja, é melhor deixar o cliente ir, focar nos outros que ficaram e colocar energia em buscar novos. Espero ter te ajudado!

      Abraço e fico feliz que tenha gostado do post. :)

      • Veronica Gomes

        Henrique, esse caso está acontecendo comigo sim rs. Comecei a fazer contrato pra não prejudicar meu financeiro e também porque lido com terceiros, então não posso ter riscos do cliente não me pagar. Geralmente sou bem flexível, sempre procuro entender o que aconteceu e renegociar uma nova data para não precisar cobrar juros, só teve o caso de um cliente que me pagou juros porque demorou 20 dias, e ele entendeu. Nesse o cliente não gostou, disse que estava viajando e que ia me ligar no dia x e nunca mais ligou, mandei email e nada. Hoje resolvi ligar, e ele até me tratou bem e falou que ia fazer um doc hoje – detalhe que já tem mais de 15 dias atrasados – comentei do juros, porque no meu caso, eu tenho um profissional que cuida da parte financeira, de contratos e ele demandou tempo verificando se o cliente pagou, se entrou dinheiro, atualizando valores e negociando com meus terceiros. Mas enfim, quando eu fui ligar estava decidida a quebrar contrato com ele, só pedir para ele me pagar o trabalho que foi realizado, sem juros e quebrar o contrato de 6 meses. Imagina passar por isso todo mês? ah não, achei muita falta de comprometimento e esse cliente é uma pessoa impossível de conseguir contato pois não responde nenhum email e raramente está na empresa. Estou aguardando um briefing de um dos projetos até hoje. Mas na conversa perguntei se teria outra pessoa na empresa que seja o intermédio entre eu e ele, e até agora parece estar tudo resolvido rs. Vamos ver né. Mas aprendi, nos próximos negócios o pagamento será pré-pago e estou estudando outras formas de pagamento como boleto, cheque ou credito. Se tiver alguma indicação, fique a vontade! Eu inclusive adorei o blog, tem muita informação valiosa. Tenho um também, mais voltado a criatividade e novidades, dá uma olhada: http://www.revistamktnews.com. Abraços!

        • Muito obrigado por compartilhar aqui tua experiência, Verônica. Acho que vai ser muito útil para o pessoal que acessa o blog. :)

          Uma forma de pagamento que estou começando a utilizar é o PayPal. Via Paypal é possível enviar um link para o cliente onde ele pode pagar o trabalho em até 12x (no cartão). E você recebe o valor na íntegra. Porém, tem um certo desconto. Mas pelo dinheiro na mão de uma vez só, às vezes vale a pena.

          Essas plataformas de pagamento (como o PagSeguro também) são uma mão na roda quando o projeto fica muito caro e o cliente precisa parcelar em mais vezes. É uma puta vantagem pra não perder estes projetos.

          Abraços! :)

          • Utilizo o paypal, e confirmo ,o ponto de vista do Herinque, é segurança para nós freelancer. Veronica…é muito simples abrir uma conta paypal, sem contar que existe outras formas que você pode até sacar o dinheiro em caixas eletronicos que é a forma de pagamento que adotei atualmente; é o cartão mastercard PAYNEER, excelente e voce pode fazer como eu, freelas para o mundo inteiro e receber em nossa moeda corrente. De uma pesquisada e veja se te agrada.

          • OBS. importante falar fluentemente ingles, para que suas propostas não sejam mal interpretadas. experiência própria.

          • Muito bom, Andre! Ótimo comentário.

  • Muito bom !! Conheci teu blog hoje, já comprei teu doc box, e o conteúdo do post é otimo! Parabéns! Ainda não vivo de freela, apesar de que está sendo bem divertido e lucrativo. Eu gostaria de arriscar e trabalhar em home office, mas financeiramente falando ainda não tenho segurança. :|

    • Olá, Vanderlei! Seja bem vindo. :)
      Legal que adquiriu o Doc Box! Espero que os itens te ajudem na administração do teu negócio.

      E o momento certo pra começar, definitivamente como freelancer, depende muito de cada um, numa dessas, daqui a pouco você se sente mais seguro para arriscar. Não é fácil trabalhar em tempo integral como freelancer… mas se ganha muito em liberdade, o que eu prezo bastante. Então pra mim, o balanço é sempre positivo.

      Grande abraço!

  • Elison Ocampos

    Só queria saber uma coisa, porque o nome do site é Aparelho Elétrico?!

    • Oi, Elison!

      Boa pergunta, cara! :)
      Escolhi esse nome porque ele passa uma sensação de agito, barulho e fuga do lugar comum.
      E tem um liquidificador na marca porque ele torna os alimentos líquidos, ou seja, mais fáceis de ingerir.
      O Aparelho Elétrico faz justamente isso, pesquisa conteúdo, desenvolve e apresenta de uma forma fácil de ler e entender. :)

      Grande abraço!

  • Amanda Vital

    Conheci o Aparelho Elétrico no início dessa semana, desde então todos os dias leio uma matéria antes de começar o trabalho e sempre acabo lendo mais duas pelo menos.
    Muito conteúdo esclarecedor e leve, você se informa e não sente que acabou de ler uma matéria enorme. rs
    Comecei esta matéria com um caderninho em mãos para anotar todas as dicas. :)

    Parabéns pelo trabalho incrível, Henrique Pochmann.
    Continuarei acompanho o seu trabalho.

    • Wow, Amanda! =D
      Curti muito teu comentário… fico muito feliz com isso. É ótimo saber que as dicas estão sendo úteis, isso só me motiva a continuar postando mais. Brigadão! :)

  • Henrique, li até o final seu artigo, muito proveitoso, me deu um novo horizonte, em partes que eu achava que estava certo e estava “pecando”. Vou reformular minha aboradagem aos clientes. Parabéns pelo “post” acredito ter ajudado não só a minha pessoa mas outros freelancers. Que vão utlizar de sua experiência. Ah! aproveitando o espaço…me deixo a disposição, quando precisar de um editor de imagens/animation graphic, para seus trabalhos. Um abraço e sucesso profissional.

    • Massa, Andre! Fico feliz em saber que o conteúdo está agradando e ajudando nos teus negócios. :)
      Grande abraço e ótimos projetos por aí!

  • Sensacional! Parabens pelo artigo Henrique! Adoro textos que possuem uma linguagem direta e simples. Sou Master Coach de Carreira, e suas dicas me ajudarão muito, você não faz ideia!! ;DD Gratidão e sucesso! _/|_

    • Oi, Pamella! Legal que curtiu o post e que o material vai te ajudar. Fico feliz em poder colaborar.
      Sucesso por aí e fica à vontade para comentar mais vezes. :D

      Grande abs!

  • Aê! Fico feliz que tenha gostado do post, Nicole! Brigadão por deixar o comentário aqui. :)
    Abraço grande!

    • Obrigado, Nicole! :)
      Fico feliz que o conteúdo esteja sendo útil.

  • Excelente, post! Complementando o comentário do amigo Diogo Kurihara abaixo, realmente o post mais completo sobre o assunto, que encontrei. Parabéns, Henrique! Obrigada por compartilhar :D

    • :)

      Que bom que curtiu, Isabella. Espero que te ajude a conquistar alguns clientes.

      Grande abraço!

  • Paty Portugal

    Olá Henrique!
    Recebi uma proposta para trabalhar como freelancer,nunca atuei na área mas sempre fui curiosa,excelente em redação e português e antenada em tudo o que acontece no mundo em geral. Pesquisando na internet descobri você ( graças à Deus! ) que me orientou bastante e me fez decidir que é o que realmente quero fazer. Obrigada! Irei te acompanhar de pertinho agora. Patrícia Portugal

    • Legal, Paty!

      Fico feliz que tenha gostado do conteúdo e vai passar a acompanhar o blog. Muito obrigado! :)
      Parabéns pela proposta recebida e boa sorte na nova jornada. Sucesso!

      Grande abraço!

  • Mateus Souza

    Saudações, Henrique!
    Acompanho sempre o Aparelho Elétrico, principalmente o podcast. Bom, eu mal li o conteúdo deste post e, já digo uma coisa: esse tema merece um podcast! Que tal?
    Sou grato por compartilhar tanto conhecimento junto com as feras que participam do podtcast! Me ajudou muito em uma época de grande transição da minha vida.
    Grande abraço e parabéns pelo trabalho!

    • Fala, Mateus!

      Legal que está curtindo o conteúdo do blog, cara. Dá um trabalho danado manter e é esse tipo de retorno que faz tudo valer a pena. Muito obrigado!

      Sugestão de podcast devidamente anotada. ;)

      Grande abraço!

  • Allan Dennis

    Parabéns Henrique, tava devendo um comentário aqui para fortalecer rsrs, afinal já bebi muito dessa fonte, entre podcasts e posts em geral, já consumi bastante do conteúdo, afinal é um excelente projeto, o Aparelho Elétrico.
    Uma coisa que acho massa pra caramba é o gerenciamento que você faz, entregando conteúdo relevante e de qualidade gratuitamente, mas ao mesmo tempo, como citou, vendendo o seu peixe, produtos, acessos, etc; gerando sua receita por trás do negócio, acho um gerenciamento fantástico de carreira.
    Particularmente agradeço bastante por termos material como esse e brazuca.

    Mas, rasgação de seda à parte (merecida, diga-se de passagem), deixa eu te perguntar algo em cima do post, (afinal esse espaço é para isso né?); o que você acha de nós como web designers criarmos pacotes? Qual a sua opinião quanto a isso? Já vi muita gente contra, mas muuuuuita gente fazendo; mas recentemente eu criei uma “promoção” com um valor fixo para criação de site institucional, hospedagem, etc, isso atraiu alguns clientes que já tinham um valor em mente ao me contatarem, conversando acabamos saindo fora da promoção porque cada projeto tem a sua especificidade, mas funcionou como atrativo, mas manda aí a sua opinião ;) Abs!

    • Fala, Allan! Muito obrigado pelos elogios, cara.

      Essa questão dos pacotes é bem polêmica mesmo. Porque na faculdade e na maioria das empresas que a gente trabalha sempre ensinam a gente a fazer algo único para cada cliente. Motivam a gente a sermos ousados e criativos sempre. O que é a parte legal da profissão.

      Porém, nem sempre temos a oportunidade de trabalhar pra um cliente que valoriza uma solução única e que tem dinheiro pra investir. Lembrando que freelancers, de forma geral, trabalham pra pequenas e médias empresas, ou seja, a grana de comunicação tende a ser curta.

      O freelancer é um cara sozinho, sendo assim tem uma baixa capacidade de produção. Então, pra viver bem, ele tem dois caminhos, ou faz do seu nome/marca uma grife trabalhando o branding, ou então parte para pacotes/templates/derivados.

      Já fui muito contra essa questão de pacotes prontos pra clientes. Mas hoje vejo que isso é uma saída sim. Vejo que é uma forma para se envolver menos nos projetos e fazer o lado financeiro girar. Não adianta trabalhar só por paixão, o dinheiro precisa entrar também.

      Mas fica um sugestão, não divulgue seu preço como em uma fruteira. Você pode ter seus pacotes e preços bem definidos pra você e passar pro cliente na hora do contato. Escancarar o valor em redes sociais não é legal, passa uma sensação de varejo… o profissional precisa se destacar pela qualidade do trabalho e não pelo preço. Recomendo mostrar o preço na divulgação apenas se você criou um produto.

      Opa, escrevi bastante. Não sei se ficou claro… se ficou algum dúvida, comenta aí que eu ‘clarifico’. ;)

      Abração!

  • Mauricio Mello

    Parabéns!
    É o primeiro artigo da Aparelho Elétrico que leio e fiquei muito satisfeito!
    Não achei que o artigo ficou longo, não. Conseguiste condensar muito bem o essencial. Por sinal, sou advogado, e 99% do que tu falou se aplica à minha carreira. Sempre busco me aperfeiçoar e, mesmo que pensemos que sabemos tudo, é sempre importante “reforçar ideias básicas”, além de agregar conceitos novos!
    Muito obrigado.

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.