Branding é o que falta no seu negócio
 Publicado: 24/06/2015 Atualizado: 30/10/2016

É branding o que falta no seu business

Trabalhando seu branding da forma correta, você atrai os clientes e parceiros adequados e ainda valoriza os seus serviços.
  Por Henrique Pochmann
Essa lata de Pepsi tá cool na mão do Wayne, tá não?

Muitos freelancers se enganam quando pensam que não precisam tomar cuidado com a sua marca. Dizem coisas como: “eu sou apenas um freelancer, meu trabalho chega por indicação, não há muito o que fazer”.

Errado! Há sim muito o que fazer.

Se você quer ter longevidade trabalhando como freelancer, vai ter que construir sua marca e reputação de uma forma legal. Assim vai poder escolher pra quem quer trabalhar, o tipo de trabalho que quer fazer e ainda cobrar mais por isso.

Parece balela. Mas não é. Acontece mesmo. Só que não é fácil.

É preciso trabalhar sério, suar a camiseta.

Como?

Você já ouviu falar em branding? Não? Chega aí que eu te falo um pouco mais.

 

O que é branding?

branding-o-que-e

Podemos dizer que esse tal de branding é o juízo que as pessoas fazem de uma marca. Ou seja, a reputação que ela tem.

E não estamos aqui falando da representação gráfica, do logo.

Estamos falando do todo. De como determinada empresa/organização é percebida pelas pessoas.

Coloque aí no balaio: escolhas estéticas, ações de marketing, atendimento ao cliente, parcerias de negócios, etc. Todo o comportamento de uma marca faz a gente pensar algo a respeito dela.

Podemos perceber uma empresa das mais variadas formas, pode ser por exemplo: moderna, retrô, ultrapassada, atuante, para jovens, para quarentões, para homens, para mulheres, gay-friendly, etc…

Essa maneira como enxergamos uma marca, tem conexão direta ao branding dela.

E o branding pode ser algo intencional, algo que foi planejado, ou não. Qualquer empresa, querendo ou não, tem branding.

 

O freelancer também precisa trabalhar seu branding

branding-o-freelancer-tambem-precisa-fazer

Você pode pensar que é apenas um freelancer, que essa teoria toda não se aplica a sua realidade. Sinto te dizer, mas você está enganado.

O profissional que leva o seu negócio a sério, e quer ter longevidade na carreira, precisa pensar nisso.

Pare uns minutos e pense: como você é percebido pelos seus clientes, prospects, parceiros de negócio:

  • Como um profissional que faz qualquer job porque precisa sobreviver?
  • Como um especialista que é chamado quando um trabalho importante precisa ser bem feito?

Pode ser um pouco assustador chegar a conclusão de que as pessoas tem uma imagem errada de você.

Mas não se assuste: você pode trabalhar isso.

Você pode e deve trabalhar seu branding. Assim você pode fazer as pessoas pensarem o que você quer que elas pensem.

 

Benefícios

branding-beneficios-de-fazer

É uma escolha sua trabalhar, ou não, seu branding. De um jeito ou de outro as pessoas vão formar uma opinião a respeito do seu trabalho.

Mas eu, obviamente, te aconselho a assumir o controle.

É melhor que você dê insumos propícios para que as pessoas te percebam de uma forma positiva e com algum diferencial.

Veja alguns benefícios:

  • Assumir o controle da sua imagem;
    Não deixe que as pessoas pensem o que quiserem. Direcione os seus esforços e passe a ser percebido de uma forma estrategicamente mais interessante. Assim você agrega mais valor a sua imagem.
  • Passar a atrair mais prospects qualificados;
    Com um branding bem feito, você passa a se comunicar com o público que quer atingir. Assim você para de ser procurado para trabalhos irrelevantes e abre mais portas para trabalhos mais interessantes e ligados ao seu perfil.
  • Conquistar um diferencial diante dos concorrentes;
    Com uma imagem bem trabalhada, você passa a ser percebido de maneira diferente no mercado. O branding é decisivo na hora dos clientes optarem por um novo parceiro. Ele faz com que você pareça a melhor opção, de forma natural.
  • Encontrar a valorização ideal para os seus serviços;
    Se você é visto como a melhor opção em algo, logo você é mais procurado. Se você é mais procurado, logo tem muito trabalho. Se você tem muito trabalho, logo pode cobrar mais por ele.
  • Ser visto como referência e formador de opinião;
    Se você se posiciona corretamente no mercado, passa a ser visto como um formador de opinião em determinado assunto. Essa autoridade gera mais oportunidades de negócio pra você. Não só clientes finais passam a se sentir mais atraídos pelo seu trabalho, mas outros parceiros de negócio também.

 

Branding na prática

branding-na-pratica

Ok. Se você leu até aqui, já deve ter sacado que trabalhar o seu branding é mesmo importante.

Agora é hora de suar a camiseta. Mas por onde começar?

Pra dar início ao trabalho da sua imagem, te aconselho a fazer algumas perguntas:

  • Que tipo de trabalho você gosta de fazer?
    Acho importante você correr atrás de trabalhos pelos quais tenha tesão de fazer. Não acho legal correr só atrás de grana, isso pode ser um belo tiro no pé. Pois pode faltar fôlego pra terminar os projetos depois.
  • Que público pode te passar esse tipo de trabalho?
    Depois de identificar o tipo de trabalho que você gosta de fazer, comece a mapear os potenciais clientes que podem te fornecer esse tipo de trabalho. Analise bastante o perfil deles, veja com quem se relacionam, como se comportam, como se comunicam.
  •  O seu negócio está sendo percebido adequadamente por esse público?
    Agora que você sabe o que gosta de fazer, sabe quem tem o trabalho para oferecer, tem que pensar se os prospects se sentirão atraídos pelo seu perfil. Caso não estejam, faça as alterações necessárias.

 

Então, fazer branding na prática é definir a sua mensagem e trabalhar ela de forma que seja percebida da mesma maneira em todos os pontos de contato com seu público.

Trabalhe sua marca, cartão de visitas, assinatura e linguagem usada no e-mail, site, redes sociais, blog, layout da sua proposta comercial, parcerias de negócios, selecione bem os clientes com os quais vai trabalhar, etc.

E atenção: não rola você ser o cara super-mega-blaster-caretão no seu site, usando textos sisudos, como se tivessem sido escritos para um advogado ler, e nas suas redes sociais você é um fanfarrão.

É preciso ter coerência na sua mensagem.

E o ideal é que seu modo de se comunicar seja genuíno. É complicado tentar parecer o que não é.

Olhe pra si mesmo, veja a sua essência e formate bem a sua mensagem. Deixe claro quem você é e o que está buscando.

Finalizando o post….

E então, como anda a sua imagem? Você está conquistando os projetos que gostaria? Talvez apertando os parafusos do seu branding você consiga chegar onde espera.

Se você quiser se aprofundar mais no assunto, recomendo a leitura do eBook Marcas Apaixonantes. Eu li e me ajudou muito a fortalecer o conhecimento. Ele traz vários cases de pequenos empreendedores, o que tem tudo a ver com a realidade do freelancer.

Conta pra mim aqui nos comentários como você faz para trabalhar a sua imagem, vamos desenvolver mais o assunto e gerar mais conteúdo relevante para quem trabalha como freelancer.

E pra você ficar totalmente por dentro de como é trabalhar como freelancer, recomendo que você leia o post: O guia definitivo para começar a trabalhar como freelancer

Se você acha que este post é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais e ajude o Aparelho Elétrico a continuar publicando conteúdo interessante e gratuito. :)

 

saiba mais sobre o eBook Marcas Apaixonantes

 

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann

Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.


Recomendados para você
 podcast
Usar um nome de empresa pode parecer mais profissional, mas talvez esteja confundindo os seus clientes.
  Por Henrique Pochmann
 Negócios
Você tem sofrido com as solicitações descabidas de alteração e refação dos seus clientes? Vem ver algumas formas de resolver isso.
  Por Henrique Pochmann
 podcast
Será que é preciso dar aquela ultra valorizada no passe pra conquistar a atenção dos seus parceiros de business?
  Por Henrique Pochmann
 marketing
Um manual básico de SEO para freelancers gerarem mais negócios através da otimização dos seus sites.
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • Muito interessante!

  • Fala Henrique, parabéns por mais um artigo fascinante. É realmente essencial trabalhar o branding pessoal, só agora que eu estou conseguindo encontrar o tom certo do meu posicionamento. Obrigado pelo conteúdo de qualidade mais uma vez! abraço.

    • Boa, Diogo! É isso aí… aos poucos o cara vai encontrando o jeito certo de jogar… com o tempo a marca vai se consolidando e o retorno começa a aparecer.

      Abraço e valeu o comentário! :)

  • Elton Silva

    Muito bom, Henrique.
    Parabéns pelo material!

  • Luiz Henrique Alves

    Vixi aprendi mais uma.

  • Mayara Fernandes

    Muito bom, li um livro chamado personal branding, e é bem isso mesmo :D

    Apesar, seu botão do google+ está falhando.
    Abraços :3

    • Oi, Mayara! Que bom que gostou do artigo! :)
      E sim, esse botão do G+ da lateral está bugado =/
      O melhor é usar os que aparecem no topo ou no rodapé do artigo.
      Grande abraço e obrigado por comentar!

  • Gabriel Plaisant

    Muito bom o artigo, acho muito importante isso.

    Eu trabalho muito o relacionamento com o cliente, pois acho que o freelancer ganha muito com indicações. Tento sempre fazer um pouco a mais, um mínimo pra deixar uma boa impressão. Por exemplo, surpreender entregando antes do prazo, (não sempre pra não deixar mal acostumado), e depois do job finalizado, pergunto sobre os resultados do projeto, se tudo ocorreu bem, enfim.

    Parabéns pelo blog, acesso direto, continue com o trabalho!

    abs

    • Fala, Gabriel! Grande contribuição! Essa de entregar mais do que as expectativas é muito boa. Tem gente que sempre coloca uma gordura no prazo pra entregar antes e surpreender o cliente. É uma boa pra conquistar. O lance eu acho que é sempre tentar abraçar o projeto e tentar fazer ele como se fosse pra você mesmo, assim a gente nunca deixa a desejar.

      E essa questão do pós-venda de perguntar dos resultados é outra grande sacada. Às vezes a gente entrega o job e perde o contato com o cliente. O lance é sempre estar por perto, enviar uns e-mails de rotina, perguntar como vão as coisas, se precisa de algo, e por aí vai.

      Obrigado por deixar tua contribuição, Gabriel!

      Grande abraço!

  • Oi, Luan!

    Legal ver que você está preocupado com o Branding do seu business. Isso já mostra que você é um cara diferenciado. Vejo muito profissional por aí falando coisas como “eu sou apenas um freelancer, não preciso disso”, “eu sou só uma agência pequena, isso é coisa de agência grande”. Acho que esse pensamento é tóxico e ele pode realmente impactar negativamente no crescimento do negócio. É preciso se preocupar com Branding desde o início.

    Não lembro exatamente em que contexto disse que meus clientes preferiam trabalhar com um freelancer ao invés de uma agência, como você lembrou. Mas acredito que existem diversos tipos de clientes, com diversos perfis de empresa e com diversos perfis de faturamento. Cada um vai ter uma preferência diferente no que diz respeito a trabalhar com um profissional independente ou trabalhar com uma agência. Você precisa saber qual deles quer atrair e porquê quer atrair esse determinado tipo de cliente.

    Sempre lembro que quando tinha meu escritório de comunicação, tentávamos parecer maior do que éramos para atrair clientes maiores. E acabávamos sempre esbarrando na pergunta “Mas quantas pessoas trabalham com vocês?”. E os clientes acabavam saindo da negociação porque nossa equipe era enxuta demais pra atender eles. Era muito tempo perdido pra nós e pra eles.

    Hoje acredito mais na transparência. Acho que ser claro e honesto quanto ao seu porte é sempre um melhor negócio e vai atrair mais oportunidades condizentes com a sua realidade.

    Acho que era isso, cara. Acho que você está no caminho certo. Espero ter te ajudado um pouco. :)

    Abração!

    • Ajudou e muito!

      Obrigado! Você como sempre ajudando. :-)

      O contexto foi em que, uma certa vez, você compartilhou na página que tinha uma demanda de clientes e que queria dividir este job com quem se candidatasse.

      Ao enviar meu site e portfólio, você percebeu que somos uma agência e estes clientes específicos estavam querendo um freelancer mesmo.

      Foi esse!

      Um forte abraço e sucesso sempre!

      #fãdoaparelho ;-)

      • Ah, Sim! Agora lembrei… disse isso porque volta e meia não posso pegar os jobs e estava buscando contatos pra repassar os trabalhos. Os clientes que chegam até mim estão buscando um freelancer, por isso prefiro repassar profissionais que não se ofereçam como agência.

        Valeu, garoto!

        Curti essa hashtag aí! =)

        Abraço!

  • Anne_lira

    Fantástico!!! 😃
    Vale destacar esse trecho:
    “Se você quer ter longevidade trabalhando como freelancer, vai ter que construir sua marca e reputação de uma forma legal.”

    Bem, para quem quiser se aprofundar mais sobre o assunto, esse artigo fala um pouco mais sobre PERSONAL BRANDING – “Como agregar valor à sua imagem para ser cada vez mais um profissional solicitado?”

    Vale a pena a leitura → http://annelira.com/2017/11/06/o-que-e-personal-branding/

    • Que bom que curtiu, Anne. Obrigado por acrescentar à discussão.

      Abraço!

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.