Trabalhar como freelancer: como começar e onde encontrar trabalho
 geral
 Publicado: 06/07/2015 Atualizado: 19/09/2017

Trabalhar como freelancer: como começar, onde encontrar trabalho e muito mais

Guia completo para trabalhar como freelancer, onde encontrar as melhores oportunidades e o que fazer para não deixar elas escaparem.
  Por Henrique Pochmann
Foto: Homem de negócios / Shutterstock.

A ideia deste texto é servir como um guia para te ajudar a trabalhar como freelancer rapidamente e com toda a preparação possível para que você não perca boas oportunidades no mercado por falta de experiência.

Aqui você vai encontrar, além de outros tópicos, todo o conteúdo necessário para entender o que é de fato ser um profissional independente, como se organizar para trabalhar de casa via internet, quais são as ferramentas essenciais, e também onde encontrar e como identificar as melhores oportunidades de negócios.

Espero que o conteúdo seja útil. Vamos lá!

Tópicos

O que é freelancer?

Mulher asiática trabalhando como freelancer.
Foto: mulher freelancer / Shutterstock

“Freelancer” é o termo utilizado para definir profissionais independentes que atuam principalmente na área da comunicação e tecnologia da informação. Estes profissionais exercem sua profissão sem vínculo empregatício, ou seja, sem carteira assinada.

Em alguns casos trabalham de forma temporária dentro das empresas. Mas na maioria das vezes oferecem seus serviços a partir de casa, coworkings, cafés e onde mais tiver conexão com a internet e o conforto necessário para desempenhar bem sua atividade.

Como eu virei freelancer

Acima é um vídeo onde eu conto a minha história até virar freelancer. Entre outras coisas, falo também como me sentia quando ainda trabalhava em agências de propaganda. Talvez você se identifique.

A diferença entre freelancer, autônomo, profissional liberal e trabalhador remoto

Foto: homem negro freelancer / Shutterstock

Esta é uma questão que gera um pouco de confusão. Para tentar deixar claro, vou separar por tópicos cada definição.

O “autônomo” é o profissional independente que não precisa ter formação de nível técnico ou univeritário para exercer sua profissão. Este termo normalmente é associado a eletrecistas, pintores, encanadores, etc.

Já o “profissional liberal” também trabalha de forma independente, mas precisa ter curso técnico ou faculdade concluída para exercer legalmente sua profissão. Este termo geralmente é associado a médicos, dentistas, arquitetos, engenheiros, etc.

“Trabalhador remoto” causa muita confusão com “freelancer” porque ambos podem trabalhar de casa. Porém, ao contrário do “freelancer”, o “trabalhador remoto” tem vínculo empregatício e geralmente trabalha exclusivamente para uma única empresa.

E o “freelancer”, como dito antes, trabalha de forma independente e o termo é utilizado normalmente pra designar os profissionais autônomos ligados à area da comunicação e da tecnologia da informação. Mas como o termo vem se popularizando, já existem profissionais de outras áreas, e até mesmo profissionais liberais (arquitetos, por exemplo), que se definem como freelancers também.

As especialidades mais comuns no mercado

freelancers trabalhando em um coworking
Foto: time de negócios / Shutterstock

Abaixo você vê uma lista das especialidades mais comuns no mercado de trabalho freelancer. Você pode adotar alguma delas, ou optar por uma especialidade onde exista menos concorrência.

  • Arquitetura;
  • Design digital;
  • Design gráfico;
  • Direção de arte;
  • Eventos;
  • Fotografia;
  • Gerenciamento de projetos;
  • Ilustração;
  • Jornalismo;
  • Marketing;
  • Marketing Digital;
  • Mídias Sociais;
  • Moda;
  • Motion;
  • Pesquisa;
  • Planejamento de comunicação;
  • Produção de vídeo;
  • Programação;
  • Redação;
  • Revisão;
  • SEO;
  • Tradução.

Que tipo de profissional pode trabalhar como freelancer?

menina indecisa
Foto: menina indecisa / Shutterstock

Todo profissional que tenha o conhecimento, as ferramentas e os recursos necessários para exercer sua profissão de forma independente pode se tornar um freelancer.

É importante chamar atenção para o fato de que o freelancer precisa ter também um perfil multidisciplinar. Pra atuar sozinho, não basta ser bom na sua especialidade. É necessário ter habilidade para atender bem clientes e fornecedores e também lidar com a parte administrativa do negócio.

Pra se aprofundar mais nestes tópicos, recomendo a leitura do eBook/PDF que eu escrevi “O Incrível Manual do Freelancer Moderno”. Aproveita, não tem custo algum.

Vantagens e desvantagens de ser freelancer

balança
Foto: balança / Shutterstock

Abaixo vou listar pra você algumas coisas positivas e negativas a respeito desse formato de trabalho. Acho importante que você saiba exatamente quais são as alegrias e as dificuldades de ser freelancer para que você não entre nessa vida com uma visão errada. Assim você evita frustrações no futuro.

Vantagens

  • Autonomia na condução dos seus projetos / Liberdade para aceitar ou não cada projeto;
  • Crescer como empreendedor através do contato com várias empresas;
  • Frequentar serviços como shoppings, cinemas, farmácias e bancos fora do horário de pico;
  • Fugir do trânsito diário das grandes cidades;
  • Passar mais tempo com a família;
  • Possibilidade de ganhar mais do que um emprego tradicional;
  • Tempo para investir em projetos pessoais;
  • Ter hábitos de vida mais saudáveis, como tempo para praticar exercícios e melhorar a alimentação;
  • Trabalhar confortavelmente em casa;
  • Trabalhar no horário em que se sente mais produtivo.

Curtiu as vantagens? Eu gosto muito da autonomia de trabalhar por conta própria. Mas preciso te alertar, nem tudo são flores. Abaixo vão algumas desvantagens que você precisa ficar sabendo.

Desvantagens

  • Aprender a lidar com o preconceito. A própria família e os amigos tendem a pensar que o seu trabalho não é sério;
  • As férias não são remuneradas;
  • Dificuldade de comprovar renda;
  • Renda variável;
  • Lidar com clientes inadimplentes;
  • Lidar com o estigma de ser visto como mão de obra barata;
  • Não há 13º salário;
  • Necessidade de aprender sobre finanças e gestão;
  • Necessidade de se adaptar a cada perfil de cliente;
  • Ter que aceitar trabalhos irrelevantes em épocas de crise;
  • Trabalho solitário.

Como você já deveria desconfiar. A vida de freelancer, assim como tudo, tem o seu lado positivo e negativo. Acho importante frisar bastante isso porque é comum ver muitas pessoas na internet vendendo cursos/produtos passando uma imagem fantasiosa sobre esse formato de trabalho. Então, fica aqui o alerta: a vida de freelancer não tem só coisas positivas.

Abaixo vai o primeiro episódio do podcast do Aparelho Elétrico em formato talk show. Neste programa eu conversei com o programador Alvaro Neto sobre como se preparar para começar a trabalhar como freelancer. Acredito que pode ser bem útil pra você que está começando.

Detalhe: peço que tenha paciência pois como era um dos primeiros programas ainda não tinha o mesmo dinamismo de edição que temos nos episódios mais recentes. Mesmo assim, o conteúdo é rico e vale a pena ouvir.

Quais as características ideais de um bom freelancer?

mulher trabalhando como freelancer
Foto: mulher de negócios / Shutterstock.

Aqui vou apenas citar as características que considero mais importantes para um freelancer se dar bem na carreira.

Se você quiser ler mais a respeito de cada uma, é só baixar grátis o “O Incrível Manual do Freelancer Moderno“. É uma cortesia do Aparelho Elétrico para todos os cadastrados na newsletter do blog.

  • Ser disciplinado;
  • Ser honesto;
  • Ser multidisciplinar;
  • Ser organizado;
  • Ser proativo;
  • Ter automotivação;
  • Ter espírito aventureiro;
  • Ter uma certa sensibilidade pra entender seus clientes.

Por que uma empresa contrataria um profissional independente em vez de outra empresa?

Competição
Foto: Competição / Shutterstock.

Na maioria das vezes, o freelancer representa um melhor custo/benefício.

Empresas tendem a cobrar um preço mais alto, pois precisam justificar sua estrutura, pagar aluguel e o salário dos funcionários. Além disso, nas corporações, o processo de desenvolvimento de um projeto tende a ser lento, envolve várias pessoas e é bastante burocrático, o que pode impactar e muito no prazo de entrega. Tudo isso conta a favor do Freelancer.

Trabalhar com um Freelancer é falar diretamente com quem desenvolve o projeto. Isso reduz consideravelmente o risco de retrabalho e realinhamentos no decorrer das tarefas. E ainda que algum grande ajuste seja necessário, pode ser feito sem maiores preocupações. Pois não é preciso mobilizar toda uma equipe para uma reorganização, como acontece com frequência em grandes empresas.

Este assunto dá muito pano pra manga, mas vou deixar pra me aprofundar em um próximo post.

Onde um freelancer costuma trabalhar?

Grande parte dos freelancers trabalha em casa, o que se conhece como home office.

Mas há quem prefira os espaços de coworking, que são locais compartilhados por vários profissionais, onde você paga um determinado valor e usufrui da estrutura. Geralmente estes locais oferecem conexão à internet, mesa, cadeira, ar condicionado, sala de reuniões e, em alguns casos, até um ramal e endereço comercial para você. É uma ótima opção para quem não quer ficar isolado e pretende fazer novos contatos.

Na dúvida entre home office ou coworking? Ouça abaixo nosso podcast sobre o assunto.

Uma opção mais acessível, para quem não quer ficar em casa e também não quer gastar, é procurar por bibliotecas públicas com conexão grátis à internet. Mas não se esqueça de verificar as condições das mesas e cadeiras disponíveis, você precisa ter o mínimo de conforto para ter um dia produtivo de trabalho.

Uma ideia que pode renovar seu ânimo é, de vez em quando, ir trabalhar em um café. O aroma do café e a mudança de ambiente podem reativar sua criatividade e reacender sua motivação. Guarde essa dica na manga pra quando sentir que está muito estressado.

Independente da sua escolha, busque sempre um local arejado, bem iluminado, silencioso e acima de tudo, organizado. Essas condições são fundamentais para que o seu trabalho renda.

Como é definida a política de preço dos serviços de um freelancer?

Quanto cobrar por este serviço?” todo freelancer que é freelancer de verdade já se fez essa pergunta.

A verdade é que não existe uma fórmula segura que vá funcionar em 100% dos casos. Você precisa ir testando até encontrar o valor ideal, aquele que seu cliente pode pagar e você obtém lucro.

O ponto de partida para calcular o preço do seus serviços é o calculo de hora de trabalho. Você precisa saber quanto custa o seu valor/hora. Explico isso e mais um pouco no post formação de preços para freelancers.

Se preferir, você também pode ouvir o podcast acima. Tenho certeza que vai te dar um excelente panorama de como pensar na hora de fazer um orçamento para um potencial cliente.

É preciso abrir empresa pra trabalhar como freelancer?

entre estamos abertos
Foto: restaurante aberto / Shutterstock.

Se você pretende trabalhar seriamente como freelancer, tipo full-time, recomendo que você abra uma empresa.

Empresas sérias, que contratam serviços grandes, sempre pedem nota fiscal dos serviços. A melhor forma de emitir NFs é tendo uma empresa aberta.

Existe a possibilidade de emitir notas fiscais avulsas. Você pode ligar para prefeitura da sua cidade e se informar sobre o assunto. Mas vejo isso como um recurso para aquele profissional que faz serviços esporadicamente.

Não é prático, para um freelancer full-time, ter que ir na prefeitura toda a vez que precisar emitir uma nota fiscal. É melhor abrir uma empresa.

O melhor profissional pra te orientar sobre a abertura de uma empresa é o contador. Ele vai te sugerir a melhor maneira de fazer isso de acordo com o tipo de serviço que você presta e sua faixa de faturamento anual.

Lembrando que abrindo empresa e pagando seus impostos adequadamente você tem alguns direitos. Se optar pelo MEI, por exemplo, você tem direito a aposentadoria, auxílio doença, salário maternidade, sua família poderá receber pensão por morte e auxílio reclusão. Pra saber mais, vale uma espiada no Portal do Empreendedor.

Qual é o momento da carreira ideal para começar?

Essa certamente é uma das perguntas mais frequentes aqui no blog.

Sempre digo que o melhor momento é quando você já teve uma experiência sólida trabalhando dentro de empresas, portfólio consistente para comprovar essa experiência e networking para receber indicações.

Acho que sem esses três pilares, experiência, portfólio e networking, é melhor não se lançar como freelancer full-time. Pois será muito sofrido até fazer a máquina girar adequadamente.

Claro, nada impede você de começar de outra forma e encontrar seu próprio caminho. Mas acho importante considerar esses três pilares.

Acima um podcast sobre Networking que gravamos aqui no Aparelho Elétrico, talvez você se interesse em ouvir.

O profissional independente fatura mais que um empregado?

pote de moedas
Foto: pote de moedas / Shutterstock

É possível sim, um profissional independente faturar mais do que quando era empregado. Mas isso não é uma regra. Tudo depende do quão maduro é o profissional e das oportunidades que ele tem acesso.

Normalmente, o profissional que opta por trabalhar como freelancer não está visando ganhar mais, a ideia é ter mais qualidade de vida. Pelo menos, na maioria dos casos, é a maior recompensa da vida de freelancer em um primeiro momento.

À medida que o freelancer vai ganhando experiência, vai se profissionalizando, vai conquistando mais clientes e se relacionando com mais parceiros, o faturamento tende a subir. Novas oportunidades tendem a surgir. Mas isso pode demorar algum tempo.

Tudo depende de você e de sua motivação para correr atrás das oportunidades.

Tem um potencial cliente querendo me contratar como freelancer, qual o primeiro passo?

freelancer conversando com cliente
Foto: conversando com cliente / Shutterstock.

O primeiro passo é você marcar uma reunião com ele para entender que tipo de trabalho ele precisa.

Nessa reunião, faça todas as perguntas necessárias para que você consiga elaborar um orçamento adequado pra ele.

Evite dar um preço na hora, no calor do momento. Volte para o seu local de trabalho e reflita sobre o que conversaram na reunião. Tente traçar uma linha de tudo o que você terá que fazer do início ao final do projeto. Calcule o preço ideal, formalize uma proposta comercial e envie por e-mail.

Coloque na sua proposta:

  • Seu nome;
  • Seu contato;
  • Para quem escreveu a proposta;
  • Data de validade da proposta (uns 2 dias úteis é o suficiente);
  • Uma breve apresentação sua e de suas qualificações para o trabalho;
  • Data de entrega de cada uma das etapas do projeto;
  • Valores e condições de pagamento.

Não faça uma proposta muito longa, pois você corre o risco de seu potencial cliente não ler. Normalmente os clientes não têm muito tempo e vão direto a parte onde diz o preço. Então escreva somente o que for necessário.

Se quiser, você encontra modelo de proposta comercial e outros documentos no Freelancer Doc Box. Uma caixa virtual de documentos que criei para ajudar a bancar as despesas aqui do blog.

Se o cliente estiver de acordo com a sua proposta de trabalho, peça para que ele te envie um “ok” por e-mail. Isso é padrão de mercado. Assim ambos já têm uma prova de que o serviço foi devidamente contratado.

O ideal é que você peça um valor inicial para começar o trabalho. Isso também é padrão de mercado. Não tenha medo de pedir de 25% a 50% (dependendo do custo do projeto) do custo total do projeto. Assim o serviço fica devidamente contrato e você não corre o risco de trabalhar e o cliente dizer que o cliente fechou com outro e esqueceu de te avisar, ou coisa do tipo.

É possível ter renda garantida como freelancer?

renda garantida como freelancer
Foto: carteira com dinheiro / Shutterstock.

A renda variável talvez seja a maior inimiga dos freelancers. Sem renda garantida não da pra se organizar direito.

Por isso, o ideal é buscar contratos de Fee Mensal com os clientes. Ofereça serviços recorrentes para os seus clientes. Pense em algo que ele pode precisar todo mês e cobre uma mensalidade para executar essa demanda.

Fee Mensal é interessante pro freelancer porque assim ele já sabe quanta grana garantida vai entrar todos os meses. E é interessante também pros clientes, porque fees mensais são mais em conta do que serviços pontuais, já que o freelancer ganha no volume de trabalho.

Como conseguir trabalho como freelancer?

garota comemorando no computador
Foto: garota comemorando no computador / Shutterstock

Vamos a pergunta de 1 milhão de dólares.

Não existe um único jeito de conseguir trabalho como freelancer.

Você pode, por exemplo, começar oferecendo serviços freelancer pra atual empresa em que você trabalha, como escrevi no post ‘Como convencer seu chefe a te contratar como freelancer’.

Você também pode ativar seu networking, para deixar os pontos da sua rede alerta sobre alguma oportunidade de trabalho dentro do seu perfil.

Outra alternativa ainda é trabalhar o SEO do seu site para que ele apareça bem colocado no Google e traga mais oportunidades pra você.

Na minha opinião, a melhor forma ainda é prospectar clientes por conta própria, assim você mesmo lida com o cliente, sem intermediários, é mais fácil e bem mais lucrativo.

Participar de concursos dentro da sua área, produzir conteúdo em um blog e ter uma presença marcante nas redes sociais sempre acaba trazendo novas oportunidades de parcerias e negócios. É altamente recomendável que você explore essas possibilidades.

Mas se você ainda está engatinhando na carreira. Talvez uma boa maneira de ganhar ritmo é explorando as plataformas de jobs para freelancers. Mas preste atenção, geralmente os jobs postados nessas plataformas oferecem pagamentos bem abaixo do valor ideal.

Seguem algumas opções:

Concluindo

Espero que com essas informações você tenha conseguido ter um completo panorama do que é trabalhar como freelancer.

Geralmente a insegurança dos profissionais é sobre a renda. É natural que queiram saber se vão conseguir se sustentar trabalhando neste formato.

Posso te dizer, por experiência própria, que é possível se sustentar trabalhando como freelancer. Mas as coisas nem sempre acontecem rapidamente. É preciso ter perseverança e, se possível, alguma fonte de renda alternativa até as coisas começarem a andar da maneira certa.

Antes de pensar em onde conseguir trabalho ou quanto você vai faturar, é bom pensar também se você é o profissional que merece ter o faturamento que você deseja.

Pra competir pelos melhores projetos e faturar alto, é preciso estar preparado e investir no seu aperfeiçoamento profissional. Tenho certeza que, se você leu todo esse post até aqui, já está fazendo isso. Tenha isso em mente.

Qualquer dúvida que você tiver, é só deixar nos comentários. Faço o possível para responder todo mundo.

Posso te pedir um favor?

Por favor, se você acha que esse conteúdo é útil, curta e compartilhe o post nas suas redes sociais. Isso ajuda o Aparelho Elétrico a continuar sempre publicando conteúdo relevante para todo mundo que trabalha de forma independente.

Obrigado!

Grande abraço e até o próximo post.

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Henrique Pochmann
Criou o Aparelho Elétrico em 2014. Produz e apresenta o podcast do blog. Trabalha com marketing digital desde 2002. Quer mais tempo para colocar outros projetos em prática, quer uma bicicleta e quer uma bio mais legal também.

Recomendados para você
 geral
Além do isolamento físico, existe um outro tipo de isolamento que pode fazer você desistir dos seus projetos.
  Por Henrique Pochmann
 Negócios
Calma, não tô incentivando a informalidade. Mas é possível fazer um trabalho sério sem apelar pra um documento desta natureza. Vem ver como!
  Por Henrique Pochmann
 Gestão
Veja como definir preços, como redigir propostas, como se relacionar com clientes e várias outras dicas.
  Por Henrique Pochmann
 Negócios
Você tem sofrido com as solicitações descabidas de alteração e refação dos seus clientes? Vem ver algumas formas de resolver isso.
  Por Henrique Pochmann
Participe da Conversa
  • Dicas muito boas. Estou nessa onda há 7 anos e se tivesse lido algo parecido na época teria me poupado muitas dores de cabeça. É bom ter um espaço como o seu para se ler artigos específicos sobre esse tema e meio que ganhar mais “gás”. Algumas vezes (nas marés baixas) sinto vontade mesmo de querer voltar pra CLT, mas como vcs mesmo citaram “Não importa o quanto se bate, o importante é o quanto se aguenta apanhar” (R.B.). Espero que tenham sucesso nos podcasts, o Falafreela meio que me deixou orfão. Forte abraço, excelente trabalho.

    • Fala, Flávio! Legal que você, como freelancer experiente, endossa as dicas aí. Fico feliz em saber! O FalaFreela era lega mesmo, escutei vários episódios. Obrigado por deixar teu comentário por aqui e parabéns pela camiseta, Pixies é uma banda muito foda! Grande abraço!

  • Walter

    Muito bom.

    • Legal que curtiu, Walter!

      • Walter

        Ha ha, tu escreve muito bem. Hey, como tu conseguiu teu primeiro job ? ( frela ou normal )

        • Cara, consegui por indicação. Eu estava fazendo um cursinho que ensinava a mexer com html/css/flash… e me indicaram pra um provedor de internet. Tive que fazer um site pra mostrar pro chefe que tinha conhecimento. Foi mais ou menos assim. :)

          • Walter

            Da hora [ :

  • Robson Almeida

    Parabéns pelo artigo, Henrique!

  • João Lucas

    Uma coisa que eu fiquei meio “encabulado” é na questão de ter experiencia pra ser freela, por que assim grande parte da galera que torna-se freela é por falta de oportunidades nas empresas já que elas também buscam profissionais com experiencia, então como eu vou ter experiencia pra ser freela?
    E outra duvida, eu vejo que x empresa necessita de um bom design e ainda não tem, qual a melhor forma de mostrar isso, ou melhor, como vender o meu peixe?
    E por ultimo (juro que é a ultima pergunta hahahaha) é tão difícil ter clientes no inicio da carreira?

    Ótimo artigo ;)

  • João Lucas

    (Digitando novamente meu comentário/dúvida, porque por algum motivo não aparece entre os outros. Bem, ao menos pra mim não, então vamos tentar novamente, caso esteja duplicado.. perdão)
    Vamos lá, é o seguinte, no começo do artigo você fala que pra ser um freela (com tendencia a sucesso) o ideal é ter experiência. ¹ Mas como ter essa experiencia? Tendo o ponto de vista grande parte dos freelas, principalmente os iniciantes, são freelas ou querem ser por não ter espaço em agências/studios já que eles procuram profissionais com experiencia.
    ² A vida de freelancer iniciante é estupidamente difícil mesmo? Por que eu tenho formação, tenho portfólio (Momento jabá hahahah : http://www.joaolucasdg.com.br) mas não consigo job’s de maneira nenhuma. Até vejo empresas que necessitam de um design e tal, mas não consigo ter o primeiro contato, uma forma de explicar e convencer que realmente o design é importante. Me dá umas dicas please hehe.
    (E sim, eu já tentei conseguir jobs por esses sites citados no artigo, mas a concorrência é muito grande e boa parte deles dão preferencia a quem paga pelo serviço.)

    Por fim, ótimo artigo. Tenho certeza que vai me ajudar bastante em minha vida profissional.

    • Fala, João…. vamos lá…

      1 – Sempre digo que o melhor caminho pra se tornar freelancer é após ter tido uma experiência sólida em outras empresas. Só assim você vai aprender como é o fluxo de trabalho dentro de uma empresa e pode então replicar aprimorando esse fluxo no seu próprio negócio.

      Nada impede que você pule a etapa da empresa e vá direto pra carreira freelancer, mas imagino que vai dar muita cabeçada até deixar as coisas bem alinhadas. É uma questão de escolha.

      Sobre ter experiência, posso estar sendo injusto, mas acho que o mercado sempre acolhe bons profissionais. Mesmo os iniciantes. Claro, talvez você não consiga o salário que quer ganhar no início da carreira, isso é difícil mesmo, mas oportunidades de trabalhar e pegar experiência sempre existem. Até porque nesse mercado tem muita rotatividade de profissionais. Tem que fazer o tema de casa e correr atrás.

      Pra correr atrás de experiência por conta própria, recomendo esse artigo: http://aparelhoeletrico.com/negocios/como-adquirir-experiencia-sem-prostituir-o-mercado/

      2 – Você precisa se adequar ao mercado, de repente você ainda não está no patamar dos clientes que está abordando. Ou de repente está mais acima. Leva um tempo até você se adequar ao mercado e começar a conquistar a confiança dos clientes. Será que outros profissionais freelancers tem roubado os clientes de você? Pq eles conseguem fechar e você não? Eles têm um site melhor, uma marca melhor, eles oferecem um atendimento melhor? Vale a pena se fazer essas perguntas pra entender o cenário que você tá inserido.

      Minha dica pra você seria: continue estudando tudo o que for relacionado ao seu negócio. Assim você vai se tornar inevitavelmente um profissional mais qualificado, vai passar segurança pros clientes e os jobs vão começar a aparecer naturalmente. :)

      Espero ter te ajudado um pouco. Grande abraço e obrigado pelo comentário, cara!

      • João Lucas

        Obrigado pelas dicas, Henrique! Vou buscar analisar esses pontos e melhorar profissionalmente. Abraço.

  • Carlos R Sousa Silva

    Excelente explanação, muito coeerente, clara e precisa, para corrigir os erros do freelance, o principal objetivo é encarar a formaçao dos custos do trabaaho, e tratar como se auto contrata-se.

  • Juoliano

    Muito bom o artigo! Eu só acrescentaria o http://www.meuredator.com.br, também, como indicação para quem deseja arrumar um freela de produção de conteúdo.

  • Rosane Dortas

    Olá Henrique, acompanho os podcasts do Aparelho elétrico a alguns meses, e agora acabo de me formar em Design Gráfico e estou lendo os artigos do site. Devo agradecer a você e todos os freelas que participam dos podcasts, estão me ajudando bastante a encontrar a forma certa para começar, moro no interior e tenho apoio de minha família, esses são os principais motivos para querer começar no mercado já como freelancer.

    • Bacana, Rosane! Fico muito feliz de receber esse tipo de feedback. Te desejo boa sorte nessa nova fase e espero que continue acompanhando o blog e participando das discussões. Grande abraço e sucesso! :)

  • @henriquepcm:disqus Post sensacional e de grande valor. Sou freelancer há 5+ anos se contar os anos em que apanhei mais do que bati. Eu nunca tive um emprego e sempre tive aversão a ter porque simplesmente não é pra mim.

    Quando eu enganchei na vida de freelancer, fui de ganhar US$9 por hora a ganhar US$45 em um um ano e meio. Eu comecei do zero mesmo. A esposa sustentando a casa com um negócio que que ajudei ela a construir.

    Realizei o meu sonho de que era trabalhar muito pouco (hoje trabalho 4h/dia). Foi um crescimento que me assustou um pouco mas que eu soube controlar. De quebra acabei indo morar fora do Brasil Graças ao trabalho Freelancer.

    Quando fui começar a contar um pouco dessa história para as pessoas em blog / grupo no facebook, acabei conhecendo o Aparelho Elétrico e ouvindo o podcast “03 – Primeiros passos para ser freelancer”. Muito bacana ver como outra pessoa faz as escolhas e passam por algumas coisas similares e outras completamente diferentes.

    Ser freelancer é ter um certo estilo de vida. Muito mais liberdade. Muito mais dinheiro. Muito mais desafios.

    Vale a pena o esforço para entrar nessa.

    Parabéns pelo conteúdo!

    • Bacana sua história, Vinícius! Obrigado por compartilhar um pouco da sua trajetória aqui com a gente.

      Bacana frisar que assim como você não curtia (e eu tb não curto) a vida como funcionário, tem gente que pode não se dar bem como freelancer porque é muito uma questão de estilo. Acho que cada um tem que fazer aquilo que combina mais com seu perfil.

      Grande abraço e obrigado pelo comentário, cara!

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.