Como ser redator freelancer escrevendo em Inglês
 Publicado: 25/01/2018 Atualizado: 30/01/2018

Como ser redator freelancer escrevendo em Inglês

Um guia inicial completo para você começar a sua carreira de redator internacional com o pé direito. Vem saber mais!
  Por Guilherme Ribeiro
"How you doing?"
Redator freelancer / Shutterstock
Se você trabalha em tempo integral como freelancer, participe da nossa pesquisa Perfil do Freelancer no Brasil 2018. É simples e rápido. Em 5 minutos você responde tudo.

Assim que chegarmos a 1.000 respostas, essa janela chata some daqui. Ajude a gente compartilhando o link da pesquisa. Obrigado! :)

Nos dias de hoje, o redator freelancer que fala inglês, ou mais precisamente que escreve bem em inglês, leva vantagem sobre seus colegas redatores que falam somente português.

Além de ter acesso a um mercado gigante (o mundo todo!) que está preparado para trabalhar com freelancers, tem o fato de ganhar em moedas estrangeiras (dólar, euro, libra, etc), o que facilmente triplica ou quadruplica os seus ganhos.

Eu comecei a trabalhar como redator em 2013 pelo antigo Elance, que se juntou com o Odesk e hoje em dia se chama Upwork. O meu primeiro cliente pagava $30 por artigo e todo o processo era muito fácil, nunca mudavam nada e nem pediam revisões.

Desde então, já escrevi para vários websites diferentes e cheguei a receber mais de $300 por apenas um artigo. Hoje em dia tenho uma seleção de clientes, incluindo websites que contribuo frequentemente, plataformas de trabalho freelance (focadas em redação e copywriting), e estou sempre mandando sugestões de pauta para novos sites para os quais quero escrever.

Se você já é um redator freelancer, escreve razoavelmente bem em inglês (ou está disposto a melhorar), e quer fazer parte dessa mamata, aperte os cintos e vamos lá!

Tópicos

É necessário escrever bem em Inglês

Do you speak english? / Shutterstock

Infelizmente se você não fala nem escreve nada em inglês, vai ser praticamente impossível almejar uma carreira com clientes estrangeiros. No entanto, caso seja um redator excelente, nada impede de colaborar com alguém que possa traduzir os seus textos do português para o inglês.

O Henrique já escreveu um texto ótimo sobre o assunto, Como aprender inglês sozinho para começar a faturar em dólar. De todas as dicas, o foco principal tem que ser na escrita, obviamente. Apesar de eu já ter tido várias reuniões por Google Hangouts ou Skype com alguns clientes, na maioria das vezes, toda a comunicação se dá por e-mail.

Outro ponto importante é que além de escrever bem (ideias, estilo, voz, etc) a sua gramática tem que ser impecável.

Não esqueça que você estará disputando com freelancers Americanos, Ingleses, Australianos (dentre outros) cuja língua materna já é o inglês.

Então, por exemplo, é necessário saber as diferenças entre o inglês britânico e o inglês americano. Palavras como memorise, labour, e dreamt (inglês britânico) mudam para memorize, labor e dreamed (inglês americano).

Também não podemos esquecer das expressões. Se você escrever para um público norte americano, eles provavelmente vão entender a expressão “It’s not my cup of tea” (inglês britânico), mas vão saber que (teoricamente) não foi um americano que escreveu.

Parece besteira, mas basta ler textos na internet escritos por portugueses (cidadãos de Portugal) para entender o que estou falando. Falamos a mesma língua, no entanto as expressões, estilos, e até preferência gramaticais são bem diferentes.

Você vai ter que aprender sobre os diferentes estilos adotados por cada website/publicação. O mais utilizado é o AP Style (Associated Press Stylebook), mas também existe o Chicago Manual of Style.

Pra piorar, às vezes os websites criam as suas próprias regras e se você for escrever para eles tem que respeitá-las. Dá uma olhada no Style Guide do BuzzFeed e da BBC, por exemplo, e vê se você consegue encontrar as diferenças.

Possibilidade de ganhar mais e em moedas estrangeiras

Dólar / Shutterstock

Como mencionei logo acima, os ganhos de alguém que recebe em moedas fortes estrangeiras vai ser claramente maior do que alguém que só recebe em reais. Se você ganha R$15, R$30, ou $60 por artigo, pode de uma hora para outra passar a ganhar £15 (~R$66), $30(~R$96), ou €60 (~R$235). Nada mal né?

E, ao meu ver, os benefícios vão muito além do câmbio favorável.

Posso contar um segredo? Nunca escrevi para um website brasileiro! Já tive um texto republicado no Catraca Livre, mas só isso. Todos os meus clientes são estrangeiros.

Por quê?

Pois o processo não é simples e também existe muito “QI” (quem indica). Sendo assim, só contribui quem conhece alguém que gerencie o website ou tenha contatos bons. Não estou dizendo que é impossível, é simplesmente complicado.

Agora, de cabeça, me diga quantos websites brasileiros você conhece que aceitam textos de colaboradores? Além do Aparelho Elétrico? =] !

E quantos desses pagam?

Agora olhe para essa lista:
Earn Money Online: Monster List of 161 Markets for Freelance Writers

Ou esta:
These 70+ Publications Pay $1 a Word (And They’re Looking for Writers)

O mercado internacional não só está preparado para trabalhar com freelancers, como também respeita o profissional. Uma pessoa que deseja trabalhar como redator pode começar imediatamente, basta encontrar os sites sobre os assuntos nos quais é especializada (ou não!) e começar a escrever.

Bom – quase – imediatamente. Antes temos que aprender o conceito de pitch.

O conceito de pitch e as plataformas para freelancers

Caixa de entrada / Shutterstock

Eu imagino que muitos redatores freelancers brasileiros hoje em dia trabalhem com plataformas. Acredito que raramente encontrem um website que gostem, mandem uma sugestão de pauta e comecem a contribuir com artigos. Ou estou errado?

Normalmente, no mercado internacional, as plataformas de trabalho freelance para redatores não são tão lucrativas, mas pelo menos garantem uma quantidade de trabalho consistente. Na maioria das vezes pagam entre $8 a $30 por um artigo de 500 palavras.

Você recebe um “briefing” com título, assunto, palavras chave, e links com informações extras para te ajudar. A grande questão é que você não tem que pensar muito, tudo vem de mão beijada.

O problema é que por causa disso eles pagam menos e você não recebe a “byline”. É uma forma de “ghostwriting”, pois você não será o autor do artigo. Você está basicamente entregando os direitos autorais do artigo e não vai nem poder colocá-lo no seu portfólio.

Algumas plataformas:

O pitch simplesmente significa “sugestão de pauta”. Quando você encontra um website que aceita colaboradores, eles normalmente colocam no “writer guidelines” os tipos de assuntos que querem receber, mas quem apresenta a ideia é você. E apresentar uma ideia é uma arte.

Pitch vem de “sales pitch”. Você não está somente apresentando a ideia, você está vendendo o seu artigo. Então jamais envie um e-mail dizendo “Gostaria de escrever um artigo sobre o Rio de Janeiro.” Isto não é um pitch e o seu e-mail vai ser ignorado.

É importante escolher um ângulo para a sua pauta. Então, se fosse melhorar a sugestão anterior, poderíamos mudar para “Os 10 melhores blocos de Carnaval no Rio de Janeiro e os 5 piores”. Percebe que ainda estamos falando do Rio de Janeiro, mas o assunto é bem mais específico? E ainda mais importante, é oportuno, considerando que o Carnaval acontece daqui a um mês.

Depois de apresentar a sua ideia, você deve explicar porque é a melhor pessoa para escrever esse artigo (é carioca, conhece bem o carnaval, sabe de algo que ninguém sabe, etc) e depois colocar links para textos seus em outros websites que sejam relacionados com o assunto (sobre o Rio de Janeiro, sobre o Carnaval, etc).

Exemplos de pitches:

Se você não tem algum texto em inglês, comece escrevendo alguns textos no Medium sobre assuntos que você domina. Depois tente sugerir pautas para websites pequenos que aceitem colaboradores. E quando se sentir mais confiante e tiver um portfólio legal, mande pautas para os grandes websites.

A grande vantagem de mandar pitches, se comparado às plataformas para freelancers, é que você pode ganhar muito mais dinheiro e o seu nome vai estar no artigo! No entanto, a competição é acirrada e você tem que se acostumar com rejeições, pois isso vai ser parte do seu dia a dia.

Não se esqueça que se você encontrar um website que não tenha uma seção “Write for us”, você mesmo assim pode mandar um pitch. Demonstre os benefícios de contratar um redator freelancer. Você pode falar dos seus serviços e/ou como os seus artigos vão trazer mais tráfego para o cliente.

Veja alguns exemplos para te ajudar nessa abordagem:

A importância de se usar um editor

Trabalhando juntas / Shutterstock

Se você quer criar uma carreira de sucesso como redator freelancer é imprescindível usar um editor, principalmente porque o inglês não é a nossa língua materna. Por mais fluente que seja, você raramente vai escrever perfeitamente.

A razão de eu mencionar o editor é simplesmente porque os redatores freelancers nativos também utilizam. Você não estará somente competindo com alguém que domina completamente o inglês, mas com quem também paga pessoas para tornar os seus textos impecáveis.

Claro que nem todas as pessoas usam editores, mas raramente encontro um texto escrito por não-nativos que não tenha pelo menos um errinho. Se eu, que já escrevo em inglês há um tempo, sempre cometo erros, imagina alguém que está apenas começando?

Às vezes você só precisa que um nativo leia o seu texto para rapidamente identificar o que está errado. Muitas vezes o problema não é gramatical, mas algumas expressões não fazem sentido na língua inglesa e precisam ser mudadas. Basta utilizar qualquer plataforma de freelancers para encontrar um nativo disposto a editar o seu artigo por $5-$10.

Pelo menos no início da sua carreira, vale investir num editor e ter certeza que os seus textos não contêm erros, do que mandar artigos mal escritos para um website e iniciar um relacionamento com o pé esquerdo.

[Vale lembrar que aqui estou falando de quem edita os textos dos redatores. Não confunda com editores de websites, que são quem recebe os pitches e decide o que vai ser publicado ou não]

Ferramentas que ajudam o redator

Ferramentas de escritório / Shutterstock

Agora vou apresentar a vocês algumas ferramentas que tornam a vida do redator freelancer mais fácil. Os assuntos variam desde escrever títulos melhores até páginas com muitas informações pertinentes. Aí vai:

  • Grammarly – Essencial para encontrar erros gramaticais. Vale lembrar que essa ferramenta não é perfeita, mas já ajuda um bocado;
  • Hemingway App – Ernest Hemingway é conhecido pela sua escrita concisa. Ele conseguia escrever sobre assuntos extremamente complexos, mas usando estruturas e vocabulários que até crianças poderiam entender. Esse site te ajuda a usar palavras mais simples, usar a voz ativa ao invés da passiva, e te diz se você está repetindo demais as palavras;
  • The Open Notebook Pitch Database – Site incrível onde você pode ver o pitch que foi aceito e o artigo que foi escrito. Dá pra ver que quando o redator já tem uma relação com a publicação, o pitch é sucinto, mas se é o primeiro contato, eles seguem aquele formato que mencionei acima;
  • Who Pays Writers – Este é um website ótimo onde os redatores divulgam quanto ganharam por cada artigo publicado. Isso ajuda novos redatores que estão mandando pitches para websites e não sabem exatamente quanto eles pagam;
  • Hubspot Idea Generator e Portent’s Idea Generator – Dois sites que ajudam quando você está tendo dificuldades em criar novas ideias;
  • Titlecase – Esse site te ajuda a escrever os títulos e subtítulos respeitando o AP Style;
  • 45 completely free photo resources for designers – Esses são 45 websites diferentes com fotos livres de direitos autorais. Isto é, podem ser utilizados nos seus textos;
  • 4 free e-mail lookup tools to find editors & marketing managers – Algumas ferramentas que ajudam os redatores a encontrar e-mail de editores de websites;
  • 37 essential freelance writing terms you need to know – Aqui está um glossário de termos utilizados no mundo de redatores freelancers. Neste post também se fala de muitos termos utilizados no mercado impresso, como jornais e revistas;
  • The 100 best websites for writers in 2017 – Como o próprio nome diz, esta é uma lista com os melhores websites para escritores de 2017;
  • Earn your first $1,000 challenge – Este foi um desafio que participei em 2016, mas que ainda é muito relevante. O autor, Bamidele Onibalusi, é um redator freelancer de sucesso da Nigéria. Ele queria provar que é possível ganhar $1000 em 60 dias sem usar a sua reputação. Então mudou o seu nome e começou do zero.

Finalizando o Post

Ponto final / Shutterstock

Você não vai começar a ganhar $50+ por artigo da noite pro dia. É necessário praticar muito até se sentir confiante ao ponto em que pode escrever um artigo em inglês como se estivesse escrevendo em português.

Gostaria de relembrar que a carreira do redator freelancer envolve muita (muita!) rejeição. E ser rejeitado não significa que a sua ideia é ruim. Pode ser somente o caso de que, de repente, um outro redator mandou pitch igual na semana anterior, ou o seu e-mail foi esquecido na caixa de mensagens. Às vezes você realmente tem uma ideia incrível, mas o seu pitch não foi forte o suficiente pra vender o artigo.

O essencial é saber que qualquer pessoa que escreve relativamente bem em inglês tem a chance de criar uma carreira de sucesso. As suas experiências, o seu país, e os seus pensamentos são únicos e os editores de websites querem exatamente as pessoas que podem contar essas histórias.

É impossível dar todas as informações necessárias para se criar uma carreira de sucesso escrevendo em inglês, mas espero ter mostrado um pouco de como o mercado internacional trabalha com os redatores freelancer.

Boa sorte!

Você já pensou em oferecer seus serviços de redação em inglês?

Conta pra mim nos comentários, quero muito saber sua opinião sobre o assunto.

 

Todas as informações contidas neste artigo são de responsabilidade do seu autor e não necessariamente refletem a opinião do site. Quer publicar suas ideias no Aparelho Elétrico? Colabore.

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Guilherme Ribeiro Guilherme saiu do Brasil em 2007 e desde então trabalhou com muitas coisas diferentes. Hoje é redator freelancer e continua explorando o mundo escrevendo sobre suas experiências e reflexões. Saiba mais em https://guilhermeribeiro.contently.com/
Recomendados para você
 geral
Tire a poeira do seu inglês! Essas dicas vão te ajudar a manter ele no ponto pra encarar o mercado internacional.
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.