Barcelona para freelancers e criativos em geral
 geral
 Publicado: 22/09/2017 Atualizado: 11/12/2017

Barcelona para freelancers e criativos em geral

Com clima ensolarado e agitação constante, descubra o que faz de Barcelona uma cidade também atrativa para profissionais independentes.
  Por Andressa Meissner
Terraço Casa Milá

Reconhecida como um dos epicentros da produção criativa mundial e polo de atração de negócios e talentos, Barcelona é declaradamente uma cidade de todos para todos. Com uma das maiores comunidades de freelancers na Europa, é um local fácil de se sentir acolhido e conectado.

Me acompanha, que vou explicar um pouco mais do porquê Barcelona tem muito a oferecer a qualquer pessoa, independente de sua atividade profissional.

Panorama Geral: Capital da Catalunha

Barcelona não é só a segunda maior cidade da Espanha, é também a capital da região da Catalunha e, sem dúvida, você logo vai perceber o quanto esta identidade se sobressai à espanhola.

A começar pelo idioma oficial da cidade: o catalão, que apesar de sua origem latina, pode soar um pouco difícil aos nossos ouvidos (e olhos) mais familiarizados com o castelhano.

De modo geral, o catalão não costuma ser um problema, basta pedir a versão em espanhol – ou em inglês – do que for necessário. Porém, vez ou outra você pode esbarrar com um separatista apaixonado pela causa, neste caso é só responder: Moltes gràcies, adeu (*multio obrigada, tchau).

barcelona-escada-rua

Horários

A Espanha de modo geral conta com um clima bem ameno para os padrões europeus, porém no verão é muito quente. E ter isto em mente ajuda a entender a lógica dos horários em Barcelona.

Tanto o comércio quanto os serviços abrem entre 9h e 10h30. Muitos estabelecimentos param para o almoço, que é às 14h. Então retornam somente às 16h30 e se mantêm abertos até as 20h, já que o sol se põe a partir das 21h, entre maio e setembro.

Por isso, quando sair antes das 17h é bom dar uma conferida no horário da loja, para não dar de cara com uma porta fechada. Especialmente quando estiver fora do eixo “super turístico”.

Já os coworkings costumam trabalhar com horários mais similares aos nossos, das 9h às 19h. E em alguns casos oferecem opções mais amplas, como das 9h às 21h, por exemplo.

Segurança

Comparada a qualquer cidade brasileira, Barcelona é extremamente segura. Caminhar pela cidade a qualquer hora do dia ou da noite é muito tranquilo e acredito que não haja muitos motivos para se preocupar. Entretanto, vale lembrar que é uma cidade cosmopolita e que recebe mais de 16 milhões de turistas por ano, o que requer um pouco de atenção.

A orla e o centro da cidade – região conhecida como Ciutat Vella – são as zonas com maior concentração de turistas e onde é muito comum encontrar batedores de carteira tão ágeis que você nem percebe quando foi roubado. Por isto a regra nestes locais é redobrar um pouco a atenção, manter bolsas e mochilas fechadas e no seu campo de visão.

segurança em Barcelona

Andando pela cidade

Se locomover em Barcelona é fácil e não tem erro. O transporte público é eficiente e relativamente barato, além de ter uma ampla malha de ciclovias e um clima perfeito para caminhar pela cidade.

A passagem é integrada a todos os sistemas e uma vez utilizada ela te dá direito a fazer quantas trocas forem necessárias no espaço de 1h15 (só não pode voltar o trajeto). Com o cartão T-10 você compra 10 passagens a 9,95€ que te permite percorrer toda Barcelona (para as cidades da região metropolitana há zonas distintas com preços variados).

Outra opção bacana disponível é o Bicing, um sistema de bicicletas compartilhadas que a prefeitura oferece. Através de um cartão anual com taxa de 47,16€ você tem direito a percorrer um trecho de 30 minutos até estacioná-la em outra estação. Neste caso, o app do serviço facilita sua vida disponibilizando os mapas com atualização em tempo real das estações com a quantidade de bicicletas estacionadas.

Além destas opções, minha principal dica é que Barcelona é linda e com distâncias surpreendentemente curtas (ao menos nas zonas centrais), então fazer os trajetos a pé também é uma das melhores formas de se descobrir um pouco mais além dos cartões postais.

andando pelas ruas de barcelona

Lugares para trabalhar

Em Barcelona a oferta de cafés, galerias, bibliotecas e coworkings é imensa, especialmente como a oferta de espaços que são um pouco de tudo isto.

Se o que você busca é um café prático com custo benefício para passar um tempo, aposte em encontrar uma filial da rede Buenas Migas. Honesto, descomplicado e com opções saborosas, tem diversas lojas espalhadas por Barcelona, com boa conexão de Wi-Fi e pontos com tomadas.

Entretanto, se o que você quer é um local mais pitoresco, aposte em buscar nos bairros queridinhos como Villa de Gràcia, Raval, El Born ou Gótico. Surpresas agradáveis como o Mama’s Café ou o El Café Blueproject podem te surpreender.

Para explorar coworkings e fazer contatos dos mais diversos, fique de olho na vida cultural de Barcelona. A maioria dos espaços está sempre promovendo eventos, como inaugurações de exposições, palestras, workshops ou encontro de profissionais de diversas áreas. Uma boa pedida, por exemplo, é conhecer o Cloud Coworking, que possui uma vista incrível para a Sagrada Família e para a praia da Barcelona.

Uma opção low cost é utilizar as bibliotecas municipais, que contam com amplas mesas e boa conexão a Wi-Fi. Neste caso, basta ir com seu passaporte ou sua carteirinha de estrangeiro e realizar seu cadastro para poder aproveitar os serviços ofertados pelo espaço.

Inspiração por todos os lados

Do clássico ao moderno, Barcelona inspirou gerações e continua inspirando quem por ela passa.

Qualquer bloqueio criativo pode ser rapidamente solucionado com uma caminhada pelos becos do Bairro Gótico ou pelas ruelas de Villa de Gràcia. Não se deixe abater pelos preços um pouco salgados para as principais atrações da cidade, há muito para se ver pagando pouco ou nada.

A lista de atividades disponíveis é infinita e confesso que deixei a cidade com aquela sensação de que não pude desfrutar de tudo, simplesmente porque não havia mais horas no meu dia. Então, neste tópico tentarei sintetizar algumas dicas que podem ajudar a inspirar profissionalmente os criativos.

Uma boa pedida é aproveitar as feiras de impressão independente para conhecer artistas locais e profissionais do mercado editorial e gráfico. Elas quase sempre são acompanhadas de palestras, workshops e festas com cervejas e vermuts. Uma boa pedida é conhecer o Gutter Fest, ou aproveitar os eventos promovidos pela Fabra i Coats, ArtsLibris ou Print Workers Barcelona.

Outra opção on budget é desbravar o mapa de graffitis impressionantes espalhados ao longo de toda a cidade. Uma boa dica é se programar para conhecer a região do Poblenou, observar murais incríveis de grandes artistas contemporâneos e por fim desfrutar do Palo Alto Market, principal mercado de economia criativa que ocorre todo primeiro final de semana do mês.

Mas, se no fim, o que você busca é simplesmente aproveitar um dia de verão, sugiro caminhar pelos parques do Montjuïc, encerrando o dia no Castell, parando para assistir a um bom filme ao ar livre no festival Cinema a la Fresca.

inspiracao-por-todos-os-lados-em-barcelona

Visto

Para cidadãos brasileiros sem cidadania europeia, passar mais do que os 90 dias permitidos pelo visto de turista, é necessário solicitar um visto de longa permanência com antecipação no consulado espanhol do Brasil.

Há diversos tipos de vistos para situações distintas, com regras e limitações específicas para cada tipo. No meu caso, fui passar 11 meses enquanto fazia uma pós-graduação em Ilustração, e com o visto de estudante tive direito a permanecer no país com um NIE (meu número de identidade para estrangeiro), que poderia ser renovado dentro do prazo de 90 dias após o vencimento caso eu desejasse continuar estudando na Espanha.

Este tipo de visto não te fornece um número de seguridade social e só te permite fazer estágios formais de 20h. Isto pode atrapalhar algumas negociações de projetos locais, pois muitas empresas pedem que o freelancer fature como profissional autônomo espanhol, o que o visto de estudante não permite. O ideal é sempre conversar com o cliente para que você trabalhe como fornecedor estrangeiro, recebendo como fornecedor estrangeiro pelo método que ache mais conveniente.

O processo do visto de estudante

Apesar de burocrático, não tem muito segredo, só um pouco de trabalho.

Antes de mais nada, você terá que estar admitido e matriculado no curso escolhido (cada universidade tem um processo, porém o período de admissão costuma acontecer entre março e maio). Após ter a carta de admissão em mãos e o documento oficial da matrícula, é necessário reunir todos os documentos solicitados e entregar em mãos no consulado que atende a sua região no Brasil. O checklist pode ser conferido aqui.

Agora, deixo algumas dicas de ouro que às vezes podem passar despercebidas:

  • o processo só pode ser iniciado com antecedência de 90 dias da data da viagem;
  • o valor da taxa consular é de R$212,00 e deve ser pago em dinheiro no próprio consulado;
  • você tem que entregar seus documentos pessoalmente no consulado e deixar seu passaporte. A resposta costuma sair em duas semanas, e você tem que retornar ao consulado e retirar seus documentos.

E não se engane, o processo não acaba por aí.

Há uma etapa que deve ser concluída ao chegar na Espanha para que você emita sua carteira de estrangeiro e que pode ser um pouco confusa à primeira vista, mas prometo que não é.

Para dar entrada no processo de emissão da sua carteira de identidade estrangeira, o primeiro passo é solicitar uma cita prévia no site do sistema do governo espanhol. Não se assuste, muitas vezes a próxima data disponível será para dali 30 a 40 dias. Uma vez agendado, basta levar todos os documentos recolhidos no Brasil, seu passaporte com o visto aprovado e o seu empadronamento.

Este último documento é o que as vezes causa um pouco de confusão, já que não te avisam dele no consulado do Brasil. Mas é muito simples, é o seu comprovante de endereço que oficializa que você mora em Barcelona.

Como eu emito isto? Muito simples.

Após encontrar aquele cantinho especial que você irá locar, solicite uma cita prévia nos centros de atendimento ao cidadão do mesmo bairro. Você deverá apresentar os seguintes documentos:

  • Formulário do requerimento assinado pelo responsável do imóvel;
  • Cópia do passaporte ou DNI dele
  • Contrato original de locação.

O empadronamento sai na hora e é gratuito. 

Depois deste processo, basta aguardar 30 dias e ir até ao órgão indicado por eles para retirar sua carteira de identidade de estrangeiro e aproveitar sua estada na Espanha.

barcelona-praca

Custo de Vida

Para os padrões de uma capital europeia, Barcelona é dentro da média. Apesar dos espanhóis a considerarem uma cidade um pouco cara. Tudo depende do estilo de vida que se pretende levar.

O que encarece um pouco a região é o alto fluxo de turismo que gera especulações financeiras e imobiliárias. O lance é entender como os visitantes interferem na economia da cidade, evitando áreas inflacionadas em alguns períodos do ano e assim baratear muito sua estadia por ali.

Para me ajudar com isso, eu criei o índice “cafézinho” e “cervejinha” que sempre funcionaram como um grande aliado para buscar regiões baratas.

Para entender: a média de um expresso em regiões não turísticas é de 1€  a 1,20€ . Já um café no Gótico ou no El Born pode chegar a 2,4€. E esta lógica pode ser aplicada a tudo.

Por exemplo, por mais encantador que possa parecer morar no centro ou próximo a praia é bom ficar de olho e pesquisar muito. Em regiões como Ciutat Vella, Villa de Gràcia e Barceloneta, alugueis por quartos minúsculos e sem janela podem pesar um pouco no bolso. Uma sugestão é buscar bairros menos badalados, apostando em zonas mais tranquilas como Sagrada Família, El Clot, Poblenou, La Salut, Vallcarca, Sants etc.

O mesmo ocorre com a alimentação.

Em geral os mercados são pequenos, já que mesmo as grandes redes exploram o formato express. Uma sugestão é buscar por um Mercadona ou um Lidl próximos. São os mais econômicos e oferecem uma linha ótima de pratos resfriados e congelados por valores bem interessantes. Se você é como eu, prefere alimentos frescos, outra dica importante é frequentar os mercados municipais de cada bairro e também as vendinhas locais. São ótimas opções para comprar frutas, verduras, frutos do mar e outros produtos mais naturais.

Coma em Barcelona tal qual os barceloneses e aproveite o happy hour para provar deliciosas porções de batatas bravas, azeitonas e jamóns serrano servido com o tradicional pão com tomate. Muitas vezes é aquele boteco mais simples que vai te oferecer as comidas mais típicas e saborosas. Como, por exemplo, o Bar Luis perto de Lesseps que oferece uma das melhores e maiores tortillas de batatas que você pode encontrar.

 

Pintxos 😍😍😍😍!!

A post shared by Andressa Meissner (@andressameissner) on

Para beber, a cerveja é atrativa e tem preços muito próximos aos nossos, o que faz com que elas compitam de igual para igual com a oferta de vinhos, cavas, vermutes e outros drinks. Por exemplo, no mercado há vinhos bons a partir de 3€. Já nos bares, a bebida tradicional é o vermut, servido com duas azeitonas, laranja e muito gelo, enquanto o da moda é Gin com tônica, que mesmo com o valor um pouco mais salgado, ainda é muito apreciado.

Para terminar

O que mais encanta em Barcelona é seu ar cosmopolita mas que evita ser pretensioso, e isso facilita com que se sinta facilmente acolhido por ela. Como profissional freelancer, se tiver a oportunidade, recomendo passar um tempo nesta cidade, para conhecer um outro ritmo de vida e um estilo um pouco mais acalorado.

barcelona-cosmopolita

Você já conhece Barcelona ou pensa em visitar a cidade?

Conta pra mim nos comentários. Ainda há mais uma infinidade de coisas que poderiam ser comentadas, mas como este texto já ficou um pouco longo demais, vou ficar de olho nos comentários ;)

Qualquer dúvida, dica ou sugestão comente abaixo e vamos levar o assunto a diante.

Todas as informações contidas neste artigo são de responsabilidade do seu autor e não necessariamente refletem a opinião do site. Quer publicar suas ideias no Aparelho Elétrico? Colabore.

Curta o Aparelho Elétrico no Facebook
Hey, GOSTOU DESTE POST?
Assine GRÁTIS nossa newsletter e receba nossas atualizações antes de todo mundo.

Você ainda leva uma cópia do “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail e sem pagar um tostão por isso.
 Enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.
Publicado por:
Andressa Meissner

Ilustradora apaixonada por boas histórias, cores e viagens. Trabalhou em agências por 06 anos e há 02 se tornou freelancer. Você pode conhecer seu trabalho por aqui


Recomendados para você
 geral
Pensando em passar um tempo fora do Brasil? Descubra por que você deveria considerar Melbourne, na Austrália, como o seu próximo destino.
  Por Henrique Pochmann
 geral
A segurança, a cultura e o custo de vida baixo fazem de Lisboa uma ótima opção pra quem quer morar fora do Brasil.
  Por Carolina Machado
 geral
Esta cidade da Tailândia - que atrai nômades digitais do mundo todo - conquista pelo networking, mas deixa a desejar na qualidade de vida.
  Por Vinny Campos
Participe da Conversa
  • Parabéns, Andressa! Que belo artigo. Achei demais o índice cafezinho/cervejinha. hahaha… um ótimo parâmetro.
    Tem o link da universidade e o curso que você fez? Acho que tem gente que pode se interessar por isso.

    • Andressa Meissner

      Obrigada Henrique!!
      Eu estudei na EINA que é o Centre Universitaira de Disseny i Art da UAB, aqui o link http://eina.cat/

      Super recomendo. Há opções incríveis de graduação, pós, mestrado e especialização!
      Uma escola incrível com uma infra estrutura incrível e um corpo docente muito bom.
      Barcelona tem muitas ofertas de escolas bacanas para o pessoal do mercado de criatividade. Vale a pena conhecer a Elisava, BAU, IED e Massana, porém há outros nomes interessantes de instituições mais específicas.

  • Maete Porto

    Andressa adorei o seu texto, ficou ótimo e muito esclarecedor. Acho Barcelona uma inspiração a céu aberto, um ótimo lugar para fazer um curso como este que fizeste. Uma experiência fora do país eu recomendo para todo mundo, acho que crescemos muito quando temos que sair do nosso “país de conforto”. Como foi a tua carga horária e o que tu dirias do tipo e forma de ensino deles? Parecida com a nossa, mais puxada, mais tranquila… Abração e parabéns pelo post.

    • Andressa Meissner

      Oi Maete! Fico muito feliz que tenha gostado!!! Realmente é uma experiência incrível que munda muito a forma que encaramos as coisas!

      Eu fiz uma pós com duração de 10 meses. Começou em setembro de 2016 e terminou em julho de 2017. A carga horária era de três aulas semanais, segunda, terça e quinta, com aula das 17h às 20h. As sextas eu aproveitava o ateliê de serigrafia que a escola tinha a disposição dos alunos para trabalhar em projetos pessoais.

      Eu me mantive como freela no período que fiquei lá, contudo tive que reduzir um pouco os jobs que atendia, porque fui com uma ideia de um curso mais tranquilo, e em alguns momentos a quantidade de projetos me surpreendeu, foram algumas noites madrugada a dentro e finais de semana de trabalho para alinhar as duas coisas…

      Alguns pontos muito positivos do curso, foi o contato com estúdios espanhóis e a possibilidade de trabalhar com projetos reais. Eram 12 disciplinas, todas ministradas por profissionais da área com portfólios bacanas e cada um deles nos proporcionava uma palestra ou uma visita ao estúdio de alguns ilustradores famosos na área, como Brosmind, Renato Cavolo, estudio Caramel etc… Muitos projetos a serem entregues para estas materias eram para concursos renomados de empresas locais, como o proporcionado pela revista Yorokobu junto com a Volkswagen!

      • Que demais isso! Me parece uma puta experiência!

        Legal que tu usava o ateliê de serigrafia. Que tipo de projetos tu fazia?

        Uma época, lá por 2006, eu tentei criar uma marca de camisetas para vender via Fotolog (alguém lembra disso?) e tive muitos problemas com fornecedor de serigrafia. Então, adivinha? O Henricão aqui resolveu aprender a serigrafar… foi terror e pânico. Desisti do projeto. hahaha

        • Andressa Meissner

          Aahahahah
          Confesso que no começo era terror e pânico. Ficava com dó do monitor que sempre tinha que vinha me socorrer kkkk… Mas depois fui pegando o jeito. Eu curtia muito fazer poster com tipografia… tipo este https://www.instagram.com/p/BV5Hf4cBEu2/?taken-by=andressameissner

          Era minha diversão para esvaziar a cabeça nos finais de tarde de sexta!

          • Que massa! Fico bonitão!
            Eu não consegui me adaptar com o lance de gravar as telas. Achava bem difícil. Sempre que ia gravar a tela, acabava saindo tinta de onde não deveria. Meu equipamento era todo improvisado.
            Mas era um ritual legal. Apesar da falta de jeito, eu curtia o processo.

Publicidade
MAIS DE 9.000 PRofissionais independentes Já recebem ANTECIPADAMENTE AS nossas atualizações.
Cadastre-se na nossa newsletter e receba “O Incrível Manual do Freelancer Moderno” direto no seu e-mail, sem pagar nada por isso.
 Sempre enviamos conteúdo relevante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser.